• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


7 fatos que você não sabia sobre as noivas por correspondência

POR Diogo Quiareli    EM Curiosidades      29/11/18 às 13h36

Você já ouviu falar sobre noivas por correspondência? Esse termo tem ganhado destaque na internet e cada vez mais pessoas falam a respeito. Se você passa muito tempo nas redes sociais, provavelmente, já sabe que há possibilidade de encontrar uma noiva online ou por e-mail. Há mulheres de vários países ao redor do mundo. Isso parece um tanto estranho e em demasia irracional, né? É, de fato, algo extremamente assustador, mas em diversos casos, as pessoas são quem recorrem a esta opção drástica em seu momento de necessidade, quando deixam de acreditar no verdadeiro amor. Assim como em todo meio, há fraudes, mas na maioria dos casos o casamento acaba feliz e dá tudo certo.

Foi pensando um pouco mais sobre esse assunto que nós resolvemos trazer essa matéria. A redação da Fatos Desconhecidos, sempre com o objetivo de trazer novas curiosidades, buscou e listou alguns fatos que você não sabia sobre as noivas por correspondência. Se já leu algo a respeito dessa prática e gostaria de acrescentar na matéria, manda pra gente nos comentários aí embaixo. Aproveite para compartilhar com seus amigos desde já e, sem mais delongas, confira conosco a seguir e surpreenda-se.

1 - História

As noivas por correspondência carregam uma longa história. Essa remonta o século XIX. Era muito comum um homem gastar sua fortuna comprando uma mulher para se casar na fronteira americana. Isso acontecia no local porque geralmente essa fronteira estava muito vazia. Os homens podiam ir lá e comprar a sua noiva para viverem o resto da vida juntos.

2 - Maneira de viver

Durante o século XIX, diversas mulheres buscavam mudar suas vidas para conseguirem uma segurança financeira. Era isso que a fronteira oferecia. Elas eram em sua maioria solteiras e por isso tornavam-se noivas por correspondência. Elas deixavam a liberdade para então virarem mulheres casadas.

3 - Maridos por correspondência

No século XX, as noivas por correspondência ganharam uma enorme popularidade e esse negócio se expandiu. Cresceu tanto que incluíram maridos por correspondência também. As mulheres em busca de um casamento feliz poderiam escolher o seu próprio marido, assim como era feito de forma inversa.

4 - Inocência ou não

Infelizmente, essa indústria de noivas para encomenda nem sempre foi inocente. Há diversos casos de uma noiva sendo abusada e até assassinada por seus maridos em potencial. O marido também poderia estar correndo perigo, visto que se casava com uma mulher sem antes conhecê-la.

5 - Alla Barney

Alla Barney foi um caso bastante falado no mundo. Engenheira da Ucrânia, de 26 anos e noiva por correspondência, Barney sangrou até a morte na frente do seu filho de 4 anos. Seu marido era um americano chamado Lester Barney. Ele teria cortado a garganta da mulher dentro do carro e deixado-a morrer.

6 - Grande sucesso

Vários casamentos por correspondência deram super certo. A quantidade de correspondência entre o marido e a esposa em potencial garantia que eles pudessem se conhecer um pouco antes. Esse processo de respostas poderia durar até anos.

7 - Leis de imigração

Graças às leis de imigração dos Estados Unidos, esse tipo de casamento acabou perdendo força, protegendo então as noivas que iam ao país para se casar. O Congresso aprovou uma Lei de Reforma e Responsabilidade da Imigração Ilegal, em 1996.

E aí, o que você achou dessa lista? Comenta pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos. Lembrando sempre que o seu feedback é extremamente importante para o nosso crescimento. Aproveite para fazer um tour por nosso site e mergulhe em um oceano de curiosidades.

Próxima Matéria
Via   Lolwot  
Diogo Quiareli
Geminiano, 24 anos, goiano.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+