Curiosidades

Qual a explicação para a morte de 6 mil ovelhas nos EUA?

0

Em 17 de março de 1968, depois da meia noite, Keith Smart, diretor de epidemiologia e ecologia do Campo de Testes de Dugway, foi acordado pelo barulho do seu telefone tocando. A ligação foi realizada por Dr. Bode, professor da Universidade de Utah, que informou que mais de 3 mil ovelhas tinham morrido misteriosamente, em fazendas encontradas em Skull Valley, a aproximadamente 43 quilômetros da base de pesquisa.

No mesmo dia, o número de mortes aumentou. Ao todo, mais de 6 mil morreram. As que sobreviveram, estavam agonizando e precisaram ser sacrificadas por veterinários chamados ao local. Aves e coelhos selvagens também foram atingidos por esse fenômeno.

Causa da morte das ovelhas

Guia Animal

Devido aos documentos estudados, a teoria mais aceita atualmente é que a liberação do composto VX, usado como arma química, foi responsável pelas mortes dos animais. Considerada a arma química mais poderosa, esse é um neurotóxico de efeito rápido e de alta letalidade, podendo permanecer no ambiente por um longo tempo. Por isso, o Exército dos Estados Unidos foi tido como o maior suspeito.

Contudo, as forças armadas negaram estar ligadas ao caso. Após isso, foram descobertos documentos que provam que, em 13 de março de 1968, os militares fizeram três testes separados envolvendo armas químicas. No último deles, uma aeronave lançou um agente químico no deserto de Utah, a aproximadamente 40 quilômetros de distância de Skull Valley. 

Amostras de neve e grama do local demonstraram a presença do agente VX. Esse material teria sido conduzido até as fazendas pelos fortes ventos da região. Estima-se que as ovelhas que estavam mais próximas do local de teste foram afetadas primeiro e com maior gravidade.

Versão do Exército

iStock

De acordo com o Exército, as provas eram circunstanciais, e outros fatores, a exemplo de pesticidas utilizados pelos próprios fazendeiros, podem ter causado as mortes das ovelhas.

A partir da data de fundação do campo de testes, em 1941, grande parte das ações feitas ali são mantidas em segredo. Este local possui uma área de mais de 3 mil quilômetros quadrados, e é uma mistura de laboratórios, áreas de testes e fortes militares. O objetivo da sua construção foi ser um lugar seguro e remoto para abrigar testes controlados de armas químicas e biológicas. Além disso, ocorriam testes de bombas aéreas e de trajes de proteção.

Acredita-se que os seres humanos não foram atingidos pela exposição ao agente químico. Isso porque os exames feitos em moradores de Skull Valley não mostraram nada de errado com eles. Porém, a família Peck, que vivia próxima ao local atingido, afirmou ter sofrido dores de cabeça, crises de paranoia e abortos espontâneos.

Os fazendeiros receberam 1 milhão de dólares de indenização pagos pelo Exército, porém, ele nunca assumiu a culpa pelo caso. Após isso, a Dugway Proving Ground foi envolvida em uma longa discussão sobre o papel do governo dos Estados Unidos no desenvolvimento de armas químicas e biológicas.

Vale lembrar que essa base militar segue funcionando até os dias atuais. De acordo com o Kenneth King, em Germs Gone Wild, um agente aposentado que trabalhou em Dugway, em 1968, afirmou que os testes realizados com o VX foi a causa para a morte dos animais. “Nós os matamos, e nós sabemos disso”.

Fonte: Aventuras na História

Os bungee jumps mais altos do mundo

Matéria anterior

10 maiores animais do mundo

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos