• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

Conheça Luis Garavito, o serial killer que estuprou e assassinou mais de 100 crianças

POR Leticia Rocha    EM Mistérios & Horror      09/11/18 às 13h23

Luis Garavito, também conhecido como "La Bestia" foi um dos serial killers mais cruéis de que o mundo já teve notícia. O homem estuprou, torturou e assassinou entre 100 e 400 garotos, com idade entre 6 e 16 anos. Em tribunal, ele assumiu a responsabilidade por 138 crimes. No entanto, a polícia acredita que o número é muito maior e até hoje trabalha nisso.

Garavito hoje está cumprindo sua sentença em uma prisão de segurança máxima da Colômbia. Ele está em um local sozinho, separado dos outros presos para sua própria segurança. Todas as coisas a que tem acesso, como comida e bebida, são dadas por pessoas em quem ele confia, já que ele não é muito querido nem mesmo entre os prisioneiros.

Como Garavito agia

Desde 1960, a Colômbia estava enfrentando uma guerra civil, e em 1992, muitas pessoas já haviam sido vítimas do conflito. Isso causou um grande número de desabrigados, boa parte deles crianças, que tiveram os pais mortos e não sabiam para onde ir. Como não tinham parentes, se sumissem, ninguém perceberia. Gravito não só sabia disso, como se aproveitou do fato.

O homem se disfarçava como alguém querendo ajudar as crianças e desabrigados. Se disfarçava de padre, fazendeiro ou idoso. Estava sempre mudando os disfarces para não ser pego. Oferecia emprego e ajuda para atrair suas vítimas. Garavito saia para andar com os garotos para locais mais isolados e perguntava sobre a vida deles, no intuito de conquistar a confiança deles.

Quando já estavam cansados, o serial killer entrava em ação. Ele amarrava as crianças e as torturava de forma cruel. Alguns dos corpos de suas vítimas, tinham sinais de tortura excessiva, marcas de mordida e de penetração anal. E assim o homem agiu por cerca de 7 anos.

Polícia nota desaparecimentos

Levou cerca de 5 anos para que a polícia tomasse conhecimento sobre as crianças desaparecidas. Em fevereiro 1998, a polícia localizou uma vala com duas crianças mortas, elas estavam amarradas e com sinais de mutilação. A poucos metros do mesmo local, outra cadáver foi encontrado, todos tinham as gargantas cortadas. A polícia estava investigando nas proximidades quando encontraram um endereço manuscrito.

O endereço era da namorada de Garavito, que deu a polícia aval para investigar as coisas do homem. Foi então que a polícia encontrou uma espécie de diário, onde o assassino guardava fotos das vítimas e registrava cada um de seus crimes. Foi a partir de então que a polícia começou a procurar o homem, demorou alguns dias até que o encontrassem.

Um sem-teto estava sentado em um beco quando notou que um homem estava seguindo uma criança. O sem-teto então interviu, resgatou a criança e acionou a polícia e foi assim que Garavito foi preso. Após ser preso, a polícia conseguiu arrancar a confissão do homem, que assumiu ter feito 147 vítimas e que teria enterrado seus corpos. O homem até fez um mapa com os locais aonde as crianças foram enterradas.

O homem foi condenado a pena máxima por assassinato. Foram 13 anos, multiplicados pelos 138 crimes, o que totalizou em 1853 anos e 9 dias. No entanto, 22 anos foram reduzidos de sua pena, já que ele ajudou a polícia a localizar os corpos das vítimas. O máximo de pena que alguém que comete um crime contra crianças deve cumprir é de 60 anos. Garavito está programado para ser libertado da prisão em 2021.

Próxima Matéria
Leticia Rocha
Estudante de Jornalismo, apaixonada por pequi, vendedora de pão de mel e de tudo que colocar na minha mão!
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+