Curiosidades

A mulher mais solitária do mundo ganha uma casa nova

0

Graças a um dos homens mais ricos da Rússia, uma mulher que viveu reclusa nas montanhas da Sibéria durante toda a sua vida, agora, terá uma nova casa. De acordo com o The Siberian Times, o empreendimento começou a ser construído logo depois que a antiga fazenda da família de Agafya Lykova, localizada na taiga das montanhas Sayan, começou a se deteriorar.

Lykova, que tem 76 anos, está ansiosa para ver a casa pronta. A construção da residência foi financiada pelo magnata russo Oleg Deripaska. O bilionário resolveu ajudar a russa após apelo da população.

A mulher mais solitária do mundo

Lykova vive nas montanhas desde que nasceu. Em 1936, sua família, que era ortodoxa, habitava uma humilde pequena cidade russa, mas se viram obrigados a se refugiar na floresta, com o início da perseguição religiosa imposta pelo ex-ditador Joseph Stalin. Em meio a uma vasta vegetação, o local escolhido como esconderijo fica a cerca de 260 quilômetros da cidade em que viviam antes de fugir.

O assentamento, totalmente isolado, só foi descoberto pelas autoridades russas em 1976, quando geólogos soviéticos acidentalmente descobriram a casa da família enquanto realizavam um estudo na montanha. Depois que seus familiares morreram, Lykova continuou a ocupar a cabana da família sozinha. Desde então, a russa viveu de forma independente, cultivando suas próprias safras e cuidando do próprio gado.

Por ter vivido isolada em uma parte remota da floresta siberiana, Lykova acabou recebendo o apelido de “a mulher mais solitária do mundo”. Mesmo estando acostumada a ser sua própria companhia, a russa, desde que seu assentamento foi revelado, recebe ocasionalmente visitas de Alexander Kuznetsov, um funcionário público.

“Todos nós tomamos extremo cuidado ao visitar Lykova, principalmente por conta da pandemia que tem assolado o mundo”, disse Kuznetsov. Por não ter tido contato com o mundo, Lykova é uma pessoa suscetível às doenças.

Inesperadas visitas

Em julho deste ano, Arina Shumakova, uma influenciadora russa, foi criticada após fretar um helicóptero para visitar a mulher mais solitária do mundo em meio à pandemia do Coronavírus. A influenciadora não só a visitou como também a abraçou.

“O piloto nos proibiu de ter contato físico com Lykova”, disse Shumakova. “Mas na hora que estivemos frente a frente, eu disse: ‘Lykova, eu queria tanto abraçar você, mas me proibiram’. E ela, então, disse: ‘A gente pode se abraçar, ele (o piloto) não está vendo’”.

Muitos criticaram a influenciadora por colocar a mulher mais solitária do mundo em risco. Além disso, a equipe que foi contratada pela influenciadora revelou que a mesma “violou gravemente as regras de durante toda a viagem”. Além de ter abraçado Lykova, a influenciadora não usou equipamento de proteção individual e fez vídeos e fotos sem permissão.

Kuznetsov, que frequentemente visita a russa, concorda plenamente com a posição da equipe. “Ela é uma mulher que nunca teve nenhum tipo de infecção. Ela nunca teve contato com as doenças com as quais estamos familiarizados e, por isso, sabemos o quão disciplinados e cautelosos devemos ser para garantir que Lykova permaneça segura e com saúde”, disse.

A infraestrutura em ruínas da humilde casa, que a família de Lykova, construiu em meio à mata será substituída por uma cabana de madeira. A russa, ao saber que iria ganhar uma casa nova, deixou claro que sua residência deveria ser ‘simples’. Embora não seja ilustrada por nenhum artigo de luxo, a nova casa será mais do que adequada para manter Lykova confortável e segura.

“A nova casa seguirá sendo bem isolada”, disse o Diretor da Reserva Natural de Khakassky, Victor Nepomnyashchiy, em sua página de mídia social. As autoridades esperam concluir a construção da estrutura no início de 2021.

Apatia pode ser um primeiro indicador de demência antes mesmo de outros sinais

Matéria anterior

A orquídea mais feia do mundo

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.