Curiosidades

A população da Croácia está cada vez menor!

0

Às vezes, brasileiros podem pensar que tudo na Europa é mágico e próspero. No entanto, há lugares em que essa fantasia está longe de ser real, e um deles é a Croácia, país do leste europeu. Lá, ocorre uma forte onda de saída de croatas de seu próprio país, o que despenca os números populacionais da nação.

Nesse sentido, em 2011, a Croácia possuía 4,3 milhões de habitantes. Atualmente, esse número está em 3,8 milhões de pessoas, o que representa uma queda de 10% no montante. Conforme essa tendência se mantém, o país pode vir a ter problemas com o funcionamento de seus serviços públicos.

Fonte: Luciann Photography

Maior queda da história! 

Basicamente, o país croata nunca foi um lugar tranquilo de se ficar. Entre o final do século 19 e o começo do século 20, diversas pessoas saíram do país em busca de melhores oportunidades em países como Inglaterra e França.

Em seguida, após o fim da Segunda Guerra Mundial e início da Guerra Fria, o processo de emigração recebeu um novo impulso. Afinal, diversos conflitos internos rondavam a realidade da população nacional.

No início da década de 1990, mais um problema. Agora, grupos nacionalistas queriam criar uma Grande Sérvia, e para isso, contavam com a anexação da Croácia. Logicamente, a ideia gerou muitos conflitos, o que mais uma vez expulsou moradores do país.

No entanto, um processo ainda mais intenso se iniciou com a entrada do país na União Europeia. Afinal, isso facilita a ida de croatas para outras nações da Europa. Portanto, diante de uma situação de instabilidade das instituições e da economia croatas, milhares de pessoas preferiram buscar uma vida melhor em outro lugar.

Fonte: Fica ativo e viaja

Diante disso, as previsões da redução populacional da Croácia são assustadoras. Até 2050, o número de habitantes pode diminuir em 400 mil, o que faria esse dado ficar em 3,4 milhões de pessoas.

Já as análises para 2100 trazem ainda mais desespero, pois estima-se que o montante populacional cairá em mais de um milhão de pessoas. Ou seja, daqui 80 anos, pode ser que a Croácia possua 2,4 milhões de habitantes.

“Estamos muito preocupados com o futuro demográfico da Croácia. A tendência atual pode afetar o funcionamento dos sistemas públicos nacionais, de saúde, pensões, entre outros”, explica Monika Komušanac, que é professora do Departamento de Demografia e Diáspora Croata da Universidade de Zagreb.

A propósito, o que mais preocupa é que a maioria das pessoas que saem são jovens, os quais seriam muito úteis na rodagem da já defasada economia do país. De acordo com as estatísticas, 60% dos emigrantes são pessoas entre 20 e 44 anos.

Tentativas de reversão

De fato, não é fácil a situação em que se encontra a demografia da Croácia. Isso fica evidente na análise que Monika Komušanac faz da relação entre quantidade de jovens e de idosos no país.

“Temos escassez de mão de obra, nossos profissionais de saúde estão trabalhando em outros países europeus, há menos crianças nas escolas e mais idosos, o que pressiona o sistema social e previdenciário”, relata ela.

Fonte: Getty Images

Em 2020, o país registrou cerca de 20 mil mortes a mais do que nascimentos, o que impede o crescimento natural da população. Além disso, está em vigor o enorme fluxo emigratório no país, conforme foi retratado nessa matéria.

Diante disso, as autoridades buscam formas de reverter o péssimo quadro demográfico. Um exemplo disso está na cidade de Legred, que em 2001 tinha 3 mil habitantes, bem mais que os 900 sujeitos que vivem no local hoje em dia.

Sendo um dos lugares com maior fuga, o prefeito da cidade resolveu por à venda as casas abandonadas por 1 kuna. Em reais, isso representa apenas 70 centavos. A transação é possível desde que o interessado tenha condições financeiras para se manter, possua menos de 40 anos e se comprometa a ficar no lugar por pelo menos 15 anos.

Como resultado disso, 19 das 20 casas à venda conseguiram encontrar novos moradores. Dessa forma, apenas uma residência segue disponível para um novo comprador.

Todavia, isso é uma ação isolada, e o próprio prefeito pede que o governo nacional estimule a vinda de imigrantes. Quanto a essas estratégias, Monika Komušanac deixa a sua análise: “Os croatas continuarão indo para outros países como Alemanha ou Áustria, porque lá os salários são mais altos. Se isso não mudar, nos tornaremos um país sem jovens”

Fonte: BBC.

A importância da preservação do silêncio

Matéria anterior

Ela criou empresa que fatura R$25 mil com garrafa térmica e um isopor

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos