Curiosidades

Tecidos roxos que são citados na Bíblia são encontrados pela primeira vez

0

A arqueologia é a ciência responsável por estudar culturas e civilizações do passado. E através das descobertas arqueológicas, vestígios de antigas sociedades e culturas são descobertos. E assim, conseguimos compreender melhor como viveu determinado povo, quais eram seus hábitos e costumes. E até mesmo, o que levou ao seu fim.

Ao longo de nossa história, arqueólogos realizaram inúmeras descobertas, que mudaram a forma como vemos nossa própria história. A Bíblia é um dos livros mais vendidos e lidos no mundo inteiro. Podemos definir como uma fascinante parte da literatura até os dias atuais. Esse livro é composto de histórias que contam, desde a passagem de Jesus Cristo pela Terra até o pós, quando o líder cristão finalmente retornou aos céus e deixou a humanidade para tomar um novo rumo.

Algumas das histórias parecem um tanto confusas para algumas pessoas que leem por mostrarem um reflexo divino na natureza humana, seja em sua boa ou má glória. Alguns utilizam dos ensinamentos ali explícitos para se inspirar e viver melhor. Outros se aprofundam com um tipo de análise mais crítica para melhor interpretação.

O livro sagrado do cristianismo é refutado várias vezes. Mas em determinadas situações, os arqueólogos acabam achando vestígios de coisas descritas no livro. Um exemplo disso são os tecidos roxos citados na bíblia e que foram encontrados no Vale do Timna, no sul de Israel.

Esses tecidos são um reflexo da riqueza dos habitantes dessa região no período dos reinados de Davi e Salomão. Os pedaços de tecidos foram descobertos durante escavações arqueológicas em Timna. Esse local era um antigo centro de produção de cobre, de acordo com o que disse a Autoridade de Antiguidades de Israel (AIA) em um comunicado feito junto com as universidades de Tel Aviv e Bar Ilan.

“É a primeira vez que tecidos tingidos de roxo e da Idade do Ferro são descobertos em Israel e no Levante mediterrâneo”, informou o comunicado.

Tecido

Segundo a datação feita por radiocarbono,  as fibras são de aproximadamente mil anos antes da nossa era. Isso quer dizer que elas datam da época do reinado de Davi e Salomão, de acordo com a bíblia.

“”Na Antiguidade, as vestimentas roxas eram associadas à nobreza, aos sacerdotes e, é claro, à realeza. A magnífica tonalidade violeta, o fato de não desbotar e a dificuldade de produção deste corante, que se encontra em diminutas quantidades nos corpos de pequenos moluscos tornam o púrpura real uma cor de prestígio que costumava ser mais cara que o ouro”, explicou Naama Sukenik, curadora da AIA.

Até o momento, somente conchas de moluscos e cerâmicas com machas roxas tinham sido descobertas. Isso indicava que existia uma indústria do corante roxo. “Esta é a primeira vez que temos evidências diretas de tecidos tingidos e preservados por 3.000 anos”, disse a pesquisadora.

Segundo Erez Ben-Yosef, professor do Departamento de Arqueologia da Universidade de Tel Aviv, encontrar esses tecidos permitem que o conhecimento a respeito do reino de Edom, que era povoado por tribos nômades, seja aprofundado.

“As novas descobertas reforçam nossa hipótese de que havia uma elite em Timna, mostrando que se tratava de uma sociedade estratificada”, disse ele.

Turbilhão de água de banheira revela mecanismo da física do buraco negro

Matéria anterior

7 famosos que só ficaram melhor com o passar do tempo

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos