Sem categoria

Bebê nasce com irmão dentro de si em caso médico raro, entenda

0

Quando um casal planeja ter um bebê, muitas coisas passam por suas cabeças. Em primeiro lugar, a preocupação pelo fato de que agora eles não terão apenas uma despesa, mas muitas adaptações a serem feitas em suas vidas. Além disso, tem a questão de espaço físico, a pressão de ter que cuidar e educar o ser humano e a preocupação se serão capazes.

Mas será que quando os país descobrem que terão um bebê, apenas um, eles se preocupam de os exames não estarem certo e, teoricamente, terem dois bebês. Será que isso é possível?

Tudo bem, isso realmente não deve ser motivo de preocupação, uma vez que isso dificilmente irá acontecer. Essa é uma situação realmente rara. Porém, isso é algo que pode, sim, acontecer.

Estamos falando disso porque recentemente aconteceu um desses casos na Colômbia. Uma mulher deu à luz a uma menininha, que tinha dentro do seu estômago recém formado, o feto de seu irmão gêmeo.

Feto no feto

Conhecido popularmente como feto no feto, esse caso é realmente raro, tendo um caso a cada um milhão. Para ser exatamente exato, dentro da literatura médica, existem apenas 100 registros desse caso ao todo.

Itzamara nasceu recentemente em Barranquilla, porto colombiano. Os médicos notaram a anormalidade enquanto Itzamara ainda estava no ventre de sua mãe, Monica Vega. Isso torna as coisas ainda mais raras, uma vez que a condição costuma ser notada apenas na infância. Ou seja, na maioria das vezes, a criança nasce e só depois de mais velha, quando o corpo começa a dar sinais, os médicos descobrem que existe um feto dentro de seu corpo.

Na 35° semana de gravidez, durante uma ecografia, os médicos notaram que o bebê parecia ter um cisto. Em uma inspeção mais detalhada, descobriram que na verdade era um “feto” que estava dentro do abdômen do bebê.

“[É] uma das coisas mais estranhas e fascinantes já vistas na medicina materno-fetal”, disse ao El Heraldo o Dr. Miguel Antonio Parra Saavedra, que tratou do caso na clínica La Merced, em Barranquilla.

O nascimento

Itzamara nasceu na 37° semana, através de cesariana, em fevereiro desse ano. O seu peso era saudável, sendo de 3,2 kg. Um dia após seu nascimento, os médicos realizaram uma cirurgia na bebê para remover o gêmeo mal formado que estava dentro dela, porém, em desenvolvimento.

“Nós comunicamos o cenário para a mãe, já que é um evento extremamente raro, mas ela nunca tinha ouvido falar sobre isso antes. Na verdade, a maioria das pessoas não sabe que esse fenômeno pode ocorrer na natureza humana”, acrescentou o médico, Dr. Parra Saavedra.

O pequeno feto tinha apenas 14 milímetros, sem coração e cérebro, contendo apenas membros rudimentares. Depois de cortar o cordão umbilical que os ligava, o feto morreu. Itzamara está bem e caminha para uma recuperação completa. “Ela tem uma pequena cicatriz no abdômen, mas é normal, exceto que o mundo inteiro está falando sobre ela”, disse Dr. Parra-Saavedra ao The New York Times.

Os cientistas não sabem ao certo a causa do “feto no feto”, no entanto, acredita-se que isso comece a ocorrer nas primeiras semanas de gestações, depois que um feto envolve o outro. O gêmeo envelopado torna-se “parasitário” e depende do suprimento de sangue do gêmeo “hospedeiro”.

E aí, você sabia que isso era possível? Comenta aqui com a gente e compartilha nas suas redes sociais. Para você que está surpreso, aquele abraço.

Milionário australiano procura novo assistente e vai pagar mais de R$ 146 mil por ano

Matéria anterior

7 personagens que precisam voltar para Supernatural antes que a série acabe

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos

Fatos Desconhecidos Nós gostaríamos de enviar notificações dos últimos conteúdos e atualizações que fazemos.
Dismiss
Allow Notifications