5 diferenças entre o anime e o mangá de Yu-Gi-Oh!

POR Ana Monteiro    EM Fatos Nerd      24/07/17 às 18h28

O mangá de Yu-Gi-Oh foi lançado em 1996, e os seus capítulos eram publicados semanalmente na revista Weekly Shounen Jump, que também é famosa por títulos como Naruto, One Piece e Hunter X Hunter. A história gira em torno do garoto Yugi, que ganha um artefato de seu avô chamado Enigma do Milênio, dentro do objeto vive a alma de um antigo faraó egípcio que o ajuda em várias ocasiões. Junto com seus amigos, o protagonista é um grande fã do jogo Monstros de Duelo, mas acaba descobrindo que o jogo tem um lado bem mais sombrio ligado ao reino das trevas.

A intenção do autor, Kazuki Takahashi, era desenvolver uma trama sombria sobre sacrifício e reencarnação sem que os personagens entrassem em conflitos físicos. Dessa forma, a forma de resolver os impasses seria através de um jogo de cartas. Ou seja, a decisão de cada conflito dependia da sorte de sacar as cartas certas e das estratégias desenvolvidas pelos duelistas.

A adaptação da trama do mangá para animação perdeu um pouco da questão sombria e se preocupou mais em manter uma narrativa divertida que promovesse o jogo de cartas, além de censurar várias questões para que a distribuição fosse maior. Por conta disso, o mangá e o anime tomam rumos bem diferentes. Confira agora algumas das mudanças feitas em Yu-Gi-Oh.

1 - Duke Devlin

Após resgatar seu avô e retornar do Reino dos Duelistas, Yugi e sua turma conhecem Duke Devlin (o nome original do personagem é Ryuji Otoji), um grande fã do trabalho de Pegasus e que desenvolveu seu próprio jogo: Monstros dos Dados Masmorra. O rapaz nutre um grande ódio por Yugi, pois graças aos acontecimentos de Reino dos Duelistas, seu ídolo não lançará mais o produto que ele desenvolveu. No mangá, Duke Devlin é instigado por seu pai a duelar com Yugi, pois anos atrás ele duelou contra seu avô no reino das sombras e a derrota o fez envelhecer mais rapidamente. O ódio do pai de Duke por Yugi é tão grande que ele chega a roubar o Enigma do Milênio.

2- Faraó assassino

Yugi e o faraó são protagonistas muito bons e sempre resolvem os problemas com justiça e o poder da amizade, certo? Errado. Apesar da 4Kids ter apresentado uma versão muito tranquila da história, as coisas são mais pesadas no mangá. Se as mães dos anos 2000 já surtavam com pastores evangélicos afirmando que as cartinhas de Monstros de Duelo eram armadilhas de satanás, imagina se soubessem que nos primeiros capítulos do mangá o faraó aprisionou um estudante de ensino médio numa ilusão sem fim, permitiu que um homem fosse picado por um escorpião, eletrificou uma gangue de valentões e permitiu que um criminoso fosse queimado vivo? Alguém avisa o rapaz que no mundo atual as coisas não se resolvem assim e que essas punições podem ficar lá no Egito Antigo mesmo.

3 - Mortes

Yu-Gi-Oh é muito mais violento no mangá. Para você ter uma ideia o vilão Marik quase envenenou Tea, Panik eletrocuta Yugi, Yugi tortura Kaiba, Bakura mata Bonz. Mas o mais chocante foi que Pegasus não expulsou Bandit Keith de seu castelo através de uma armadilha de fundo falso. Na verdade, quando Keith ameaça o criador de Monstros de Duelo com uma arma, ele usa os poderes do seu Olho do Milênio para obrigar o rapaz a dar um tiro na própria cabeça. Se isso não for o bastante para você, Bakura é o responsável pela morte de Pegasus já que enfia os seus dedos na cavidade ocular do adversário para roubar o seu Olho do Milênio. E isso tudo porque o autor não queria que os conflitos se resolvessem na violência. Imagina se quisesse.

4 - A família de Joey

O único membro da família de Joey que conhecemos no anime é a sua irmã Serenity que está prestes a ficar cega.  As menções sobre os pais dos dois se limitam a dizer que eles se divorciaram e Joey ficou com o pai enquanto a irmã ficou com a mãe. No mangá, o pai do jovem é uma pessoa abusiva que o agride verbal e fisicamente, além de ser um alcoolatra e viciado em jogos de azar. Por conta disso, Joey começa a trabalhar muito cedo para pagar as dívidas que ele cria. O fato de seu baralho ter monstros com habilidades de sorte como o Mago do Tempo é uma referência a esse detalhe da história de Joey.

5 - A morte do pai de Seto Kaiba

Quando crianças, Seto e Mokuba viviam num orfanato. Quando o famoso empresário Gozaburo Kaiba visita o local, Seto o desafia numa partida de xadrez em que se ele vencesse, Gozaburo teria que adotar tanto ele quanto o seu irmão. Apesar do empresário ser muito bom no jogo, o incrível intelecto de Seto faz com que ele vença a partida. Sabemos nas primeiras temporadas, que Seto Kaiba assumiu a empresa após a morte de seu pai e num arco de filler a explicação é de que ele transferiu sua personalidade para um computador da Corporação Kaiba. Boa parte dessa temporada se passa na realidade virtual e tem Noah, o filho de Gozaburo Kaiba, como vilão. No mangá, a história foi outra: Seto assumiu a empresa e por conta disso o personagem cometeu suicídio pulando de sua janela.

Você é um fã de Yu-Gi-Oh? Qual é o seu monstro preferido? E qual outra diferença sobre o mangá e o anime você conhece? Conta para a gente nos comentários.

Ana Monteiro
Cresceu com um Mega Drive, um Super Nintendo e muitos desenhos animados. Estudante de cinema, violinista, entusiasta de narrativas de fantasia e presença garantida em mesas de RPG. Muito tsunderismo em apenas 1,54 de altura. @HeartillyR_

Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+