Notícias

Anitta se torna sócia da Fazenda Futuro

0

A cantora internacional Anitta, que parece não parar de conquistar novos espaços, anunciou na última semana sua entrada como sócia da Fazenda Futuro. A empresa é uma foodtech brasileira focada em carnes plant-based. Assim sendo, Anitta irá participar da gestão do negócio, atuar em projetos de inovação e ajudar a marca a difundir o consumo de carne feita de plantas tanto no Brasil quanto no exterior.

“Decidi ser sócia da Fazenda Futuro principalmente por acreditar que a tecnologia de alimentos veio para ficar. Comer bem pode ser saboroso, nutritivo e fazer bem para o meio ambiente”, disse a artista, por e-mail.

“Anitta vai nos ajudar a tornar essa categoria mais conhecida no Brasil de uma forma leve e divertida, mostrando como pode ser bacana substituir a carne animal pela vegetal alguns dias na semana”, diz Marcos Leta, fundador da Fazenda Futuro em entrevista à Exame.

Porém, a empresa ainda não revelou os detalhes da entrada da cantora na sociedade. Leta afirma que Anitta participará de projetos de divulgação da marca que serão lançados.

Vale destacar que a relação da Anitta com a Fazenda Futuro já existe há um tempo. Isso porque a cantora de “Vai Malandra” e “Envolver” pediu hambúrgueres à base de plantas em uma festa de aniversário. Então, depois de experimentar e gostar do produto, ela passou a acompanhar o setor e a empresa.

Desde então, os produtos da Fazenda Futuro são servidos em alguns dos eventos promovidos por Anitta. Sendo assim, agora a meta é usar a popularidade e o alcance da nova sócia para tornar a carne à base de plantas mais conhecida. “Estou na Fazenda Futuro para somar e ajudar na democratização e crescimento da categoria no Brasil”, disse Anitta.

Futuro X frigoríficos

Reprodução

O público alvo da Fazenda Futuro são aquelas pessoas que consomem carne, mas que possuem o desejo de diminuir esse consumo no dia a dia. “Lançamos a empresa para competir com os frigoríficos, não com as empresas veganas”, diz Leta.

No entanto, para conseguir competir com os frigoríficos, a Fazenda Futuro ainda precisa construir uma base forte num mercado iniciante. “A construção de uma categoria demora um tempo. Conforme ela cresce, conseguiremos ter mais escala e vender com preços mais competitivos”, diz.

Assim, a Fazenda Futuro está na praça desde 2019, hoje sendo a principal marca de carnes vegetais do Brasil. Além de buscar ampliar seu alcance no Brasil, a empresa também definiu como meta aumentar sua presença internacionalmente. Portanto, a parceria com Anitta não será explorada apenas em campanhas brasileiras, como também internacionais, onde a cantora é conhecida.

Fazenda Futuro

Reprodução

Atualmente, a marca está presente em 30 países e 75% de seu faturamento deriva dos mercados internacionais. Já os maiores mercados são o Brasil e o Reino Unido. Pouco tempo atrás, há seis meses, a Fazenda Futuro passou a atuar nos Estados Unidos também, onde o mercado de carnes vegetais já está mais avançado.

A marca também se tornou uma patrocinadora do time da NBA Golden State Warriors e entrou na Amazon Fresh, o supermercado da Amazon. Com isso, os sinais são claros de que a Fazenda Futuro ainda planeja crescer bastante nos próximos anos.

No final de 2021, a Fazenda Futuro recebeu um aporte de R$ 300 milhões, o que estabeleceu um valor de mercado de R$ 2,2 bilhões. Acredita-se que o dinheiro seja o suficiente para sustentar o crescimento da empresa até 2024. No entanto, com a ajuda de Anitta, o crescimento pode avançar de forma mais rápida.

No Brasil, cerca de 14% da população de considera vegetariana, segundo dados da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB). Além disso, de acordo com a Inteligência em Pesquisa e Consultoria (Ipec), independente da faixa etária e da região, 46% dos brasileiros já deixam de comer carne, por vontade própria, pelo menos uma vez por semana. Com esse cenário, é de se imaginar que a Fazenda Futuro esteja plantando em terreno fértil.

Fonte: Exame

Marmiteira do Paraná oferece refeições gratuitas para quem não tem condições de pagar

Matéria anterior

Brasil tem mais influenciadores do que engenheiros civis e dentistas

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos