Curiosidades

Andar a cavalo é mais perigoso do que esquiar e andar de moto. Entenda o motivo

0

Andar a cavalo, para muitas pessoas, é um esporte ou lazer e não um trabalho. E o que muita gente que gosta desse tipo de lazer pode não saber é que essa prática pode ter um preço que precisa ser levado mais a sério.

Um estudo de 10 anos feito pelo US National Trauma Data Bank mostrou a quantidade de pessoas que acabaram no hospital por conta de ferimentos sofridos enquanto elas andavam a cavalo.

Fazendo uma comparação com outras formas de esporte onde as pessoas podem se ferir. Andar a cavalo resultou em mais idas ao hospital do que esquiar. Também teve mais acidentes do que as pessoas que estavam jogando futebol ou andando de moto.

Estudo

Um estudo anterior feito no Reino Unido encontrou taxas de lesões de motociclistas. Elas giravam em torno de 0,14 para cada mil horas de condução. Enquanto as pessoas que andam a cavalo tinham uma taxa de 0,49 lesões a cada mil horas.

O intuito do estudo não é desencorajar ninguém a parar de fazer a atividade. No entanto, a equipe de pesquisadores do Texas que é responsável pelo estudo quer ver mais mensagens de segurança pública a respeito dos possíveis riscos que os passeios a cavalo podem ter.

“Recentemente, alguma atenção foi dada por agências de esportes equestres ao uso de equipamentos de proteção para prevenir lesões, especialmente no que se refere a concussões e lesões cerebrais. No entanto, muito poucas campanhas de saúde pública se concentraram na prevenção de lesões em cavaleiros que usam cavalos para lazer e trabalho”, pontuaram os pesquisadores.

Lesões

Esse não foi o primeiro estudo a fazer esse registro das lesões que os americanos podem sofre ao andar a cavalo. No entanto, a maioria dos estudos anteriores se localizaram em regiões específicas. Isso fazia com que fosse mais difícil de se dizer a um país inteiro que os riscos independiam do local.

E poucos foram os estudos que analisaram os impactos de longo prazo n saúde. E se levar em consideração o que já se sabe, os resultados podem não ser tão surpreendentes assim.

De todas as pessoas que foram ao hospital depois de um derramamento, somente 10% foram liberadas. E cerca de 37% das pessoas que se machucam durante a cavalgada procuram um atendimento hospitalar por conta de traumas na região torácica, que é o tórax e parte superior das costas. Isso mostra que essa região é a mais lesada do corpo.

Observações

Aproximadamente um quarto procurou um hospital por conta de lesões nas extremidades. E pouco mais de um quinto, por conta de ferimentos na cabeça. E em poucos casos, pouco menos de 4%, as pessoas estavam com um nível de consciência preocupante que poderia significar comprometimento neurológico grave.

Felizmente, em metade dos casos a pior parte era ter que ficar em uma cama de hospital. Contudo, pouco mais de um quarto dos casos acabaram na terapia intensiva com um em cada dez que chegaram ao hospital precisando de cirurgia.

Por isso que os especialistas concluem que tendo melhores propagandas para os equipamentos de proteção e “consciência dos padrões de lesões, podemos continuar a desfrutar deste esporte popular e, ao mesmo tempo, reduzir o número de lesões graves”.

Fonte: https://www.sciencealert.com/horse-riding-is-more-likely-to-put-you-in-hospital-than-football-skiing-or-motorbike-racing

Fatos bíblicos que foram comprovados pela ciência

Matéria anterior

Primeiros sinais de demência podem estar no sangue

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos