CuriosidadesNatureza

Crocodilo de três metros se refresca em piscina residencial na Flórida

0

Na Flórida, os moradores precisam se acostumar com visitas de animais não muito amigáveis. Nesse sentido, um deles é o crocodilo, réptil capaz de ceifar uma vida em questão de segundos.

Nesta semana, um cidadão de Deep Creek acordou com um desse dentro da piscina de sua casa. Durante a estadia do bicho, ninguém se feriu e o seu resgate envolveu três homens. De acordo com o xerife do condado de Charlotte, chamados do tipo são comuns durante o verão do hemisfério norte.

Fonte: Divulgação / Gabinete do Xerife do Condado de Charlotte

‘Cloro’dilo

A princípio, o que parecia ser uma abençoada noite de sono de uma família de Deep Creek teve a interrupção de um barulho na área de lazer. Para ser mais específico, o som vinha da piscina e surgia conforme a água se remexia.

Sendo assim, os moradores da casa logo acordaram e foram conferir a movimentação suspeita. O visitante era um crocodilo de três metros que pesava cerca de 250 kg. Ao ver as fotos do réptil parado se refrescando, chega a parecer que se trata de algum desenho criativo no fundo da piscina, no entanto, é sim uma versão oficial do réptil.

Imediatamente, a família acionou as autoridades do condado de Charlotte, território em que se encontra a comunidade Deep Creek. Em seguida, o resgate se deu com a necessidade de três homens para controlar e transportar o animal. Para isso, a mandíbula do bicho foi amarrada, a fim de evitar acidentes com a equipe de resgate.

Fonte: Divulgação/Gabinete do Xerife do Condado de Charlotte

Basicamente, chamados por conta de crocodilos não são novidade para a polícia local. Inclusive, os oficiais brincam com a situação: “Eu me inscrevi para combater o crime, e aqui estou eu lutando contra os dinossauros”, diz Brad Stender, sargento que atua no condado.

Nesse sentido, ainda de acordo com o policial, no verão e na primavera, esses casos aumentam de forma brusca. Isso porque, nestes momentos, os crocodilos saem dos pântanos para acasalar, e nesse trajeto, acabam trombando com a vida humana. Ainda assim, o caso de Deep Creek se destaca pelo tamanho do réptil e pela calmaria que ele estava transmitindo diretamente do fundo da piscina.

Passeio reptiliano

Não muito longe do lugar em que se localiza o crocodilo piscineiro, os moradores da Flórida tiveram uma nova outra surpresa com esse bicho. No dia 17 de abril, em pleno domingo, um desses répteis resolveu passear pela ruas da cidade de Venice.

Sem muita pressa, ele cruza jardins de um bairro residencial enquanto um cidadão local grava a travessia. No vídeo, o morador diz: “Andando com nosso crocodilo de estimação esta manhã”. Logo em seguida, o animal ainda deita e descansa um pouco as suas pernas.

Por fim, o crocodilo não queria confusão com ninguém. Todo o trajeto finalizou em um lago, no qual ele entrou e se sentiu em casa novamente. De acordo com as autoridades, é provável que o réptil continue nadando ali pela região em que o vídeo foi gravado.

A propósito, as imagens do bicho foram parar no Facebook do Gabinete do Xerife do Condado de Sarasota. Na legenda, a página oficial informa: “Antes de mais nada: Feliz Páscoa! Em segundo lugar, não temos certeza se o coelhinho da Páscoa chegou nesta manhã ao Lago Harrington, em Venice, depois de encontrar esse menino mau”.

Por essas e outras, quem for turistar na Flórida precisa pesquisar sobre a presença de crocodilos no lugar em que vai se alojar. Além disso, é necessário ao máximo evitar pântanos e lagos, pois esses ambientes são verdadeiros lares para esses répteis.

Mesmo aos moradores locais, os cuidados devem ser seguidos com afinco. De acordo com o jornal The Guardian, cerca de 95% dos ataques de crocodilos têm como vítimas pessoas que residem no local de risco. Por isso, é importante não se deixar enganar pela familiaridade que se tem com o animal.

Fonte: G1, O Globo.

Doja Cat cancela shows após passar por cirurgia nas amígdalas

Matéria anterior

Violinista “chavosa” mistura erudito com funk e música popular nos metrôs

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos