Você tem medo de fantasmas? Bem, caso você se encontre com um, já sabe para quem ligar. No entanto, enquanto isso não acontece, nos perguntamos: por que até mesmo pessoas adultas têm medo de fantasmas? Se você já precisou ficar sozinho e, por algum motivo, achou havia alguma criatura do além lhe fazendo companhia? Se a resposta for sim, podemos explicar porque tantas pessoas sentem esse medo que é considerado por muitos, "irracional".

Para muitos adultos, esse sentimento apresenta um risco real de se encontrar com criaturas fantasmagóricas. Desse modo, em alguns adultos, esse sentimento se transforma em um tipo de fobia, a "espectrofobia". Também conhecida como "fasmofobia", essa fobia pode ser definida como um transtorno psiquiátrico caracterizado pelo medo irracional de fantasmas.

Um medo mais comum do que imaginamos

Publicidade
continue a leitura

É normal encontrarmos crianças que sentem medo de fantasmas, mas e quando falamos de adultos? Nesse caso, surpreendentemente, esse também é um medo comum entre os adultos. Contudo, a vergonha de se abrir sobre isso é o que faz muitas pessoas de comentarem sobre seus medos, até mesmo para médicos e psicólogos.

Para se aprofundar um pouco mais nesse medo tão peculiar, o psiquiatra Ricardo de Oliveria-Souza, do D’Or de Pesquisa e Educação no Rio de Janeiro, passou a estudar o fenômeno que assombrava muitos de seus pacientes. Isso aconteceu, depois que um de seus pacientes mencionou havia perdido o medo de fantasmas após tratar um quadro de depressão. Juntamente com a doença, o medo o impedia de dormir quando estivesse sozinho.

Segundo o psiquiatra, a descrição do medo do paciente correspondia a definição de fobia. No caso desse e de outros pacientes, ficar sozinho ou pensar em filmes de terror ou elementos sobrenaturais seria avassalador. Assim, durante a investigação do caso, Ricardo começou a perguntar e descobriu que muitos de seus amigos e parentes também possuíam o medo de entidades do além.

Publicidade
continue a leitura

Como superar o medo de fantasmas?

Caso você sinta que sente um medo fora do normal de ficar sozinho ou um medo diretamente relacionado à possível presença de fantasmas, é preciso procurar um especialista. No caso de crianças, há tratamentos específicos, como terapia, que podem ajudar. No entanto, quando a pessoa é adulta ou possui um caso mais avanço de fobia, pode haver a necessidade de remédios. Dessa forma, juntamente com o tratamento, utiliza-se medicamentos que sejam antidepressivos ou benzodiazepínicos, que são os medicamentos mais comuns usados ??no tratamento de fobias específicas. Esses medicamentos tendem a aliviar a ansiedade, que é o centro do medo, independentemente do tipo da fobia.

Publicidade
continue a leitura

Em alguns casos, pacientes foram tratados com terapia cognitivo-comportamental, um método que utiliza a conversação. Dessa forma, o especialista busca a origem desse medo específico, neste caso, dos fantasmas. Assim, a fobia pode estar relacionada a uma experiência física e emocional de ansiedade.

Por fim, lembramos que tratar uma fobia não é erradicar o medo da vida do paciente. Isso porque, ele ainda pode ocorrer em um "espectro". Por exemplo, mesmo uma pessoa que não possui claustrofobia vai se sentir bastante desconfortável em um elevador com defeito. Da mesma forma, uma pessoa que passou pelo tratamento pode sentir medo ao ver um filme de terror sozinha em casa.

Publicado em: 10/06/20 00h57