Entretenimento

Piloto desenha seringa gigante no céu

0

Durante um trajeto de voo, Samy Kramer, um piloto alemão, traçou uma seringa gigante no céu,mpara celebrar o início da campanha de vacinação do COVID-19 na Europa. A rota, que compôs o formato da seringa, foi mapeada por meio de um dispositivo GPS. O voo, feito um pouco antes do Natal, foi realizado sobre o Lago Constança, no sul da Alemanha, e o trajeto em forma de seringa apareceu no site flightradar24.

“É uma pena, mas ainda há muitas pessoas se opondo à vacinação. Essa foi a única maneira que eu encontrei de fazer essas pessoas pensarem sobre o assunto, afinal, a campanha de vacinação já começou e é extremamente importante”, disse Kramer, em entrevista à Reuters.

De acordo com o piloto, o trajeto com o formato de seringa não foi patrocinado por nenhuma das empresas que estão à frente da produção da vacina. “Desenhei a seringa para mostrar o quão feliz estou. Minha atitude não deve ser vista como publicidade. Sou piloto e a aviação foi um dos setores duramente atingido pela pandemia”, disse Kramer.

Alemanha

A Alemanha iniciou oficialmente sua campanha de vacinação contra o COVID-19 neste sábado, dia 26. O governo que administra o país irá distribuir mais de 1,3 milhão de doses de vacinas para as autoridades médicas, outros profissionais da área da saúde e parte da população que se enquadra dentro do grupo de risco, como por exemplo, os idosos.

A primeira pessoa no país que recebeu a primeira dose da vacina foi Gertrud Haase, de 101 anos. Haase, atualmente, mora em uma residência para idosos, no leste da Alemanha. A partir de janeiro, o país, para atender a demanda populacional, irá distribuir semanalmente cerca de 700 mil doses de vacinas.

O imunizante que será utilizado durante a campanha de vacinação foi desenvolvido pela farmacêutica norte-americana Pfizer em parceria com a farmacêutica alemã BioNTech.

União Europeia

De acordo com uma reportagem publicada pela Agência Brasil, até o momento, a Europa já superou os 25 milhões de casos. Ao todo, 546 mil mortes foram ocasionadas pelo novo coronavírus. Além da Alemanha, Áustria, França, Itália, Grécia, Portugal, Espanha e República Tcheca também iniciaram o programa de vacinação em massa.

Em todos os países o plano é o mesmo. Ou seja, os primeiros a receberem as primeiras doses são os profissionais da área da saúde e, em seguida, os idosos. Na Itália, onde a pandemia já resultou na morte de mais de 70 mil pessoas, a enfermeira Claudia Alivernini, de 29 anos, foi uma das primeiras da área da saúde a receber a primeira dose da vacina.

Parte dos profissionais de saúde do hospital Lazzaro Spallanzani, em Roma, também foram vacinados. “É o começo do fim”, disse Nicola Zingaretti, líder da região do Lazio e líder do co-governante Partido Democrata da Itália.

Para atender a todos, alguns países europeus tiveram de convocar médicos aposentados. Além disso, outras nações também tiveram que readaptar regras sobre quem tem autorização para aplicar injeções.

Imunizar a população não é o único desafio dos países da União Europeia. Outro fator que precisa de uma atenção minuciosa por parte das autoridades é a conservação da vacina, que usa uma nova tecnologia genética de mRNA e, por isso, deve ser armazenada em temperaturas menores de 80 graus Celsius negativos.

“Temos uma nova arma contra o vírus: a vacina. Precisamos nos manter firmes, mais uma vez”, tuitou o presidente francês Emmanuel Macron. O líder do governo da França testou positivo para o coronavírus neste mês. Macron deixou a quarentena na véspera de Natal.

Como a adoção de animais de estimação influencia o mercado?

Matéria anterior

Veja as novidades que chegarão na Netflix em janeiro de 2021

Próxima matéria

Você pode gostar