Geralmente, a maioria dos desertos é apenas enormes terrenos cheios de areia e, aparentemente, vazios. Enquanto a sua superfície não parece ter muito a oferecer, além de muita areia, embaixo deles, pode haver um mundo inteiro esperando para ser descoberto. O deserto do Saara, conhecido por ser o mais quente deserto do mundo, também o terceiro maior em tamanho, guarda uma infinidade de relíquias debaixo do seu solo quente. Há décadas, arqueólogos de todo o mundo escavam o Saara à procura de fósseis.

Espalhados por todo o mundo, os fósseis são restos de organismo que habitaram a Terra no passado. Esse vestígios foram incorporados e preservados na crosta terrestre. O deserto do Saara é especialmente cheio de fósseis antigos, com alguns dos maiores e mais surpreendentes já encontrados no mundo. Essas verdadeiras relíquias nos dão um panorama amplo do passado do nosso planeta e das criaturas que viveram por aqui, antes de nós. Confira a seguir, 7 fósseis mais surpreendentes que já foram encontrados no deserto do Saara.

1 – Bagres gigantes

Um parente bem antigo do peixe bagre foi retirado das areias do Egito, em 2017. A nova espécie, até então desconhecida, foi chamada de Qarmoutus hitanensis. Os pesquisadores acreditam que esse ancestral do bagre tenha vivido na Terra há cerca de 37 milhões de anos atrás. Com aproximadamente 2 metros de comprimento, esta amostra assume o posto de maior bagre já conhecido. O Qarmoutus hitanensis representa um gênero e uma espécie totalmente novos, os colocando como os primeiros integrantes da árvore genealógica dos bagres.

2 – Crocodilo maciço

Em 2014, uma equipe de paleontologistas encontrou os fósseis de um dos maiores crocodilos já encontrados na história. O chamado Machimosaurus rex, é um animal pré-histórico que tinha o dobro do tamanho de qualquer outro crocodilo já visto. Estimativas apontam que o animal teria pesado cerca de 2.993 quilos e teria aproximadamente 9,8 metros de comprimento. Ou seja, um crocodilo gigante. Os seus fósseis foram encontrados na região da Tunísia, à beira do deserto do Saara.

3 – Fóssil de Espinossauro

O Espinossauro é bastante conhecido entre a comunidade científica como um dos maiores dinossauros carnívoros que já viveu na Terra. No entanto, um fóssil gigante, encontrado no deserto do Saara, em 2014, surpreendeu os cientistas. O dinossauro, de cerca de 95 milhões de anos, confirmou a teoria de que este seria o primeiro dinossauro nadador que temos conhecimento. Outras criaturas antigas, que vivem na água, como é o caso do plesiossauro e o mosassauro, eram répteis marinhos, ou seja, o Espinossauro é o único dinossauro semiaquático conhecido até hoje.

4 – Baleia com pernas

O Vale da Baleia é um sítio paleontológico, localizado na província de Al Fayyrum, no Egito. O lugar foi colocado como Patrimônio da Humanidade desde 2005, quando centenas de fósseis raros foram encontrados na região. O vale recebeu esse nome devido à grande concentração de fósseis marinhos raros. Uma das descobertas mais importantes do Vale da Baleia foi a de uma espécie extinta, chamada Archaeoceti. O maior esqueleto de baleia já encontrado lá tinha aproximadamente 21 metros de comprimento, tinha nadadeiras de cinco dedos desenvolvidos e a presença surpreendente de patas traseiras. O achado foi um marco para os pesquisadores e representa uma peça fundamental na história da evolução desses animais.

5 – Pterossauro desconhecido

Descobrir uma nova espécie de dinossauro, é algo que não acontece todos os dias. Mas, em 2008, paleontólogos encontraram um novo Pterossauro desconhecido, no deserto do Saara. O fóssil do Pterossauro foi identificado devido a um grande fragmento do bico do réptil voador. Os pesquisadores acreditam que o gigante extinto tenha vivido há cerca de 100 milhões de anos atrás.

6 – Criatura misteriosa de 480 milhões de anos

Encontrada na década de 1850, uma misteriosa criatura, que viveu há centenas de milhões de anos, foi debatida por vários anos pelos cientistas. Até que, finalmente, foi desvendada em 2019. Novos fósseis incrivelmente detalhados foram descobertos no Marrocos, e permitiram que os paleontólogos identificassem a criatura bizarra. Eles nomearam essas formas de vida de stylophorans. Antigamente, os cientistas não sabiam dizer com certeza se essas criaturas se encaixavam na categoria de animais. Porém, um recente estudo provou que essas criaturas eram equinodermes, parentes distantes de animais como estrelas do mar, ouriços-do-mar e pepinos-do-mar.

7 – Fósseis antigos de homo sapiens

Em 1961, mineiros estavam trabalhando no deserto, quando desenterraram alguns pedaços de crânio de homo sapiens em um lugar chamado Jebel Irhoud. Posteriormente, outros ossos também foram encontrados no lugar. A princípio, os pesquisadores estimaram que os restos mortais tinham cerca de 40 mil anos. Mas, em 1980, o paleoantropólogo Jean-Jacques Hublin inspecionou um desses fósseis e descobriu que eles eram ainda mais antigos. Ele e sua equipe voltaram ao local e encontraram muito mais fósseis de indivíduos que, provavelmente, teriam morrido todos na mesma época. Por meio de um método, chamado termoluminescência, Hublin e sua equipe calcularam que os fósseis fossem de aproximadamente 300 mil anos atrás

E você, o que achou dessas descobertas? Conta para a gente nos comentários e compartilhe com os seus amigos.

Publicado em: 30/07/19 18h11