As pessoas são fascinadas com o quarto planeta do Sistema Solar, desde que o descobriram. Marte, depois do nosso, é o mais popular, e isso por vários motivos. Algumas pessoas alimentam a teoria de que há vida no enorme planeta vermelha. Outras dizem que os extraterrestres que vemos em tantas histórias partiram de lá. Já os cientistas o veem com outros olhos e estudam a possibilidade de habitá-lo. Marte foi sempre uma grande fonte de mistérios.

Ele é um dos planetas mais misteriosos do nosso sistema solar. E também um dos mais discutidos. Existem diversas teorias envolvendo o planeta vermelho, inclusive de que há vida por lá. Alguns estudos mostram água e até mesmo bactérias presentes por lá, mas ainda não há provas de que existe vida no planeta.

Com o passar dos anos, as pesquisas vão ficando mais intensas e os robôs enviados para lá nos dão informações e imagens cheias de detalhes. Assim as descobertas a respeito do Planeta Vermelho não param.

Um instrumento que nos deu várias imagens da superfície de Marte foi o HiRISE (Experimento Científico de Imagem de Alta Resolução) no Mars Reconnaissance Orbiter (MRO) da NASA. Ele está na órbita de Marte desde março de 2006. E ficou muito além do tempo da sua missão.

Imagem

Publicidade
continue a leitura

Um dos mais recentes chamados Hi-PODS, que é uma sigla para HiRISE Pictures of the Day, é um que mostra as rochas sedimentares em Marte sendo corroídas. Essa imagem é da região Meridiani Planum em Marte. Ela fica perto do "equador" do planeta. Essa é a mesma região que o rover Opportunity pousou em 2004.

A imagem foi feita de dentro de uma cratera de impacto enorme. Mas as bordas dessa cratera ficaram de fora da imagem. E a rocha que está deitada dentro dessa cratera foi deitada pelo vento ou então pela água.

Publicidade
continue a leitura

O fundo da cratera foi coberto por sedimentos, mas eles foram corroídos ao longo do tempo pelo vento. Esses sedimentos foram depositados em camadas. E a erosão, que veio depois, revelou um padrão parecido com o de uma escada. Esse depósito de sedimentos já foi muito maior. Mas agora isso é tudo o que resta.

Essa região do Meridiani Planum merece um destaque principalmente pela presença de hematita. Ela está relacionada com a presença de água líquida no planeta. Ela pode precipitar para fora da água e formar sedimentos no fundo de um poço de água ou então de fontes termais. Exatamente por isso que o Opportunity  foi enviado para essa região de Marte.

Catálogo

Publicidade
continue a leitura

Uma das descobertas do rover foram esferas de hematita chamadas mirtilos, o que mostrava que a água já tinha sido presente ali. Na época a descoberta causou uma comoção muito grande.

Com relação ao Mars Reconnaissance Orbiter, e seu instrumento HiRISE, ele ainda está trabalhando muito. Ele não é apenas uma câmera em órbita. Ele é um link de comunicação para as missões em Marte, e um replicador de dados bem rápido para o rover Curiosity. E no futuro também será para o Perseverance.

E ele também fez um catálogo de imagens do Planeta Vermelho que vale a pena olhar. Clique aqui e veja.

Publicado em: 14/05/20 16h08