O nosso planeta é extremamente grande e, é claro, diverso. E impossível falar sobre diversidade no mundo sem citar os animais, que estão por toda parte e existem milhões de espécies.

Os peixes são animais que acabam atraindo a atenção de muita gente. E se pensar em um peixe que anda, a princípio parece uma coisa ridícula. Mas esses animais híbridos têm um papel fundamental na evolução do reino animal da Terra.

Agora, uma nova pesquisa mostrou que mais peixes do que era imaginado podem ser capazes de andar na terra. Isso foi visto segundo um estudo detalhado dos esqueletos da família de peixes Balitoridae, na Ásia. O estudo inclui espécies já conhecidas que podem andar até um certo ponto, como o peixe anjo das cavernas cego. Entretanto, pelo menos outras 10 espécies provavelmente tem as mesmas capacidades.

Identificando quais espécies da família Balitoridae podia potencialmente ir para a terra, os pesquisadores pretendem aprender mais a respeito de como os primeiros vertebrados terrestres podem ter saído da água e ido para a terra.

Peixes

Publicidade
continue a leitura

A chave é a cintura pélvica, a conexão entre a coluna e a nadadeira pélvica. Ao todo a equipe analisou a estrutura óssea de 29 espécies diferentes da família Balitoridae. E eles identificaram três tipos diferentes de formato pélvico. Além de descobrirem 10 outras espécies que tinham a mesma conexão óssea que o peixe anjo as cavernas cego.

"Os peixes geralmente não têm nenhuma conexão entre a espinha e a nadadeira pélvica. Mas antes, a ideia era que o peixe anjo das cavernas era totalmente único. O que é realmente legal neste artigo é que ele mostra com muitos detalhes que cinturas pélvicas robustas são mais comuns do que pensávamos na família Balitoridae”, disse o biólogo Zachary Randall,  do Museu de História Natural da Flórida.

O peixe anjo das cavernas usa suas costelas alargadas e músculos estabilizadores para conseguir se movimentar em um movimento parecido com o de uma salamandra. E era a única espécie da família Balitoridae que foi observada fazendo uma coisa parecida com uma caminhada.

Publicidade
continue a leitura

De acordo com o que acreditam os especialistas, o peixe desenvolveu essa habilidade como uma forma de se mover através dos riachos e cavernas com correntezas fortes. E chegar a rios e riachos em que outros peixes não conseguem. E essa habilidade pode até ser usada para levá-los até uma cachoeira rasa.

Habilidade

Publicidade
continue a leitura

E através de uma junção da análise de DNA e tomografia computadorizada, os pesquisadores acharam evidências de que essa capacidade foi passada geneticamente. E compartilhada com outros membros da família. E não parece ter sido uma evolução única.

Isso dá aos biólogos uma árvore genealógica evolucionária muito mais precisa no quesito peixes andando. Sendo que essa habilidade, provavelmente, varia de espécie para espécie. Além de uma estrutura para tentar identificar mais deles no futuro.

"Este estudo reuniu uma equipe de pesquisadores com interesses e níveis de especialização que variaram desde aqueles de nós que fazem trabalho de campo e estudam peixes em seus habitats naturais, a geneticistas e anatomistas comparativos”, disse o biólogo Lawrence Page do Museu de Natural da Flórida História.

"O resultado é uma compreensão muito melhor da evolução de um evento extremamente incomum, a capacidade de um peixe andar na terra”, concluiu.

Publicado em: 17/09/20 13h29