Curiosidades

7 cenas de filmes que causaram problemas judiciais

0
(L-r) BRADLEY COOPER as Phil, ED HELMS as Stu and ZACH GALIFIANAKIS as Alan in Warner Bros. Pictures’ and Legendary Pictures’ comedy “THE HANGOVER PART II,” a Warner Bros. Pictures release.

Muitas coisas, podem acontecer durante a preparação, produção e gravação dos filmes que estamos acostumados assistir já finalizados nos cinemas. São inúmeras as etapas e o número de envolvidos nessas produções. Em suma, a verdade é que a grande maioria das pessoas nunca terá dimensão de todo o trabalho que é fazer um bom filme.

Dessa forma, com todas essas pessoas envolvidas, com tantas etapas, é quase impossível que não ocorram alguns incidentes, e até mesmo acidentes, ao longo de todo o projeto. Bem como discordâncias e conflitos. Portanto, processos e ações judiciais também não são incomuns. Pensando nisso, hoje, preparamos uma lista com algumas cenas de filmes, que acabaram resultando em problemas judiciais para atores, produtores e estúdios. Confira!

1 – Resident Evil 6: O Capítulo Final (2016)

Durante as filmagens do último filme da franquia Resident Evil, a dublê, Olivia Jackson, sofreu graves ferimentos. Jackson realizava uma cena em que a personagem, Alice, interpretada por Milla Jovovich, atravessa um deserto zumbi, quando colidiu com uma grua, que não foi levantada a tempo. A dublê foi induzida ao coma e passou cerca de duas semanas neste estado.

Entre os graves ferimentos que sofreu, Jackson teve o braço esquerdo amputado. Posteriormente, Jackson entrou com uma ação judicial, contra os produtores do longa-metragem. Além do mais, ela alega que precisou realizar a cena de última hora, com o mínimo de preparação, em condições de mau tempo.

2 – O Aprendiz (1998)

Em um determinado momento do filme de Bryan Singer, O Aprendiz, o jovem Todd  imagina seus colegas como prisioneiros judeus, em uma câmara de gás. Depois que a cena foi filmada, um garoto, de 14 anos, entrou com uma ação judicial, contra os produtores do filme. Ele alegou que foi solicitado a se despir para a cena, o que ele se recusou a fazer na ocasião.

Outros dois meninos, de 16 e 17 anos, também fizeram acusações similares. Um deles chegou a atender a solicitação do diretor. Os jovens disseram terem ficado traumatizados com tudo que aconteceu. As indenizações, pedidas por eles, foram baseadas em questões como sofrimento emocional, negligência e invasão de privacidade.

3 – Encontro de Casais (2009)

No longa de 2009, o personagem Joey se masturba, utilizando um panfleto no qual a ex-modelo, Irina Krupnik, aparece estampada. A cena acabou resultando em uma ação judicial contra o filme. Krupnik pediu como indenização US$ 10 milhões, alegando invasão de privacidade e apropriação indevida, uma vez que ela sequer foi consultada ou concordou com o “contexto quase pornográfico”, no qual a imagem foi inserida. Entretanto, o juiz rejeitou o processo e, basicamente, nada fez em relação a toda situação.

4 – Trapaça (2013)

Um processo judicial foi movido devido a uma cena em que Rosalyn Rosenfeld (Jennifer Lawrence) diz a seu marido, Irving (Christian Bale), que leu um artigo de Paul Brodeur, que alegava que o microondas retirava os nutrientes dos alimentos. Brodeur, que já publicou livros sobre os perigos da radiação de microondas, processou a produção do filme, por apropriação indevida.

Isso porque ele nunca sugeriu que as microondas, desses aparelhos, reduzissem os nutrientes dos alimentos. Brodeur pediu US$ 1 milhão como indenização por difamação. Ele alegou que a falsa alegação no filme manchou sua reputação. No entanto, o processo foi julgado como infundado. O tribunal alegou que os espectadores, do filme, não levariam a personagem de Lawrence a sério, devido a seu caráter pouco confiável.

5 – A Morte Te Dá Parabéns (2017)

No início de 2019, a Universal foi processada sob o argumento de que a máscara, utilizada pelo assassino na franquia de ‘A Morte Te Dá Parabéns’, copiava o mascote do time de basquete, Pelicanos, de New Orleans, nos Estados Unidos. Jonathan Bertuccelli, criador do mascote, alegou que o estúdio utilizou a imagem de sua criação, sem permissão. Ele pediu metade dos lucros existentes dos dois filmes, além de 50% dos lucros futuros. O processo se encontra em andamento.

6 – Straight Outta Compton: A História do N.W.A. (2015)

O filme biográfico, sobre o grupo NWA, recebeu uma ação legal por parte do ex-empresário do grupo, Jerry Heller. Ele pedia US$110 milhões, alegando que houve uma deturpação de seu personagem e que muitas coisas, utilizados no filme, haviam sido retiradas de sua autobiografia, sem permissão.

Heller também alegava que o longa-metragem o mostrava como um “empresário desprezível e aproveitador”. Em 2016, Heller morreu de um ataque cardíaco – o qual seu advogado alega ter sido provocado pelo estresse de sua representação no filme. No ano passado, um juiz refutou os argumentos de Heller no caso e o processo foi arquivado.

7 – Se Beber, Não Case! Parte II (2011)

Em uma das cenas do filme, o personagem Stu (Ed Helms) acorda com uma tatuagem em seu rosto. Uma ilustração que muito se assemelha a de Mike Tyson. S. Victor Whitmill, o tatuador que eternizou o desenho no rosto de Tyson, acabou processando a produção do filme. Whitmill alegou que o design da tatuagem era protegido por direitos autorais, e que a Warner Bros. nunca pediu permissão para usá-la. Após algumas negociações, a Warner Bros. acabou realizando um acordo com Whitmill, por uma quantia não revelada.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião. Posteriormente, não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Mulher alega que sua filha adolescente, na verdade, tem 22 anos, entenda

Matéria anterior

Um ”bolsão” de gás subaquático pode ter cerca de 50 milhões de litros de CO2

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.