História

Esse esqueleto de Pompeia é de um dos homens mais azarados da história

0

Você se acha uma pessoa azarada? Perdeu aquele ônibus ou seu fone de ouvido parou de funcionar de um lado? Bom, certamente são situações ruim, mas devemos lhe dizer que existe sim, uma pessoa muito mais azarada do que você.

Funcionários do sítio arqueológico da Pompeia recentemente encontraram o esqueleto de um homem que teria sido esmagado por uma enorme pedra enquanto tentava fugir de uma erupção do Monte Vesúvio. Um dia bastante difícil para esse rapaz.

Em 79 d.C, essa erupção vulcânica atingiu as cidades romanas próximas, Pompeia e Herculano, com uma enxurrada de cinzas e pedra-pomes. Mesmo hoje em dia o número de mortos ainda é desconhecido. Arqueólogos desenterram o resto mortais de no mínimo 1.500 pessoas nas proximidades das duas cidades.

Esqueleto

esqueleto

O esqueleto foi descoberto em uma área recente explorado de Vicolo dei Balconi, perto de Pompeia. Estudiosos acreditam que era um homem com menos de 30 anos de idade, que tentou se refugiar da chuva de detritos vulcânicos em um beco da cidade. O corpo foi encontrado no nível do primeiro andar, o que sugere que uma grossa camada de cinzas já havia caído quando o bloco de pedra foi lançada pela nuvem vulcânica e caiu sobre os ombros do homem.

O primeiro estudo feito no esqueleto mostra algumas lesões nas pernas, o que pesquisadores sugerem que seja a presença de uma deficiência. O que teria prejudicado a sua fuga.

Pela primeira vez em anos, há novas escavações arqueológicas acontecendo em Pompeia, revelando uma cornucópia de novas descobertas. Uma das descobertas mais estranhas são os restos de um cavalo, agora imortalizado em um molde, que estava envolvido nas cinzas de uma vila suburbana de Pompeia.

E aí, o que acharam da matéria? Comenta aí e não se esqueça de compartilhar com os amigos, lembrando que seu feedback é sempre muito importante.

10 coisas que você não sabia sobre objetos do nosso cotidiano

Matéria anterior

12 fotos que fazem você ver algo que não existe

Próxima matéria

Você também pode gostar

Mais em História

Comentários

Comentários não são permitidos