Segundo autores de um documentário produzido pelo canal Discovey Science, quando eles encontram o navio sinistro, eles imaginaram que se tratava do cruzeiro Mv Liubov Orlova, construído na União Soviética, que havia naufragado há vários anos. Construído em 1976, o navio pesa 4 mil toneladas, com 90 metros de comprimento e capacidade de 110 passageiros. A embarcação realizou diversas viagens por mais de duas décadas. Em 2013, o navio foi perdido na costa de Newfoundland, no Canadá, enquanto era rebocado para ser vendido como sucata.

Desde o seu desaparecimento, não se sabia nada sobre o navio que teria sido deixado à deriva. Até recentemente, quando um grupo de pesquisadores descobriram na costa californiana o esqueleto de um navio de dimensões idênticas às do cruzador russo. Os especialistas acreditavam então que ele era o Liubov Orlova, que teria sido arrastado pela corrente em direção à costa.

Ratos carnívoros

Publicidade
continue a leitura

Navio

Pesquisadores dizem que é provável que existam centenas de ratos com doenças, sem alimento. "Acredita-se que o navio foi invadido por hordas de ratos canibais", porque, literalmente, "não havia mais nada para comer" a bordo, explicou um dos autores do documentário, acrescentando: "Imaginem este navio gigante repleto de roedores vorazes que aparecem na sua praia local, onde você mora ".

Publicidade
continue a leitura

No entanto, depois de análises feita com um satélite, os especialistas determinaram que os restos encontrados foram feitos de concreto. Assim, a hipótese do navio ser o cruzador russo foi anulada, já que seu casco teria sido feito principalmente de aço. Depois de algumas pesquisas, os pesquisadores finalmente chegaram à conclusão de que os restos encontrados pertenciam a outro navio. Um petroleiro abandonado na década de 1930 e mais tarde utilizado por grupos mafiosos como bordéis, cassinos flutuantes e até mesmo para venda ilegal de álcool.

O guarda costeiro irlandês Chris Reynolds disse: “Devemos estar sempre vigilantes. Nós não queremos que os ratos de navios estrangeiros entre na Irlanda. Se vier e terminar em uma costa, tenho certeza de que os moradores locais poderiam estar em apuros devido a esses animais”.

Publicidade
continue a leitura

E aí, o que acharam da matéria? Comenta aí e não se esqueça de compartilhar com os amigos, lembrando que seu feedback é sempre muito importante.

Publicado em: 29/11/17 13h09