Curiosidades

Jovem da à luz em casa sem saber que estava grávida

0

O sonho de várias mulheres pode ser a maternidade. Ser parte do milagre da vida, carregar uma criança em seu ventre, amamentá-la, sentir o vínculo mãe e filho, enfim, são várias coisas que várias mulheres desejam e buscam ter em algum momento. No entanto, por mais estranho que possa parecer, algumas mulheres não sabem que estão grávidas até darem à luz, como foi o caso dessa jovem.

A jovem é Amanda Coelho de Jesus, de 23 anos, que ficou apavorada quando deu à luz sua filha enquanto ela estava sozinha em casa e sem saber que estava grávida. O caso aconteceu em Cuiabá, mais precisamente no bairro Silvanópolis, onde Amanda mora junto com sua mãe.

De acordo com a mãe da jovem, a cozinheira Naira Rosania Soares Coelho, de 39 anos, quando ela chegou em casa, sua filha disse que a bebê estava no quarto. No momento do parto, foi a própria Amanda quem cortou o cordão umbilical da criança.

Grávida sem saber

G1

A mãe da jovem também contou que a filha tem um cisto no ovário e isso deixa a menstruação dela desregulada. Além disso, Amanda tem sobrepeso e por isso ninguém da família percebeu a gravidez.

“Quando eu vi a criança, fiquei surpresa, mas claro que apoiei a minha filha. Até porque ela quis ficar com a neném e muitas mães às vezes nem querem os filhos”, disse Naira.

Como a família e nem mesmo a futura mãe sabiam da gravidez, a família não tinha preparado nenhum tipo de enxoval ou tinha qualquer roupa que a criança recém nascida poderia usar. Apenas quando a vó da criança recebeu sua aposentadoria que ela comprou as coisas básicas que sua neta precisava, como por exemplo, fraldas e roupas.

Registro

G1

Depois do nascimento, Amanda e Naira foram para um hospital de Cuiabá. Quando chegaram lá, um dos médicos fez todos os procedimentos necessários para ter certeza de que a criança tinha realmente nascido da jovem e fez todos os exames necessários para um recém nascido.

Mesmo assim, a jovem e sua filha precisaram ir até o  Conselho Tutelar para conseguir um documento que seria essencial para fazer a certidão de nascimento no cartório. Foi quando as duas encontraram um obstáculo. O cartório não acreditou que a filha fosse mesmo de Amanda.

“Quando chegamos, o pessoal de lá, o Conselho Tutelar, não acreditou muito que a bebê tinha nascido da minha filha e como precisamos desse documento para registrar a menina, disseram que teríamos que fazer um exame de DNA, só que nós não temos dinheiro para isso”, contou a mãe da jovem.

O 3º Conselho Tutelar de Cuiabá, responsável pela região em que a jovem mora, se comprometeu em se pronunciar sobre o caso, mas até o momento não falou nada.

Possibilidade

Claudia

O caso da jovem chama muita atenção pelo fato de ela não saber que estava grávida. Para a maioria das pessoas pode parecer impossível uma mulher não perceber que carrega um bebê em sua barriga.

Contudo, de acordo com a ginecologista Karina Tafner, especialista em endocrinologia ginecológica e reprodução humana pelo Hospital Santa Casa de São Paulo, por mais que todas as mulheres tenham o aumento da barriga durante a gestação, em algumas, o aumento pode ser menor.

Além disso, a gravidez silenciosa também pode acontecer em mulheres com ciclos menstruais muito irregulares ou obesas, como é o caso de Amanda. As mulheres com distúrbios hormonais também podem ter ciclos menstruais muito longos, com intervalos de mais de seis meses, isso dificulta em notar a falta de menstruação como um sinal de gravidez.

Karina também pontua que outros sintomas, que são considerados típicos de mulheres grávidas, podem ou não aparecer na gravidez de todas. Ou seja, enquanto algumas mulheres têm náuseas, vômitos e dores, outras não sentem nada disso. Tudo isso faz com que essas mulheres possam passar pelo período da gravidez sem notar que estão carregando uma criança.

Fonte: G1, Viva Bem

Imagens: G1, Claudia

Moradora de apartamento em São Paulo vê pássaros verdes todo fim de tarde

Matéria anterior

Restaurantes reduzem quantidade de comida para não aumentar os preços dos pratos

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos