Curiosidades

Casal em situação de rua cuida de 17 cachorros e diz “é minha família”

0

O que você já fez para ajudar àqueles a sua volta que realmente precisavam? Acontece que, mesmo que muitos não acreditem nisso, pequenas ações podem mudar o dia de alguém e até mesmo sua vida, mesmo se o ajudado nem humano for, como é o caso desse casal que cuida de 17 cachorros.

O casal vive em situação de rua e usam uma rampa de skate como abrigo e casa improvisada. É nesse local na região central de Recife que Renato dos Santos, de 33 anos, e Damiana Dias, de 39 anos, dormem junto com seus 17 cachorros. O casal ama todos eles com se fossem “filhos”.

“Muita gente fica no pé para a gente vender. Eu fico: não vendo, não troco, não empresto nem alugo. É minha família”, disse Damiana.

Casal

G1

Os dois acabaram em situação de rua há aproximadamente um ano quando Renato, que vivia de bicos, se viu sem dinheiro. Segundo Damiana, ela já tinha ficado sem teto quando era criança e se viu na mesma situação na fase adulta de sua vida.

“Muita gente critica morador de rua, mas não sabe a realidade que a gente passa”, pontuou ela.

Mesmo em situação de rua, o casal fez o possível para alimentar todos os cachorros deles. Tanto que até improvisaram um fogão com tijolos e lenha para conseguirem fazer refeições para seus “filhos”. “Comem melhor do que a gente, graças a Deus. Eles comem arroz com fígado de galinha, ração e macarrão”, contou a mulher.

A primeira “filha” de Renato e Damiana foi Bolinha. Ela foi encontrada logo que o casal ficou sem casa. De acordo com eles, a cadela ia ser jogada no lixo no bairro do Ibura, na Zona Sul da capital.

“Eu senti alegria, fiquei emocionado, porque foi Deus que colocou ela na minha vida. Foi um presente. Todos eles são meus filhos, minha família. Não abro mão de nenhum”, disse Renato.

Cachorros

G1

De todos os 17 cachorros, Bolinha é a única que foi castrada. Mas antes da castração, ela foi a responsável pelo aumento da família. Com relação aos cachorros, o casal não se preocupa em apenas alimentá-los. Eles também têm uma preocupação muito grande com a saúde dos animais e os levam sempre ao Hospital Veterinário do Recife.

Além disso, o casal percorre vários bairros da  Região Metropolitana do Recife buscando por doações para conseguirem cuidar bem dos seus 17 “filhos”. O mais impressionante é que para todos os lugares que eles vão, eles levam os 17 cachorros com eles em carrinhos de supermercado.

“São 17 meninos que a gente tem, que a gente ama muito. O que a gente precisa é de um terreno, de sair dessa situação. Eu faço uma casa com as minhas próprias mãos, não precisa ser uma casa não. Eu não sou ambicioso”, disse Renato.

Por mais que Renato tente manter um sorriso no rosto, ele conta que morar na rua é uma experiência muito ruim. “Eu não desejo isso para ninguém. Se puder fazer o impossível para não deixar uma pessoa passar por isso, por favor, ajudem, façam o que puder”, disse.

“Entrego na mão de Deus e espero quem puder me ajudar. Esse aqui é um exemplo de vida, de moral, de respeito. Tem muita gente que tem uma vida financeira boa, tem uma casa para morar, e não cuida como a gente cuida dos nossos animais”, continuou.

Ajuda

G1

Através de uma nota, a prefeitura de Recife informou que a Secretaria-executiva de Assistência Social, que atende pessoas sem-teto, tem uma equipe que sempre acompanha o casal. Além disso, de acordo com a prefeitura, já foi oferecido a eles que os dois ficassem em um abrigo, mas eles recusaram por não poderem levar seus cachorros.

Outro ponto dito pela prefeitura é que o casal foi atendido pelo Programa Atitude, programa que ajuda os usuários de drogas para que eles sejam atendidos pela rede de saúde, contudo, o casal também recusou essa ajuda. Com isso, a prefeitura ainda ressaltou que por mais que seja oferecida ajuda ao casal, o tratamento só é feito caso a pessoa aceite.

Fonte: G1

Imagens: G1

Mulher descobre traição e cola cartaz de término no carro do ex

Matéria anterior

Piloto escreve mensagem curiosa no céu

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos