Vídeo incrível mostra como é estar dentro de um furacão
Tempo de leitura:2 Minutos, 51 Segundos

Vídeo incrível mostra como é estar dentro de um furacão

Em suma, os furacões nada mais são do que redemoinhos de tempestade gigantes que assolam várias regiões da Terra. Conhecemos eles bem principalmente pela frequência com que acontecem na América do Norte e também com que aparecem na cultura pop ocidental. Felizmente, esse fenômeno não é muito frequente no Brasil.

No entanto, não é sempre que se pode ver como é dentro de um. Contudo, é exatamente isso que as imagens feitas pela Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA) mostra. A única coisa que se precisa fazer para ver como é dentro de um furacão é entrar no YouTube.

Se filmou o vídeo dentro do furacão Sam, no dia 30 de dezembro de 2021, através de um drone à vela chamado Saildrone Explorer SD 1045. Esse veículo de superfície sem parafusos (USV) teve que enfrentar ventos fortes de 193 quilômetros por hora e ondas altas.

Dentro do furacão

O furacão Sam foi um furacão de categoria 4. E o vídeo mostra que por mais que se tenha uma curiosidade em saber como é dentro de um furacão, você não iria querer estar realmente no meio dele.

O drone SD 1045 tem o objetivo de coletar dados em tempo real que podem ser usados para melhorar os modelos de previsão dos furacões. Ele é equipado com uma “asa de furacão” especial. Isso faz com que ele consiga operar e continuar gravando mesmo nas condições extremas dentro do furacão.

“Saildrone está indo aonde nenhum navio de pesquisa jamais se aventurou, navegando direto no olho do furacão, coletando dados que transformarão nossa compreensão dessas poderosas tempestades. Depois de conquistar o Ártico e o Oceano Antártico, os furacões foram a última fronteira para a sobrevivência de Saildrone. Estamos orgulhosos de ter projetado um veículo capaz de operar nas condições climáticas mais extremas da Terra”, disse o fundador e CEO da Saildrone, Richard Jenkins.

O Saildrone Explorer SD 1045 mede sete metros de comprimento e é composto com sensores meteorológicos e oceanográficos para coletar dados. Além de microfones e câmeras. O drone é alimentado pela luz solar e pelo vento. E usa a inteligência artificial de aprendizado de máquina para analisar vários dados conforme eles chegam.

Quem opera o drone é um piloto humano através de um link de satélite que pode sobreviver por mais de um ano no mar. Atualmente, existem cinco deles no atlântico.

Tecnologia

O furacão Sam, analisado em questão, foi o mais duradouro e intenso da temporada de 2021 no oceano atlântico. E felizmente ele não chegou a atingir a terra.

No futuro se pode usar essa tecnologia para rastrear o progresso dos furacões conforme eles vão se desenvolvendo. Com isso, se pode salvar várias vidas dando um aviso prévio do que esses sistemas de tempestades podem fazer depois.

“Usando dados coletados por vela-drones, esperamos melhorar os modelos de previsão que prevêem a rápida intensificação de furacões. A rápida intensificação, quando os ventos do furacão aumentam em questão de horas, é uma séria ameaça para as comunidades costeiras. Novos dados de velas e outros sistemas desenroscados que a NOAA está usando nos ajudarão a prever melhor as forças que impulsionam os furacões e serão capazes de alertar as comunidades mais cedo”, concluiu o oceanógrafo Greg Foltz, da NOAA.

Fonte: https://www.sciencealert.com/amazing-ocean-drone-video-shows-what-it-was-actually-like-inside-hurricane-sam