Curiosidades

7 realidades brutais descobertas na biografia da Susane Von Richthofen

0

Escrita por Ullisses Campbell, a obra não autorizada, “Suzane: Assassina e Manipuladora” chegou a ser censurada pela Justiça. Contudo, atualmente, ela está entre as mais vendidas do país. Dessa forma, separamos 7 realidades brutais, descobertas na biografia da Suzane Von Richthofen.

Sendo considerada uma das assassinas mais frias e calculistas do Brasil. Suzane Von Richthofen ficou conhecida, após ter arquitetado a morte de seus pais, em outubro de 2002. Depois disso, Ullisses Campbell, autor da biografia, se dedicou a investigar o crime por três anos e encontrou revelações inéditas sobre o crime.

1 – Laudo médico de Suzane

Na época, o autor da biografia ficou intrigado com os motivos que levariam uma jovem, aparentemente tranquila e inofensiva, a assassinar seus pais. Dessa forma, a saúde mental da assassina foi avaliada. Com acesso aos exames psicométricos de Suzane, foi descoberto que a jovem é uma assassina egocêntrica, narcisista e manipuladora. Ou seja, cometeu o crime sem culpa.

2 – Como ela sobrevive na cadeia?

De acordo com o escritor, o fato de Suzane ser narcisista e manipuladora foi o que a ajudou a sobreviver depois de presa. Na cadeia, estupradores, pedófilos e assassinos de parentes são mortos dentro do sistema. Contudo, mesmo assim, Suzane conseguiu sobreviver às diversas ameaças de morte. Além disso, ela chegou a ser considerada uma lenda pelos presos.

3 – Suzane quer se tornar empresária

Dentro da cadeia, a costura se tornou uma fonte de renda para Suzane. Além disso, mesmo estando presa, ela consegue costurar profissionalmente para uma empresa e ganha, segunda ela, cerca de seiscentos reais por mês. Com o dinheiro, ela obteve um novo sonho, cursar a faculdade de administração ao deixar a prisão. Com isso, ela deseja trabalhar como uma pessoa normal.

4 – Momentos após o assassinato

Em um das histórias, um policial militar chegou até a casa da família Von Richthofen, após Suzane ligar para o 190, anunciando que a casa havia sido assaltada. Contudo, a frieza de Suzane surpreendeu o policial. Ao saber da morte, minutos depois, Suzane sem expressar emoção nenhuma, queria saber apenas dos procedimentos fúnebres. De fato, ela não estava preocupada com os responsáveis pelo ato. Hoje, sabemos o motivo de tal frieza.

5 – Suzane quer ser mãe

Depois de tudo, o fato de ter matado os próprios pais parece não ter tirado de Suzane o “instinto maternal”. Além disso, Suzane também revelou amar e observar mulheres grávidas e também disse sempre tirar dúvidas com gestantes. Em seguida, ela também disse que fez algo muito errado e que, se arrepende de tudo.

6 – Uma história de cinema

Em 2018, foi anunciada a produção do filme “A Menina que Matou os Pais”, baseada no caso de Suzane Von Richthofen. Além disso, um segundo longa-metragem intitulado “O Menino que Matou meus Pais”, também deve ser baseado nos depoimentos de Suzane e do então namorado dela da época, Daniel Cravinhos. Atualmente, Suzane namora com Sandra, que aliás, é apenas o segundo relacionamento da sua vida. Mas, de acordo com Sandra, Suzane é uma companheira “quente”.

7 – Suzane está arrependida e quer se tornar pastora

Na cadeia, Suzane disse que costuma ler a bíblia, para estudar passagens sobre arrependimento e perdão. Com isso, durante as saídas para feriados, ela costuma ir à igreja. Além disso, quando sair da cadeia, ela revelou que deseja se tornar líder na igreja. Segundo o Pastor Euclides Vieria, ela pretende começar sua carreira religiosa como missionária e somente depois, começar a fazer pregações.

A verdadeira história de João e Maria é bem mais macabra do que você imagina

Matéria anterior

A vida parece estar retornando na Austrália nessas imagens de encher o coração

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.