Curiosidades

Maior planta do mundo é descoberta na Austrália

0

As plantas são a espinha dorsal de toda a vida na Terra, sendo essencial para o bem-estar do ser humano. É a planta que fornece alimento para quase todos os organismos terrestres, mantém a atmosfera, produz oxigênio e absorve dióxido de carbono durante a fotossíntese.

Por tudo isso não é um exagero dizer que uma planta, por mais simples que pareça, faz toda a diferença. Quando pensamos em plantas, geralmente, não as associamos a um ser vivo gigante. Contudo, pesquisadores da Universidade da Austrália Ocidental e da Universidade Flinder descobriram na costa da Austrália a maior planta do mundo.

A chamada “Posidonia australis” está em Shark Bay, aproximadamente 800 quilômetros ao norte da cidade Perth. Ela conseguiu esse título porque se estende por 180 quilômetros. Além disso, os pesquisadores acreditam que essa erva daninha tenha, pelo menos, 4.500 anos.

Maior do mundo

Quando fizeram a descoberta, os pesquisadores estavam estudando a diversidade genética da Posidonia australis. De acordo com Jane Edgeloe, principal autora do estudo, eles coletaram amostras de brotos de ervas daninhas do outro lado da baía e analisaram 18 mil marcadores genéticos. Com isso, eles criaram uma “impressão digital” para cada um deles.

“A resposta nos surpreendeu. Havia apenas uma! É isso, apenas uma planta expandiu mais de 180 quilômetros em Shark Bay, tornando-a a maior planta conhecida na Terra”, disse ela.

O tamanho não é a única coisa impressionante. A planta também se destaca por conta da sua resiliência. “Ela parece ser realmente resistente, pois experimentou uma ampla gama de temperatura e salinidade, além de condições extremas de luz alta, condições que juntas seriam muito estressantes para a maioria das plantas”, ressaltou Edgeloe.

Depois dessa descoberta, os cientistas montaram vários experimentos em Shark Bay para entender como essa planta conseguiu sobreviver e prosperar sob condições tão variáveis.

Plantas

Mundo boa forma

Está mais do que certo que uma planta é de extrema importância para a vida no nosso planeta. Contudo, elas também podem fazer outas coisas além de suas funções biológicas, como por exemplo, especialistas afirmam que algumas plantas têm a capacidade de promover energias que dão às pessoas a sensação de bem estar.

Felizmente, a diversidade existente de plantas é enorme, o que com certeza dá opções para as pessoas que querem essas boas energias e sensação de bem-estar, mas de repente não é tão fã de determinada planta.

Dentre as que podem trazer essas sensações está o alecrim. Desde os tempos antigos o alecrim é usado por conta de suas propriedades medicinais. Mas no que diz respeito às boas energias, ele é conhecido por atrair amores sinceros e felicidade.

Os especialistas aconselham que essa planta seja cultivada em um vaso. E também que as pessoas coloquem raminhos em sachês de tecido espalhados pela casa para trazer felicidade.

Outro exemplo é o jasmim. Essa planta é conhecida por trazer benefícios para as relações afetivas. Isso porque ela é a planta dos casais. O vaso que tiver jasmim plantado deve ser colocado em um espaço que é compartilhado pelo casal. Isso porque ela atrai boas energias para o casal e reforça a relação e o romance. Além de tudo, o jasmim também irá perfumar o ambiente onde estiver.

Uma planta bem conhecida por suas propriedades capilares é a babosa. Mas muitos podem não saber que ela também tem sua importância no mundo energético.

A babosa é usada em rituais contra a falta de sorte e a inveja porque ela combate as más vibrações. De acordo com as crenças populares, essa planta é conhecida por atrair prosperidade e energias boas. Se a babosa crescer e ficar viçosa é porque ela atrairá boa sorte. Mas se ela murchar, não se apavore. Isso acontece porque ela absorveu as energias más da casa e protegeu seus moradores.

Fonte: G1, Awebic

Imagens: G1, Mundo boa forma

Ministério da Justiça proibe venda de produtos com formato de genitália humana para menores de idade

Matéria anterior

Conheça a origem pagã das festas juninas na Roma Antiga

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos