Notícias

Turma da pequena Laurinha conseguiu integrar alunos com autismo através da música

0

Recentemente, a pequena diva Laurinha se tornou uma revelação do Espaço de Desenvolvimento Infantil Medalhista Olímpico Sérgio Dutra Santos, o EDI Serginho. Isso porque ela encantou a todos com sua voz lírica potente, o que afetou até os alunos com autismo.

Porém, as aulas de música da creche do Batan, localizada na Zona Oeste no Rio foram responsáveis por transformar a vida não só de Laurinha, mas de todos os colegas. Na sua sala, tem dois alunos com autismo, o Matheus e o Guilherme. Assim, as músicas de Laurinha os ajudaram a começar a interagir.

Assim sendo, Matheus só conseguia assistir às aulas com um fone no ouvido, mas as rodas musicais deixaram o aluno mais integrado na turma. “Ele começou a ficar mais calmo. Ele é uma criança agitada. Quando começa a introdução da música na sala, que a professora traz o violão, isso acalma ele. É muito bacana”, disse Ana Claudia Veloso, mãe do Matheus.

A rede municipal de educação do Rio possui 20.100 alunos especiais em projetos de inclusão, e o canto de Laurinha que conquistou o Brasil nasceu do grupo.

“Essa turma desenvolveu muita sensibilidade em ajudar uns aos outros”, contou a professora Andréia Custódio.

“Numa dessas rotinas, logo no início do ano, fizemos um show de talentos na sala para incluir. Laura falou: ‘Eu canto ópera’. Eles não estão acostumados a ouvir ópera, muito menos de uma criança. Para a gente foi uma surpresa”, narrou.

Inclusão

Laurinha e seus colegas

Reprodução/TV Globo

“O Guilherme, na hora, estava deitadinho. Ele se levantou, começou a bater palmas e quis fazer igual a ela. E despertou admiração”, acrescentou.

Assim sendo, no Museu do Amanhã, todos os colegas estavam juntos na apresentação que fez sucesso na internet. “Seja na música, seja no teatro, seja escrevendo, seja dando uma aula, o papel da escola é esse, de potencializar o talento de cada criança. Estamos muito felizes com tudo isso que está acontecendo”, disse a diretora Jamile Bueno.

Laurinha

Laura Gabrielly, de apenas 5 anos, viralizou após um vídeo em que canta “A Baleia é amiga da sereia” que fez sucesso nas redes sociais. A apresentação aconteceu no dia 2 de junho, no Museu do Amanhã, durante o programa Rio Alfabetiza, da Secretaria Municipal de Educação.

Assim, depois de tamanha repercussão, a mãe da Laura passou a apresentar a filha no Instagram como “Cantora lírica em descoberta”. Já Laurinha ficou feliz com o sucesso de seu talento nas redes sociais e agradeceu aos novos seguidores.

MPF defende obrigatoriedade de terapias para autismo nos planos

O Ministério Público Federal deu 10 dias para que a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) esclareça que as operadoras de planos de saúde continuam obrigadas a oferecer terapias para autismo, apesar da decisão do Superior Tribunal de Justiça.

Assim sendo, o MPF afirma que o objetivo da ação é assegurar o tratamento integral aos beneficiários de planos de saúde diagnosticados com autismo. O MPF pediu que a ANS realize ampla divulgação e esclareça às operadoras que elas possuem obrigação de arcar com número ilimitado de sessões com psicólogos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos ou fisioterapeutas para pacientes com autismo, desde que haja indicação médica.

Em julho de 2021, a agência derrubou o limite de sessões terapêuticas. Além disso, o órgão determinou que a ANS deve reforçar a cobertura obrigatória das terapias aplicadas no ABA (Análise do Comportamento Aplicada, em tradução livre). Desse modo, o tratamento foca no ensino intensivo das habilidades para que o paciente com autismo possa alcançar a independência.

Essa recomendação é assinada pelo subprocurador-geral da República, Luiza Augusto Santos Lima, assim como pelos procuradores da República Mariane Guimarães de Mello e Hilton Araújo de Melo.

Fonte: G1

A expedição que provou que os dinossauros botavam ovos

Matéria anterior

Por que as pessoas têm pesadelos?

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos