Curiosidades

Importantes descobertas arqueológicas sobre o Egito em 2022

0

A história esconde muitas coisas fascinantes, e é por isso que diversos arqueólogos dedicam suas vidas em busca de informações que nos fazem conhecer um pouco mais sobre os nossos antepassados. Diariamente são feitas excursões à procura de coisas que mostrem um pouco mais sobre sociedades antigas, como os povos que viviam no Egito, Grécia, Roma e vários outros que foram populares.

É de conhecimento de todos que a história é um processo de construção. Quanto mais estudamos, pesquisamos e exploramos, mais completamos momentos importantes do passado. E não podemos pensar que isso é irrelevante, visto que as coisas que descobrimos podem nos fazer ver o mundo de forma diferente. É por esse motivo que estamos sempre mudando nossa visão sobre tudo.

Algumas descobertas arqueológicas foram feitas recentemente no Egito. Essas mudaram, de fato, a forma como os estudiosos viam aquele povo. Graças aos avanços tecnológicos, pesquisadores puderam descobrir alguns elementos do Egito Antigo. Confira conosco quais foram.

Descobertas arqueológicas do Egito que mudaram a história

1. Queijo

Uma descoberta feita em 2018 e outra em 2022, durante escavações em Saqqara, descobriu potes de cerâmica com queijos do Egito Antigo. Eles estavam embrulhados em lonas. De acordo com os estudiosos, aqueles materiais seriam de um período entre 688 e 525 a.C., marcando então o queijo mais antigo já encontrado por lá. Com isso, puderam compreender a dieta do povo e as técnicas que eles utilizavam para fabricar esse alimento.

O queijo estava no túmulo de Ptahmes, o prefeito de Mênfis. Algumas análises mostraram ainda que ele foi produzido por meio de uma combinação de leite de ovelha e cabra.

2. Múmias com língua de ouro

Após escavarem a antiga cidade egípcia de Oxirrinco, os arqueólogos encontraram túmulos da era ptolomaica, quando a cultura egípcia era influenciada pela dominação grega. Entre as descobertas, algumas múmias chamaram a atenção por causa de suas línguas folheadas a ouro.

De acordo com os estudiosos, essa era uma prática antiga que se baseava na crença de que a língua assim permitia que os mortos falassem com deuses como Osíris, que era o deus do julgamento.

3. Blocos de anotações

Arqueólogos encontraram, em 2022, 18 mil cacos de cerâmica. Esses eram usados como “bloco de notas” pelos egípcios. Chamados de óstraca, eles datam do final do período ptolomaico, entre 81 e 51 a.C. Eles estavam cobertos de anotações cotidianas. Essa marca a maior coleção de blocos encontrados no Egito.

Registros comerciais, trabalhos escolares, listas de compras e práticas de escrita estão entre as anotações encontradas. De acordo com pesquisadores, esse material era usado por ser bem barato.

4. Joias

Tel el-Amarna abrigou a capital do Antigo Egito. Essa foi construída pelo faraó Aquenáton. E em 2022 os arqueólogos escavaram o local, onde encontraram os restos mortais de uma jovem. Ela havia sido enterrada com suas joias. Em torno do pescoço ela tinha um colar de pedra-sabão.

Enquanto isso, nas mãos tinham anéis de ouro com desenhos de Bes, o protetor dos lares e defensor do bem. A descoberta foi datada entre 1550 e 1292 a.C., e forneceu aos estudiosos algumas informações sobre os povos que viviam na região.

O povo Telel-Amarna foi forçado ao monoteísmo de forma curiosa, seguindo o atomismo, uma religião que cultuava a deidade solar Aton.

Fonte: Mega

“Imaginei que era lembrança de natal”, diz policial acusada de furtar chocolates

Artigo anterior

Baleias encalhadas causam mancha vermelha na água e assustam

Próximo artigo