Curiosidades

Hotéis espaciais: rede Hilton criará quartos da estação Starlab

0

O turismo espacial sempre rodeou nossas mentes e empresas grandes, como SpaceX, Boeing, Virgin Galatic, Blue Origin e SNC, têm projetos para fazer com que esse sonho se torne realidade. O que antes parecia uma coisa exclusiva dos filmes de ficção está mais perto do que nunca de ser real, como por exemplo, hotéis espaciais.

Nesse ponto, a Hilton, uma das maiores redes hoteleiras do mundo, formalizou uma parceria para criar dormitórios da Starlab, estação espacial que deverá operar a partir de 2027.

Esse acordo foi fechado com Voyager e a Lockheed Martin, empresas responsáveis pelo projeto. Ele prevê que a Hilton irá cuidar dos espaços comuns da estação espacial. O objetivo é que essa estação espacial seja usada tanto em pesquisas feitas por cientistas e astronautas quanto na exploração do turismo espacial. Por isso, a empresa que tem vários hotéis pelo mundo foi chamada.

Hilton

G1

A Starlab deverá ter capacidade para hospedar até quatro astronautas e abrigará o parque científico George Washington Carver, que hoje está na Estação Espacial Internacional.

“A Hilton terá a oportunidade de usar esse ambiente único para melhorar a experiência do hóspede em qualquer lugar para o qual ele viage”, disse a presidente da rede hoteleira Chris Nassetta.

Em 2021, a Starlab recebeu 160 milhões de dólares da NASA. Esse valor foi destinado à Nanoracks, espécie de “companhia-mãe” da Voyager, e deve ser usado para que os trabalhos iniciais para o desenvolvimento da estação comecem.

Ainda não se tem muitos detalhes a respeito desse projeto de hotel da Hilton para a Starlab. Contudo, existem outras iniciativas que sinalizam como deverão ser os hotéis espaciais.

Por exemplo, a NASA fechou um contrato com outras três empresas, a Axiom Space, Blue Origin e Northropp Grumman, para mais três estações espaciais. Todas elas fazem parte do “Destination Program”, que tem como objetivo unir pesquisa científica e turismo espacial.

Tudo isso está sendo feito porque a NASA planeja substituir a Estação Espacial Internacional, construída e gerenciada por Estados Unidos, Rússia, União Europeia, Japão e Canadá. Até porque, essa construção que está em órbita desde 1998 deve sair de serviço em 2030.

Hotéis espaciais

Axiom Station

G1

Esse projeto está previsto para entrar em operação em 2024. E esse hotel espacial já tem o seu preço de estadia confirmado. Quem quiser ficar oito dias na Axiom Station terá que desembolsar 55 milhões de dólares, algo em torno de 281 milhões de reais.

Quem fez o visual da estação foi o arquiteto francês Philippe Starck. A ideia é que seja oferecida uma experiência parecida com a de hotéis na Terra. Para a decoração da Axiom Station estão previstos espaços amplos, televisões, computadores e uma espécie de deck espacial para observar o planeta.

Blue Origin

G1

A Blue Origin, companhia espacial do bilionário fundador da Amazon Jeff Bezos, tem o projeto da estação espacial Orbital Reef. A empresa anunciou esse projeto em 2021 e seu objetivo é que ele esteja pronto e em operação em 2027. Esse módulo terá 830 metros cúbicos e conseguirá acomodar 10 pessoas.

Como uma forma de promover o projeto, o filme “Helios”, que começará suas filmagens em 2023, irá mostrar um grupo de astronautas protegendo a estação de uma explosão solar. A história do filme se passa em 2030.

Northropp Grumann

G1

O terceiro projeto para esses hotéis espaciais é a estação da Northropp Grumann. O projeto já recebeu 125,6 milhões da NASA, mas ainda não tem uma previsão de quando irá funcionar.

O principal diferencial dessa estação será o seu posicionamento no espaço. Essa estação ficará em uma órbita mais perto do nosso planeta. A construção da estação da Northropp Grumann está prevista para acomodar oito pessoas.

Fonte: G1

Imagens: G1

Juíza autoriza menino a ter uma mãe e dois pais

Artigo anterior

Virgindade, o mito do hímen que persiste até hoje sem base científica

Próximo artigo