Curiosidades

Ela criou empresa que fatura R$25 mil com garrafa térmica e um isopor

0

Muitas pessoas têm o sonho de empreender e abrir sua própria empresa. Antonia Lopes, atualmente com 46 anos, não era diferente. Em 2014, depois de passar por um tratamento de câncer e o nascimento da sua filha caçula, ela decidiu realizar seu sonho.

O começo da empresa de Antonia foi na porta de uma faculdade de Guarulhos, São Paulo. No local, ela vendia tortas e bolos. Foi ali que a “Doce Encanto” nasceu. Nessa época, o faturamento mensal da empresa era de cerca de mil reais. Mas Antonia sempre quis expandir sua empresa. Por conta disso, ela foi buscar capacitação e hoje, emprega seis mulheres e tem um faturamento de 25 mil reais por mês.

Segundo a empreendedora, ela se especializou em eventos corporativos, contudo, com a pandemia, ela teve toda sua agenda presencial cancelada. Claro que isso foi um baque para ela, e Antonia se viu com um novo desafio: recomeçar sua trajetória profissional.

Por conta disso, ela diz que hoje a empresa atende tanto o público corporativo como as pessoas que estejam interessadas em comprar seus doces e salgados.

Sonho

Fabi indústria

“Desde criança tenho o sonho de ser dona de um restaurante. Minhas brincadeiras eram sempre entre panelas, queria ter minha própria cozinha profissional e me aventurava em decorar pratos, claro, conforme as condições humildes em que vivia. Por ter me casado muito cedo, esse sonho ficou adormecido e dediquei 15 anos de carreira ao trabalho em escritório”, disse ela.

Quando tinha 34 anos, Antonia foi diagnosticada com um câncer raro de tireoide. Por mais que a notícia tenha abalado a família, ela continuou firme e forte e foi atrás dos tratamentos. E depois de pouco tempo a mulher descobriu que estava grávida.

“Jamais pensei em desistir. Após essas turbulências, reacendeu em mim a vontade de realizar meu sonho. Foi então que fiz um acordo no trabalho e, com o valor da rescisão, comprei uma garrafa térmica, uma caixa de isopor e, abastecida de uma incandescente vontade de vencer, fui para a porta de uma faculdade em Guarulhos vender tortas, bolos e café na traseira de um Kadett”, contou.

Pouco tempo depois, ela ficou conhecida como “a tia da torta” e seus pedidos foram aumentando conforme ela ficava mais conhecida. “O famoso boca a boca foi um grande aliado nessa fase”, comentou.

Empresa

UOL

Depois disso, o próximo passo que a empreendedora deu foi investir em uma kombi para ter mais espaço. Como Antonia já fazia pedidos de salgados nos fins de semana, ela fez cursos de confeitaria. E em 2018, ela começou a trabalhar com kits para festas.

Nessa época, ela chegou a trabalhar 12 horas por dia e muitas vezes indo noite adentro. Mesmo assim, Antonia não conseguia ver resultado financeiro com sua empresa.

“Eu tinha um produto excelente, uma clientela em crescimento, cada vez mais pedidos, mas ainda assim não conseguia ver resultado. O faturamento, que era em média de R$ 1.000 por mês, era reinvestido em produtos e nada de enxergarmos o lucro. Foi quando me inscrevi no Sebrae para aprender sobre empreendedorismo e nunca mais parei de estudar. Logo após o término do curso, participei do processo seletivo do Consulado da Mulher, um projeto de ação social da marca Consul que visa capacitar mulheres empreendedoras e, por meio da assessoria deles, pude me capacitar ainda mais, ampliando meus conhecimento em finanças, marketing, manipulação de alimentos, etc”, contou ela.

Profissionalização

UOL

Depois de tudo isso, a fase boa finalmente chegou para Antonia. Ela se regularizou e se tornou Microempreendedora individual (MEI) e começou a emitir nota fiscal. Com isso, a empresa “Doce Encanto” pode atender grandes empresas com serviço de Coffee Break e Kits Aniversariantes do Mês.

Foi esse nicho de atendimento que originou a “Doce Encanto Food”, empresa que logo de cara elevou o faturamento em quase 600% e fez com que Antonia pudesse montar uma equipe e dar oportunidade para outras mulheres.

“No início de 2020, já tínhamos uma agenda de eventos recheada de reservas até o mês de setembro daquele mesmo ano. Mal esperávamos o novo e gigante obstáculo que estava por vir: a pandemia. O 1º lockdown caiu como uma bomba. Toda a agenda foi cancelada, os nossos clientes corporativos foram trabalhar em home office e, novamente, tivemos de nos reinventar. Então, desenvolvemos kits para comemorações em casa, e o nosso Kit Arraial na Caixa foi o grande sucesso de vendas em 2020”, lembrou.

Reinvenção

UOL

A empresa de Antonia conseguiu sobreviver ao primeiro ano da pandemia, mas o impacto foi grande e refletiu na “Doce Encanto”. A equipe dela foi de oito para duas pessoas. Mesmo assim, Antonia não desistiu e começou a oferecer bolos personalizados e kits para festas feitos de acordo com a demanda do cliente.

“Entramos em 2021 com muita vontade de fazer acontecer. Começamos a investir no marketing digital e, por meio de muita pesquisa, procurei entender a real necessidade dos meus clientes que antes estavam em ambiente corporativo e que viviam também as dificuldades desse novo cenário criado pela pandemia”, disse.

De acordo com Antonia, empreender é não ter medo de cair e levantar o tanto de vezes que for preciso.

“Como resultado de todo esse recomeço, fechamos o ano de 2021 com mais de 700 pedidos atendidos, além da conquista de outro grande marco: a Doce Encanto Food quase triplicou a carteira de clientes corporativos. Aprendi diante de tantos desafios que a informação, a busca pelo conhecimento e a vontade de fazer dar certo são características que nós, empreendedoras, temos de perseguir incansavelmente”, concluiu.

Fonte: UOL

Imagens: Fabi indústria, UOL

A população da Croácia está cada vez menor!

Matéria anterior

A rainha africana que liderou resistência contra os portugueses

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos