Essas são as características comuns das pessoas que vivem mais de 100 anos
Tempo de leitura:3 Minutos, 39 Segundos

Essas são as características comuns das pessoas que vivem mais de 100 anos

Hoje em dia as pessoas pensam mais em sua vida a longo prazo. O aumento da expectativa de vida permitiu que isso fosse possível e até mesmo mais provável. Mas até que idade você já chegou a se imaginar? Já pensou como você vai estar se alcançar os 100 anos? A estimativa atual do Brasil é de 75,8 anos de acordo com os dados do IBGE de 2016 e esse número tende a aumentar. A 77 anos atrás, em 1940, a idade média era de apenas 45,5 anos. Idade que consideramos hoje o auge da vida adulta. Imaginar que essa representava o final da vida da maioria a tão pouco tempo chega a ser perturbador.

Agora o que alcançar essa idade representa para as pessoas? Mas para que isso seja possível é preciso que se mantenha algumas práticas mais saudáveis. Ou pelo menos nada muito “destrutivo”. Dados feitos em 2015 mostrou que o Japão é o país com a maior taxa de idosos. Sua média chega a 83,7 anos, estando bem próxima dos 83,4 anos da Suíça. Porém, uma pesquisa feita com moradores ao sul da Itália mostrou que a longevidade pode depender de outras questões além das dietas saudáveis, da prática de exercícios e da genética favorável.

Dados

A pesquisa publicada pelo International Psychogeriatrics observou 29 voluntários com mais de 90 anos que viviam espalhados entre 9 aldeias da Itália. Em geral as pesquisas anteriores feitas com idosos com o objetivo de entender os motivos de sua longa vida se baseiam na genética e na saúde física. Esse estudo, diferentemente dos seus antecessores, procurou entender as similaridades entre suas personalidades e o estado de sua saúde mental. Os dados mostraram que em geral os idosos estudados apresentavam alta teimosia e muito otimismo. Se mostrando pessoas positivas, éticas e com resistentes laços familiares, religiosos e naturais.

De forma geral foi possível perceber que para se atingir essa idade é preciso ter um forte propósito de vida. Mantendo laços resistentes seja com a família ou com suas crenças e ideologias. O estudo foi além dos idosos e buscou entender também a situação em que vivia a família dessas pessoas. Descobriu-se que a maioria delas são muito fortes mentalmente, tiveram que enfrentar diversas situações difíceis e até já se encontraram em estado de depressão, dando uma reviravolta na própria história e encontrando seu caminho novamente.

Resultados da experiência de vida

A história de que os mais velhos têm grande conhecimento sobre a vida se mostram verdade nesses casos. As pessoas que se aproximam dos 100 anos têm uma grande capacidade para manter sua sanidade mental e superar os acontecimentos trágicos. Chegar a esse auge da vida faz com que muitos queiram viver esse momento da melhor forma que podem. Eles se mantem ativos e tentam não cair na rotina, sabendo mais como apreciar a vida do que muitos jovens de hoje.

Durante a entrevista muitos dos idosos contaram sobre a importância do pensamento positivo e da superação, dizendo como as pessoas ao seu redor ajudam nesse processo. Alguns desses relatos revelam a história de um homem idoso que ficara viúvo após 70 anos de casado. O abalo daquele fato o deixou extremamente deprimido porém seus filhos foram quem o fizeram superar e resistir por mais tempo.

Outras pesquisas

Os demais estudos à respeito da longevidade das pessoas se baseou, como dito anteriormente, em sua saúde. Também nas questões aderidas pela genética. Essas pesquisas foram realizadas nas chamadas “zonas azuis” e foram realizadas pelo cientista americano Dan Buettner. Essas zonas englobam os locais com maior número de pessoas idosas e inclui o Japão, a ilha Okinawa, a cidade de Loma Linda na Califórnia, a ilha de Ikaria na Grécia, a Sardenha na Itália e a península de Nicoya na Costa Rica.

Seu principal foco foi nos hábitos alimentares. Foi revelado que a maioria se alimentava com alimentos não processados e um grande número de plantas. Ele chegou a conclusão de que 20% da longevidade está relacionada a genética enquanto os outros 80% se devem ao estilo de vida e ambiente.

Chegar a essa idade não é uma tarefa impossível mas também não é fácil. Você provavelmente deve conhecer alguém que tenha chegado a ela ou pelo menos se aproximado bastante. Acha que você conseguirá chegar tão longe ou até já parou para pensar como seria se chegasse?