Notícias

Britânico joga HD no lixo com milhões em criptomoedas

0

O britânico James Howells jogou fora um HD (hard drive, o disco rígido que guarda a memória de um computador) durante uma limpeza de sua casa. Ele se esqueceu que havia uma carteira digital com criptomoedas gravada no aparelho.

Dez anos depois disso, os 8 mil bitcoins (moedas virtuais) que estavam no HD estão valendo 150 milhões de libras (R$ 1,1 bilhão). Por causa disso, Howells planeja gastar milhares de libras para escavar um aterro sanitário na cidade de Newport, no País de Gales, para tentar encontrar o computador.

De acordo com Howells, caso ele encontre o objeto, doará 10% do valor para a cidade desenvolver uma série de projetos com foco em criptomoedas. No entanto, o Conselho da Cidade (equivalente à Câmara de Vereadores) afirma que escavar o local é um risco ecológico.

Milhões no lixo

Foto: BBC News Brasil

Howells, um engenheiro de Tecnologia de Informação (TI), acidentalmente jogou fora o disco rígido em 2013, logo depois de minerar 8.000 bitcoins nos estágios iniciais do desenvolvimento da criptomoeda.

Vale destacar que o valor do bitcoin flutua muito, em janeiro de 2021, 8 mil bitcoins valiam cerca de 210 milhões de libras (R$ 1,3 bilhão). No entanto, com a queda significativa no começo de 2022, o valor agora é menor.


Opinião das autoridades sobre desenterrar as criptomoedas

Foto: BBC News Brasil

O conselho de Newport negou a Howells o acesso para escavar o local. O motivo seria questões ambientais e outras restrições, mesmo com a oferta da doação de 10%.

O homem de 37 anos afirmou que sua doação para a cidade seria utilizada para promover o uso e a compreensão das criptomoedas.

“Temos toda uma lista de incentivos, de coisas boas que gostaríamos de fazer para a comunidade”, disse.

A cidade declara que tal projeto de escavação exigiria uma grande tarefa manual de remover milhares de toneladas de lixo compactado que foi acumulado no local por décadas. No entanto, Howells acredita que possui o financiamento e experiência para realizar a ação de forma “eficaz e ambientalmente benéfica” para o local.

“Desenterrar um aterro sanitário é uma operação enorme em si”, afirmou o profissional de TI. “O financiamento foi garantido. Trouxemos um especialista em inteligência artificial. Sua tecnologia pode ser facilmente reutilizada para procurar um disco rígido. Também temos uma equipe ambiental no plano.”

“Uma das coisas que gostaríamos de fazer no aterro, depois de limpá-lo e recuperar essa terra, é colocar uma instalação de geração de energia, talvez algumas turbinas eólicas. E gostaríamos de criar uma instalação de mineração de criptomoeda para a comunidade, que usaria essa eletricidade limpa para criar bitcoin para o povo de Newport”, acrescentou Howells.

No entanto, é preciso destacar que encontrar o disco rígido é apenas parte da tarefa. Isso porque não existe nenhuma garantia de que, se o objetivo estiver no aterro sanitário, o HD esteja em um estado que possa ser recuperado.

Mas caso seja recuperável, o dono da criptomoeda terá um grande ganho, mesmo que o valor real dependa do valor do Bitcoin, que é altamente volátil.

“Risco ecológico significativo”

Foto: The Sun/ Reprodução

O outro projeto de Howells caso ache o HD é dar £ 50 (R$ 319) em bitcoin para cada pessoa na cidade. Além disso, ele deseja instalar terminais de criptomoedas em todas as lojas.

No entanto, o Conselho de Newport segue resistindo à ideia de procurar o objeto no aterro. “Temos deveres estatutários que devemos cumprir na gestão do aterro”, afirmou um porta-voz do Conselho.

“Parte disso é gerenciar o risco ecológico para o local e para a área mais ampla. As propostas do sr. Howells representam um risco ecológico significativo que não podemos aceitar e, de fato, somos impedidos de até cogitar pelos termos de nossa licença.”

Fonte: BBC

Surfista de 16 anos salva homem mordido por tubarão na Flórida

Matéria anterior

A história do primeiro casal gay casado legalmente

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos