Tempestade geomagnética é iminente e com ela vem as auroras
Tempo de leitura:2 Minutos, 39 Segundos

Tempestade geomagnética é iminente e com ela vem as auroras

Para aqueles que não sabem, a aurora boreal é o fenômeno causado pelo choque do plasma solar com partículas da atmosfera, após o contato com o campo magnético da Terra. No hemisfério Norte, se chama Aurora Boreal, e no hemisfério Sul, Aurora Austral.

Em suma, o nome “aurora” e “borealis” veio dos gregos que pensavam que as luzes que estavam no céu eram a deusa da aurora andando em sua carruagem no céu. Outros povos também tinham suas crenças sobre o que esse fenômeno natural era.

Se você é uma dessas pessoas que adoram fenômenos espaciais e mora em uma latitude alta, hoje é o dia de você pegar sua câmera. Isso porque, as agências meteorológicas espaciais estão prevendo uma tempestade solar para hoje, segunda-feira. A tempestade será de leve a moderada com possibilidade de aurora.

Previsões

As previsões para a tempestade foram emitidas pela Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA (NOAA) e o British Met Office. Ela deve ser o resultado de várias ejeções de massa coronal solar (CMEs) e ventos solares que serão liberados de um “buraco” que se abriu na coroa do sol.

Ao todo, podem existir até quatro CMEs que podem afetar nosso planeta. Mas não isso não é uma questão de preocupação. Essa tempestade chegará até o nível G2, que é relativamente ameno na escala que contém cinco níveis.

Nas latitudes altas, a tempestade G2 pode causar flutuações na rede elétrica. Além de também poder alterar a orientação do satélite aumentando o arrasto na órbita baixa da Terra. A propagação de rádio de alta frequência também pode diminuir.

“Aurora pode ser vista em níveis tão baixos quanto Nova York, Wisconsin e Washington”, escreveu a NOAA em um comunicado.

Tempestades solares

Essas tempestades solares são uma parte bem normal do clima espacial. E no próximos anos, provavelmente, se pode esperar mais delas. Elas acontecem no formato de CMEs e ventos solares quando o sol fica um pouco turbulento. Isso acaba provocando interrupções no campo magnético da Terra e na alta atmosfera.

“Existem quatro CME que podem afetar a Terra. Três deles podem chegar separadamente ou como um único recurso combinado durante 27 de setembro, com um outro CME talvez olhando para a Terra mais tarde em 27 ou durante 28 de setembro. Um buraco coronal de vento rápido também pode afetar a Terra em 27 e 28 de setembro, embora quaisquer efeitos desse vento são considerados incertos. Há também um risco baixo de que os CMEs e os ventos rápidos possam afetar a Terra em momentos semelhantes, proporcionando um efeito maior. Se atenuaria quaisquer melhorias durante os dias 28 e 29 de setembro”, explicou o British Met Office.

E segundo a previsão da aurora do Clima Espacial, se tem um nível de Kp 6 no índice Kp de 10 pontos. Isso quer dizer que existe uma grande possibilidade de uma aurora brilhante e dinâmica com uma corona auroral.

Além disso, também se pode esperar mais tempestades solares nos próximos meses e anos. Até porque o sol está entrando em seu período mais ativo do seu ciclo de 11 anos.

Fonte: https://www.sciencealert.com/a-solar-storm-is-coming-and-we-might-be-in-for-aurorae