Natureza

Dubai luta para não ser engolida pela areia

Dubai deserto
0

Apesar de ter sido transformada em um centro financeiro moderno, com paisagens incríveis e luxuosas de piscinas e arranha-céus, não podemos esquecer que Dubai foi construído em um deserto.

A capital do emirado, que leva o mesmo nome, possui três milhões de habitantes atualmente, sendo a cidade mais populosa nos Emirados Árabes Unidos, com o mar de um lado e um deserto infinito do outro.

Assim, a história da cidade é uma história improvável e surpreendente, tendo começando como uma vila simples de pescadores há apenas 50 anos. Nesse meio tempo, tudo se transformou ao ponto de se tornar uma metrópole urbana referência em luxo e que movimenta bilhões de dólares.

No entanto, apesar da opulência atual, a cidade não é isenta de problemas. Dessa forma, um dos maiores desafios é de desertos invasores que ameaçam as terras férteis do emirado. Os Emirados têm aproximadamente o tamanho de Portugal, mas 80% de sua área terrestre já é desértica, o que pressiona o novo setor de agricultura.

O deserto de Dubai

Dubai deserto

Alamy

Por conta da desertificação que a região sofre, o ecossistema é frágil. Em um relatório do governo publicado em 2019, destaca-se que “com o aumento das populações e dos sistemas de consumo de alimentos, a degradação da terra e a desertificação estão se tornando desenfreadas”.

Dessa maneira, encontrar soluções para esse problema se tornou prioridade nos últimos anos. O objetivo não é enfrentar o deserto, mas sim restaurar as áreas que não são mais produtivas.

Diferente de outros países que enfrentam a desertificação, os Emirados Árabes Unidos se encontram em uma situação única: eles possuem tecnologia e investimento para implementar ideias inovadoras. Atualmente, estão investindo em start ups verdes e apoiando instituições educacionais tecnologicamente inovadoras com inclinação para o meio ambiente.

A própria existência de Dubai é um exemplo do que pode ser feito quando temos planejamento e investimento necessários, tendo sido construído por uma série de ideias inovadoras. Sendo assim, se as ideias forem bem sucedidas, isso poderá gerar um impacto em escala global, considerando que a desertificação é um problema que afeta várias regiões.

Desertificação

Fazendeiro em Dubai

Reprodução

A desertificação é um tipo de degradação da terra em que solos antes férteis e aráveis se tornam improdutivos. Normalmente, isso acontece quando há a superexploração do solo e da água.

Sendo assim, a desertificação pode ocorrer naturalmente, mas é um fenômeno cada vez mais ligado ao uso humano dos recursos naturais. Entre os usos, merece destaque o pastoreio excessivo, a agricultura intensiva e o desenvolvimento de infraestrutura.

“A desertificação ocorre quando a terra e a vegetação, geralmente nas bordas dos desertos, estão sobrecarregadas”, diz William H. Schlesinger, biogeoquímico e presidente emérito do Instituto Cary de Estudos de Ecossistemas, em Nova York, que pesquisa desertos há mais de 30 anos.

Como resultado, temos uma menor produtividade da vegetação e, muitas vezes, ocorre uma transição para vegetação menos útil para a vida humana, segundo o pesquisador. Dessa forma, cerca de 12 milhões de hectares são perdidos em todo o mundo todos os anos como resultado da desertificação. Isso é o equivalente a 1300 campos de futebol por hora.

No caso de Dubai, no período de 2002 a 2018, as terras agrícolas caíram consideravelmente ao redor dos Emirados Árabes, de 7,97% para 5,38%. Entre as décadas de 1970 e 1980, Dubai usou de suas vastas reservas de petróleo para se erguer, mas isso aconteceu sem medidas de proteção ao meio ambiente.

Em 2008, a organização ambientalista WWF deu ao emirado o título de país com pior pegada ecológica. “O desenvolvimento dos Emirados Árabes Unidos nos últimos 40 anos exigiu uma abordagem ambientalmente hostil aos recursos da Terra”, diz Dawn Chatty, professora de antropologia da Universidade de Oxford. “Desfazer isso exigirá um esforço financeiro sério, bem como uma transformação social”.

Por conta dessa repercussão negativa, Dubai já publicou notas em que conta sobre seus planos para implementar projetos mais ecológicos. Por exemplo, a Estratégia Industrial de Dubai 2030 descreve o plano de “promover uma fabricação ecologicamente correta e com eficiência energética”.

Além disso, o Parque Solar Mohamed bin Rashid Al Maktoum, de 1 gigawatt (1 bilhão de watts), localizado a 50 quilômetros ao sul de Dubai, está entre os maiores parques solares do mundo. Por fim, caso a mudança para práticas ecológicas não seja feita, a cidade corre o risco de ser engolida por areia em poucos anos.

Fonte: BBC

Presidente da Macedônia do Norte leva à escola menina com síndrome de Down vítima de bullying

Matéria anterior

Os 100 anos da Semana de Arte Moderna: veja as obras mais famosas

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos