Curiosidades

Cientistas registram imagens extremamente raras de peixes do fundo do mar comendo um tubarão inteiro

0

A cadeia alimentar é aquela sequência, unidirecional, de matéria e energia que é trocada entre os seres vivos pela alimentação. O que faz com que cada organismo dependa do outro para sobreviver nos mais diversos ecossistemas. É da cadeia alimentar que os seres vivos tiram sua energia e nutrientes e ela vai se diluindo a cada transferência.

Algumas são bem conhecidas e vistas com frequência. Mas nas profundezas do oceano, é raro de vê-las. A imensidão dos oceanos abriga um número incontável de criaturas de todos os tipos. Além de fenômenos curiosos. Esse lugar tem chance de ser uma das partes mais inexploradas e, por isso, surpreendentes do planeta Terra. Sempre revelando segredos que ninguém imaginava antes.

Por isso, os pesquisadores ficaram surpresos com a sorte que tiveram, ao ver um verdadeiro frenesi alimentar de tubarões no fundo do mar, na costa dos EUA, em julho de 2019.

Entretanto, eles nunca imaginariam que também iriam capturar imagens de um desses tubarões virando presa de um outro animal do fundo do mar.

O rover dos pesquisadores estava pairando nas proximidades. Então, o animal aproveitou a sombra do veículo para chegar sorrateiramente. No vídeo, postado pela Administração Oceânica e Atmosférica dos Estados Unidos (NOAA), é possível ver a emboscada do peixe faminto chamado naufrágio.

Comida

Esse fato aconteceu a uma profundidade de aproximadamente 450 metros, perto de uma elevação no fundo do mar, a 130 quilômetros da costa da Carolina do Sul.

O Deep Discoverer, veículo operado remotamente do NOAA, estava procurando destroços do petroleiro SS Bloody Marsh, quando encontrou os restos de um peixe-espada de 2,5 metros sendo comido por quase uma dúzia de tubarões.

“A causa da morte deste animal majestoso não é clara, talvez devido à idade, doença ou alguma outra lesão. Não havia nenhum anzol visível ou trilha de linha de pesca sugerindo que se tratava de uma captura perdida. No entanto, qualquer tipo de ferimento teria sido mascarado pelo dano maciço causado por centenas de picadas de tubarão”, disse Peter J. Auster, cientista marinho da Universidade de Connecticut.

Os tubarões eram de duas espécies de cação de fundo do mar, chamadas de tubarões dorminhocos. As duas espécies são comumente encontradas nessas profundidades. E vagam de forma devagar, até que alguma presa apareça.

Encontro

Eles podem ter farejado a comida nas correntes, ou então, detectado as vibrações de chegada anteriores. Mas acredita-se que eles viajaram apenas para conseguir comer.

E logo que os tubarões foram atraídos, um naufrágio do Atlântico solitário também apareceu no local atrás de uma refeição. Esses peixes são enormes e podem passar dos dois metros de comprimento. Normalmente, eles ficam ao redor de cavernas de águas profundas.

Não é claro se esse peixe foi até o local por conta dos tubarões ou não. Mas conforme os tubarões se deliciavam com o peixe-espada, o naufrágio surgiu do brilho das luzes do Deep Discover e comeu um dos tubarões.

“Este evento raro e surpreendente nos deixa com mais perguntas do que respostas, mas essa é a natureza da exploração científica”, disse Auster.

Chinesa divide casa com 1.300 cães, 100 gatos e quatro cavalos

Matéria anterior

7 filmes mais entediantes dos últimos tempos

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.