Entretenimento

Supermercado de Belém vende caixas de papelão e gera revolta

0

Fazer compras no supermercado já não tem sido uma experiência das mais baratas. Agora imagina se as caixas de papelão para levar os produtos também começarem a ser taxadas… Em Belém, isso gerou polêmica nas redes sociais, após um internauta expor no Twitter a cobrança por esse compartimento.

Nesta rede social, a publicação já alcançou 15 mil retweets e 134 mil curtidas. Nos comentários, as opiniões se dividem entre pessoas que se indignaram com a cobrança e usuários que defendem a taxação deste item que costuma ser concedido de graça.

Fonte: Reprodução / Twitter

1 real a unidade

Basicamente, em uma grade cinza, amontoam-se diversas caixa de papelão  no Supermercado Preço Baixo. Pelo lado de fora do cercado, uma placa chama a atenção: “Caixa vazia / 1,00”.

A imagem dessa cobrança foi para o Twitter com a legenda: “Ninguém aguenta mais o que o Brasil virou”. De acordo com o comércio que ambienta a foto, o estabelecimento não cobra pelas caixas vazias, as quais podem servir ao uso do cliente de forma gratuita.

No entanto, ainda conforme explica a nota da empresa, houve um engano na anexação de placas. Sendo assim, o informe que era para ficar nas caixas de ovos acabou ficando na grade em que estavam as caixas de papelão.

“O grupo informa ainda que possui a comercialização de caixas de ovos (que são maiores e são muito procuradas por clientes e empresas para realizar mudanças ou mesmo armazenamento de materiais), pelo valor de 1,00 cada”, diz a nota.

Fonte: Dom Juan

Ainda que, supostamente, houvesse um engano ali naquela situação, os internautas se dividiram entre opositores e defensores da cobrança. Um usuário do Twitter fez uma reflexão do que pode ser o futuro das idas ao supermercado.

“Ué..pq será q de uns tempos pra cá pegou a moda de pôr preço em tudo? Até um tempinho atrás era comum supermercados e lojas deixarem um canto com caixas pras pessoas pegarem….Quando tudo for precificado tudo vai ser piorado…aguardem…”

Por outro lado, uma pessoa achou um viés ambiental na venda das caixas de papelão. “Mas sou a favor da cobrança de caixas e sacolas plásticas, pq só assim as pessoas diminuem o uso e passam a querer comprar as retornáveis, pq veem q elas durarão para outras compras”, defende a internauta.

Reciclagem do papelão

Cobrando ou não cobrando, a reciclagem do material que faz essas caixas é fundamental na busca por um planeta com melhores condições ambientais no futuro. Afinal, conforme aponta um estudo de 2011, do Centro Universitário de Brasília, o consumo de papel no Brasil foi recorde nas décadas de 90 e 2000, superando as décadas anteriores.

Fonte: cottonbro

Ou seja, é preciso encontrar um destino a esse “resíduo” que na verdade tem muita utilidade se seguir os caminhos corretos após o uso. Na reciclagem, o primeiro passo que se dá é triturar este material, até que ele vire uma espécie de pasta de celulose.

Em seguida, a indústria verde faz o processo de peneiração, com o intuito de retirar impurezas, como as inúmeras fitas adesivas que as pessoas pregam no papelão. Então, o material segue para um processo químico com água e soda cáustica, a fim de remover a tinta da massa reciclável.

Por fim, aquela pasta de celulose passa por um processo físico que fortalece as ligações entre as moléculas do material. Dessa forma, se obtém uma matéria-prima em perfeitas condições de ir para a máquina que produz o papelão na forma como conhecemos.

Portanto, com a reciclagem e o reuso deste elemento, é possível conseguir efeitos ambientais positivos, como diminuição da extração de madeira, redução da energia gasta e do dióxido de carbono liberado com a produção do material na forma convencional.

Fonte: G1, Faciles.

Anvisa recolhe remédio de hipertensão por possível contaminação durante a fabricação

Matéria anterior

Proibição da venda de carros a combustão é aprovada na Europa

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos