Entretenimento

A pior sequela da Covid-19

0

Após terem sido contaminados pelo coronavírus, diversos pacientes relatam disfunções no olfato. Os cheiros das comidas mudam, os perfumes deixam de possuir um odor agradável e produtos que antes traziam boas sensações, como o café, agora possuem cheiro ruim. Essa disfunção é comum no período conhecido como “pós-Covid” e recebe o nome de parosmia.

Em termos gerais, a parosmia é uma disfunção associada à detecção de cheiros que é caracterizada pela inabilidade do cérebro de identificar devidamente o odor “natural” de um cheiro. Em vez disso, o odor fica distorcido ou com cheiro de podridão. Essa situação pode perdurar por cerca de 9 dias até 6 meses.

É comum que as pessoas que enfrentam a sequela da Covid-19 sintam cheiros de esgoto ou lixo, carne ou ovo podre, cheiro de queimado, de gasolina e até de vinagre. Isso acontece porque o vírus danifica as terminações nervosas do nariz e o cérebro fica incapaz de perceber os cheiros reais.

Shutterstock

Essa condição também pode ser causada por outras infecções virais, como resfriados e gripes, golpes na cabeça ou no rosto que danificam alguma parte do sistema olfativo. Problemas de sinusite severa, exposição a toxinas e condições neurológicas como epilepsia ou doença de Parkinson também podem vir acompanhadas da sequela aqui citada. Contudo, antes da pandemia, os casos eram menos frequentes. 

Indivíduos que sofrem com a parosmia podem sofrer, também, a perda de apetite e até mesmo um distúrbio alimentar. Considerando que as comidas apetitosas podem se tornar difíceis de serem consumidas devido ao cheiro de podridão, essas condições podem surgir em detrimento da parosmia.

A parosmia tem cura?

A parosmia é uma disfunção temporária, porém, a recuperação total do olfato pode levar até seis meses. Ainda assim, o processo pode ser acelerado com a procura de profissionais como enfermeiros e médicos otorrinolaringologistas, que auxiliam o paciente no tratamento a partir do 14º dia com a Covid-19. Estes tratamentos podem ser realizados por meio de sessões de treinamento olfativo, com a recuperação dos sentidos básicos.

O tratamento consiste em sentir diferentes cheiros por pelo menos vinte segundos cada. O treinamento olfativo pode ser feito pelo menos duas vezes ao dia. É importante que esse processo seja acompanhado por um especialista para que o paciente não sinta nenhum efeito adverso, como dores de cabeça.

Glamour

No entanto, após a consulta e instrução dos médicos responsáveis, o paciente afetado pode realizar o treinamento em casa. Dependendo do caso, os especialistas podem recomendar que o paciente mantenha o tratamento ativo por até três meses para que resultados significativos sejam sentidos e o olfato volte a ser como era antes.

Nurdles: descubra o problema das lágrimas de sereias

Artigo anterior

Por que o espaço não é engolido pelos buracos negros?

Próximo artigo