Entretenimento

As 10 pinturas mais famosas do mundo

pinturas
0

Ao redor do mundo existem pinturas com histórias intrigantes e com significados que, muitas vezes, passam batido. Muitas dessas obras de arte são avaliadas em milhões de reais, mesmo que tenham sido criadas há muitos séculos. Além disso, elas costumam estar rodeadas de um forte esquema de segurança nos locais em que estão expostas, já que são ricas em valor cultural e, claro, em valor monetário. Confira abaixo, as 10 pinturas mais famosas do mundo e onde cada uma delas está localizada:

Mona Lisa

pinturas

Museu do Louvre

Não é nenhuma novidade que o quadro intitulado “Mona Lisa”, pintado pelo italiano Leonardo da Vinci, é uma fonte de apreciação e de mistérios. A obra foi iniciada em 1503 e só foi finalizada em 1517. Uma das grandes discussões no meio artístico é sobre a mulher representada na pintura, que apresenta um sorriso tímido.

Até os dias atuais, muitas questões são levantadas sobre quem foi Mona Lisa e qual a importância dela na vida de Leonardo da Vinci. Atualmente, a obra está exposta no Museu do Louvre, em Paris (França), e atrai turistas do mundo todo.

Noite Estrelada

Museu de Arte Moderna

A pintura “Noite estrelada” foi criada em apenas três noites pelo holandês Vincent Van Gogh, no ano de 1889. Naquela época, ele vivia no asilo Saint-Rémy-de-Provence, na França, e sentia muita falta da Holanda.

A pintura então, foi a forma que ele encontrou para expressar a saudade de casa. O quadro retrata um vilarejo holandês com uma igreja ao fundo. A obra está em exposição no Museu de Arte Moderna, em Nova York, nos Estados Unidos.

Abaporu

pinturas

Malba

A obra “Abaporu” foi pintada pela brasileira Tarsila do Amaral no ano de 1928. Na pintura, Tarsila quis mostrar a valorização do trabalho físico (homem com pés e mãos grandes) e a desvalorização do trabalho mental (cabeça pequena), já que, naquela época, os trabalhos braçais eram mais comuns do que os intelectuais.

Os pés grandes também revelam forte conexão do ser humano com a terra. As cores, que são muito relevantes no quadro, remetem ao azul, verde e amarelo da bandeira do Brasil. Atualmente, a obra está exposta no Museu de Arte Latino-americana de Buenos Aires, na Argentina.

Persistência da Memória

Pinterest

O espanhol Salvador Dalí é um dos pintores mais lembrados na atualidade. Sua fama é atribuída à forma como ele expressava a realidade e a imaginação através das pinturas. O quadro “Persistência da Memória”, criado em 1931, é um bom exemplo disso. Na obra, as formigas representam a ansiedade que muitos têm com relação ao tempo.

Já os relógios derretidos são, na verdade, uma combinação de relógios e queijos, mostrando o tempo e a mente (cheios de buracos e nada confiáveis). Enquanto isso, a imagem no centro é o olho do próprio Dali, fechado em um sono profundo, indicando que a mente descansada é que funciona.

Por fim, a paisagem representa o litoral de Port Lligat, em Barcelona (Espanha), onde ficava a casa do pintor. Atualmente, a pintura está em exposição no Museu de Arte Moderna, em Nova York, nos Estados Unidos.

As meninas

Wikimedia Commons

Uma das pinturas mais analisadas do mundo é a obra intitulada “As Meninas”, do espanhol Diego Velázquez. A pintura é datada do ano de 1656 e se tornou famosa por criar uma relação diferente entre o observador e os personagens. Velázquez era camareiro na corte do rei Filipe IV, na Espanha do século 17, e pintava muitas pessoas importantes do palácio.

No quadro, ele contesta a autoridade da monarquia ao colocar os reis sem destaque e ele próprio no meio da cena. Também existe a ilusão de que estamos sendo observados pelos personagens. Atualmente, a obra se encontra no Museu do Prado, em Madri, na Espanha.

O Grito

pinturas

Wikimedia Commons

O famoso quadro “O Grito”, criado pelo pintor norueguês Edvard Munch em 1893, já serviu de inspiração para diversos outros pintores e autores. A história por trás da pintura indica que Edvard estava caminhando com dois amigos pela doca de Oslofjord, em Oslo (Noruega), quando observaram as cores quentes no céu e, no mesmo instante, sentiram uma dor profunda.

Edvard Munch sempre se sentiu sozinho e triste e, na obra, buscou mostrar que o sofrimento de uma pessoa não é o mesmo de outra. A pintura está exposta na Galeria Nacional de Oslo, na Noruega.

Narciso

pinturas

Galeria Nacional de Arte Antiga

A pintura “Narciso”, criada pelo italiano Caravaggio, foi inspirada na mitologia grega. Na mitologia, Narciso era um belo rapaz que se apaixonou pelo próprio reflexo em um lago.

Caravaggio representou, do seu ponto de vista, a vida de Narciso: um rapaz ruivo admirando a própria imagem, que parece ser só o que importa para ele. A pintura começou a ser criada em 1597 e ficou pronta dois anos depois, em 1599. Atualmente, a obra está localizada na Galeria Nacional de Arte Antiga, em Roma, na Itália.

Guernica

Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia

O espanhol Pablo Picasso é mais um dos grandes nomes que fizeram história por conta de suas pinturas elaboradas de forma a transmitir uma mensagem que vai além do que se vê nas telas. O quadro “Guernica”, pintado a óleo em 1937, é “uma declaração de guerra contra a guerra e um manifesto contra a violência”.

A pintura é uma mensagem contra o bombardeio aéreo à cidade de Guernica, ordenado por Adolf Hitler, e representa o drama, a tragédia e a morte, além das terríveis consequências da guerra. Atualmente, a pintura está exposta no Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, em Madri, na Espanha.

O Nascimento de Vênus

Pinterest

O italiano Sandro Botticelli pintou o quadro “O Nascimento de Vênus” no ano de 1483. A pintura, que foi encomendada pelo político Lorenzo di Pierfrancesco de Médici, mostra Vênus, a deusa romana do amor e da beleza, emergindo das águas em uma concha.

A obra, que é um ícone do Renascimento, evidencia a influência greco-romana na arte e faz referência à cultura pagã. Hoje, a pintura se encontra na Galleria degli Uffizi, em Florença, na Itália.

Impressão, Sol Nascente

Pinterest

Para pintar o quadro “Impressão, Sol Nascente” em 1872, o francês Claude Monet se inspirou no nascer do Sol da baía de Le Havre, na Normandia (França). Todos os traços foram feitos para que o observador sentisse a realidade do lugar.

O reflexo do Sol leva à sensação de profundidade da água, enquanto as partes em branco mostram as ondas quebrando no porto. A pintura se encontra, atualmente, no Museu Marmottan Monet, em Paris, na França.

Fonte: Recreio UOL

Empresa implanta semana de 4 dias de trabalho sem redução de salário

Previous article

Conheça o chalé isolado na Ilha Elliðaey

Next article

Comments

Comments are closed.