Mundo Afora

Buraco gigante chama atenção no Atacama

0

As autoridades da região do Atacama ativaram protocolos de segurança por causa de um grande buraco que apareceu nas proximidades da Mina Alcaparros, em Tierra Amarilla, no Chile.

“Recebemos ontem [sábado] uma reclamação cidadã sobre um sumidouro que teria ocorrido aqui na nossa comuna perto da Mina Alcaparros, que faz parte da Mina Candelária”, afirmou o prefeito da comuna, Cristóbal Zúñiga.

“Estamos preocupados, pois é um medo que sempre tivemos como comunidade, o fato de estarmos cercados por jazidas de mineração e obras subterrâneas sob nossa comunidade”, acrescentou.

Até o momento, a origem do fenômeno é desconhecida. No entanto, o chefe da comunidade afirmou que o sumidouro “ainda está ativo, continua a crescer e é algo que não se via na nossa comunidade”.

“Solicitamos que seja possível esclarecer qual o motivo e porque ocorreu este evento, quais os motivos, se o colapso é produto da atividade mineira abaixo ou se é de outra natureza”, acrescentou.

Já na sua conta de Facebook, o autarca assegurou que as autoridades irão até às últimas consequências como município para proteger a comunidade. “E acabar de uma vez por todas com estes abusos e a contaminação excessiva destas empresas mineiras”.


Danos

Foto: Redes Sociais/ UOL

O delegado presidencial da Região do Atacama, Gerardo Tapia, determinou que o Serviço Nacional de Geologia e Mineração (Sernageomin) “faça uma revisão in loco”.

Já a Secretaria da Região Ministerial (Seremi) de Mineração da Região do Atacama foi ao local para inspecionar o sumidouro e informou que não há danos a pessoas. A entidade também divulgou que continuará monitorando a situação.

Nesta segunda-feira (01/07), o Sernageomin disse que o fenômeno tem um diâmetro aproximado de 25 metros. Além disso, orientou que fossem fechados os acesso da mina até a obra localizada verticalmente ao túnel.

Ele ainda informou que a distância do sumidouro na superfície até o nível 270 é de 200 metros.

“Durante o dia de hoje, funcionários das áreas de Mineração e Geologia da Diretoria Atacama de Sernageomin irão ao local para continuar avaliando a situação e fazer novas recomendações. Além disso, teremos a presença da geomecânica da Subsecretaria de Mineração no nível central”, disse.

Veja abaixo um vídeo do buraco no Atacama:

Atacama irá florescer em breve!

Foto: Mario Ruiz (EFE)/ El País

Outra novidade sobre o Atacama é que o deserto deve florescer em breve. Isso deve ocorrer por causa de dois eventos de chuva que ocorreram sobre o Norte Chico em julho, que chegou a deixar mais de 50 milímetros de água em alguns setores.

O último deserto florido aconteceu em 2017. O fenômeno pode acontecer em anos que são muito chuvosos. No entanto, é preciso levar em consideração os parâmetros da área e as condições adequadas de temperatura.

“Esperamos que floresça desde Totoral até o sul da região, e também em setores mais ao norte, como nos arredores de Caldera”, afirma Roberto Contreras Díaz, agrônomo e pesquisador da Universidade do Atacama.

Dependendo das espécies que florescerem, o manto de flores sobre o Atacama poderá prolongar-se por mais de um mês.

Quando o deserto ficará florido?

Foto: Mario Ruiz (EFE)/ El País

O Atacama ficará Florido em uma boa parte de Huasco e de Copiapó, e nas áreas mais costeiras de Chañaral. Isso ocorrerá em meados de agosto e durante todo o mês de setembro.

De acordo com Roberto Contreras, o tempo de duração é relativo. “Há espécies que perduram mais do que outras. Em média, o deserto florido pode prolongar-se por aproximadamente pouco mais de um mês”, disse.

A permanência das flores pode ser influenciada pela temperatura, por exemplo, se estiver muito calor, o período pode ser mais curto. No entanto, se tiver nebulosidade durante vários dias, o período florido pode durar até outubro.

De acordo com a Corporação Nacional Florestal do Chile (CONAF), aproximadamente 200 espécies podem germinar sob estas condições de umidade no Atacama, especialmente na área costeira.

Fonte: CNN, Tempo.com

Britânico conta como quase morreu com infecção que come os tecidos do corpo

Matéria anterior

A ‘cirurgia do medo’ que separou siameses unidos pelo crânio

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos