• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Carpinteiro que não teve filhos ajuda 33 desconhecidos a se formarem na faculdade

POR Cristyele Oliveira    EM Compartilhando coisa boa      26/07/19 às 14h52

O que você faria se passasse a sua vida guardando dinheiro, mas não tivesse família e nem filhos para dar todas as suas economias de uma vida inteira? Muita gente deixaria esse dinheiro para algum parente distante ou talvez doaria para alguma instituição de caridade. Mas, no caso desse carpinteiro, ele foi além. O carpinteiro em questão é Dale Schroeder. Um americano que decidiu criar um fundo de auxílio estudantil com o dinheiro que economizou a vida inteira. Embora o carpinteiro tenha levado uma vida modesta e simples, sem nenhum luxo, o que ele fez com o seu dinheiro foi realmente generoso. Graças a ele, 33 pessoas conseguiram se formar em uma faculdade.

Embora já tenha morrido, Dale Schroeder sempre será lembrado por todos aqueles a quem ele ajudou a formar e também a todos que ficaram sabendo da sua história. O carpinteiro foi um verdadeiro exemplo de bondade e generosidade. Como ele nunca teve a chance de estudar, ele quis proporcionar isso àqueles que não tinham condições de pagar uma faculdade.

O carpinteiro

Dale Schroeder, um americano que viveu em Iowa, nos Estados Unidos, trabalhou como carpinteiro por 67 anos. O homem era conhecido como uma pessoa simples e humilde, tanto que as pessoas que o conheceram relataram que ele só tinha duas calças e um caminhão Chevrolet velho e enferrujado. Assim, ele conseguiu guardar, em todos esses anos, uma quantia surpreendente. No total, Schroeder acumulou 3 milhões de dólares.

Ele cresceu em uma família pobre, com recursos limitados, e nunca teve a oportunidade de frequentar uma faculdade. Também nunca se casou ou teve filhos. Então, ele decidiu usar todo esse dinheiro para tornar possível o sonho profissional de muitos jovens da sua comunidade.

Pouco antes de morrer, em 2005, o carpinteiro procurou um amigo, o advogado Steve Nielsen, para conversar sobre os seus planos para as suas economias. Com o auxílio de Nielsen, Schroeder então criou um fundo estudantil para ajudar os estudantes da sua cidade que não tinham condições de pagar as mensalidades da faculdade.

Fundo estudantil

O fundo estudantil só começou depois que Schroeder morreu. E hoje, 14 anos depois, as economias do carpinteiro possibilitaram que 33 pessoas fossem para a faculdade.

"Ele queria ajudar crianças que eram como ele, e que provavelmente não teriam a oportunidade de ir para a faculdade. Esse era o seu presente para eles", disse Nielsen à rádio KCCI. "Eu disse: 'De quanto estamos falando, Dale?' E ele disse: 'Oh, pouco mais de $ 3 milhões'. Eu quase caí da cadeira".

A maior parte de todo esse dinheiro foi destinado ao fundo de bolsas criado pelo carpinteiro. Graças a ele, muitos futuros professores, médicos e outros profissionais conseguiram realizar o seu sonho de se formar na faculdade.

Todos os 33 estudantes, que se beneficiam das bolsas, se referem a si mesmos como "crianças do Dale". E além disso, relembram orgulhosos de Dale e tentam seguir o seu exemplo de profissional.

Kira Conrad foi uma das beneficiárias do fundo estudantil de Schroeder. "Eu cresci em uma casa com mãe solteira e tinha três irmãs mais velhas, então pagar faculdade para todas as quatro, nunca foi uma opção. Quando Steve Nielsen falou comigo ao telefone, dizendo que minhas mensalidades haviam sido pagas, comecei a chorar imediatamente. Para um homem, que nunca me conheceria, me levar para a faculdade foi realmente incrível. Isso não é algo que acontece todos os dias".

E você, o que achou dessa história? Conta para a gente nos comentários e compartilhe com os seus amigos.

Próxima Matéria
Via   Nation  
Imagens Nation
Cristyele Oliveira
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+