• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

Fotos antigas mostram como eram os EUA antes das leis contra poluição

POR Bruno Destéfano    EM Curiosidades      09/05/19 às 18h27

Em 1970, o então presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon, assinou uma ordem executiva estabelecendo a Agência de Proteção Ambiental. Logo após sua criação, a EPA criou um projeto fotográfico chamado "Projeto Documerica". E com qual objetivo? Registrar o estado crítico do meio ambiente e os esforços para melhorá-lo. Semelhante ao famoso foto-documentário de Rex Tugwell e Roy Stryker, Farm Security Administration, que retratava a vida estadunidense na era da Depressão, o projeto examinou a "rápida decadência" do meio ambiente nos Estados Unidos. O principal objetivo foi o de mostrar as "preocupações ambientais do início dos anos 1970". O projeto também mostrou o compromisso do país em resolver esses problemas mostrando "imagens positivas da vida humana e a desenvoltura dos americanos". Em termos práticos, as fotos antigas mostram como eram os EUA antes das leis contra poluição.

A EPA contratou fotojornalistas em todo o país para fotografar os problemas externos e ambientais. Alguns dos fotógrafos que participaram do projeto: Danny Lyon, Bill Strode, David Hiser e Yoichi Okamoto. Mais de 100 profissionais produziram ao menos 81.000 fotografias. Eles catalogaram cerca de 20.000 imagens pela "National Archives and Records Administration". Cerca de 15.000 digitalizações digitais da coleção estão disponíveis ao público pela internet.

Importante frisar que, no final dos anos 1960, os norte americanos estavam cada vez mais conscientes sobre os malefícios da poluição não regulamentada. As pessoas estavam mais do que prontas para uma mudança. No entanto, Scott Pruitt, ex-administrador da EPA na "era Trump", trabalhou para reverter uma série de regras que antes eram postas em prática para proteger o ar e a água. Muitos relatórios sugeriram que o objetivo principal de Pruitt era eliminar a maioria das proteções ambientais. Em 5 de julho de 2018, após uma longa lista de escândalos, Trump anunciou que aceitara a renúncia de Pruitt.

A renúncia de Pruitt, juntamente com a aposentadoria do juiz do Supremo Tribunal, Anthony Kennedy, levanta novas questões sobre o futuro dos regulamentos nos EUA. Kennedy, que se aposentou em 31 de julho de 2018, votava em defesa às causas ambientais. Ele foi a pessoa que concedeu à EPA a capacidade de regular gases de efeito estufa de acordo com a Lei do Ar Limpo. Um novo candidato à vaga de administrador da EPA, indicado por Trump, pode ser mais efetivo na derrubada das principais proteções ambientais.

Como um lembrete de como eram as coisas antes das leis ambientais, aqui estão os retratos de "Documerica". Muitas dessas fotos mostram a vida dos norte americanos na época, mas várias também documentam questões ambientais. As fotos antigas mostram como eram os EUA antes das leis contra poluição.

#1

O nevoeiro esfumaçado, obscurecendo a ponte George Washington, em Nova York, era um dos maiores problemas da época.

#2

O fenômeno era comum, como mostra esta foto de Louisville e do rio Ohio (1972). Fica praticamente impossível enxergar os detalhes da cidade por causa da concentração de fumaça.

#3

Fábricas queimaram baterias de automóveis descartadas na década de 1970, liberando poluentes no ar. Os regulamentos atuais exigem que as baterias sejam recicladas sem contaminar a área ao redor, embora algumas sejam exportadas.

#4

Mary Workman, de Steubenville, Ohio, segura uma jarra de água intragável de seu poço. Ela entrou com uma ação contra uma empresa de carvão, acusando-a de poluir sua água. A EPA agora usa a Lei da Água Limpa para impedir que as empresas contaminem a água potável.

#5

Este carro abandonado ficava na Jamaica Bay, em Nova York. Os aterros sanitários estão agora sujeitos às regulamentações da EPA, embora ainda ocorra descarte inadequado. O ano? 1973.

#6

A Atlas Chemical Company dissipava fumaça por entre as pastagens de Marshall, no Texas. Um fazendeiro local disse ao fotógrafo que a fuligem e os produtos químicos haviam matado várias de suas vacas.

#7

Nos anos 1970, as empresas de mineração de carvão foram as maiores poluidoras. A foto retrata uma operação de mineração de carvão em regiões do Arizona.

#8

Poluições em cidades industriais como Cleveland, Ohio, foram particularmente graves.

#9

A agência ajuda a regular as limpezas em locais particularmente poluídos. Nesta imagem, as Torres Gêmeas são visíveis atrás da pilha.

#10

Lixo e pneus velhos encheram o Baltimore Inner Harbor, em 1973. A EPA atualmente regula a eliminação de resíduos, inclusive em locais costeiros.

#11

Todos os tipos de lixo costumavam ser despejados fora de Nova York, como este carro. A EPA ajudou a instituir regulamentações sobre como a cidade eliminou o lixo para evitar o despejo no Atlântico.

#12

O esgoto não tratado fluía para o rio Potomac através do fosso de Georgetown, em 1973. A Lei da Água Limpa agora regula a descarga de poluentes em corpos de água.

#13

Em 1973, o Corpo de Engenheiros do Exército tentava limpar os rios Potomac e Anacostia.

#14

A poluição era bem pior antes que a Lei do Ar Limpo fosse usada para regular poluentes e combustíveis. Essa foto definitivamente mostra os efeitos diretos de um país sem regulamentação ambiental.

#15

Sem regulamentação, mais empresas e fabricantes poderiam despejar poluentes nas águas e no ar. Na foto, é possível vislumbrar uma mancha de óleo em torno da Estátua da Liberdade.

Gostou das informações? Sabia que os efeitos antes das leis contra a poluição eram tão graves? Não deixe de fazer o seu comentário. A sua opinião é o que nos move - sempre.

Próxima Matéria


Matérias selecionadas especialmente para você

Via   business insider     fortune     popsci  
Bruno Destéfano
Escritor, fotógrafo e jornalista // Deixe que o conhecimento te revolucione de dentro para fora.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.
Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+