Notícias

Gato Januário do meme “opa, não é bolo”, morre no Ceará

0

Dentre os memes mais amados dos últimos anos, temos o famoso gato Januário, confundido com um bolo fofinho. Infelizmente, como nada dura para sempre, o gato Januário faleceu na última sexta-feira (29).

A publicação que noticiou sua morte foi feita por Carlos Nogueira Rocha, o tutor de Januário, nesta segunda-feira (2). Sendo assim, o perfil do gato já tem mais de 200 mil seguidores, que acompanhavam as atualizações sobre o famoso Januário após ele ter viralizado como meme na internet.

“Pessoal vir [sic] aqui avisar que nosso querido Januário virou uma estrelinha, ele já tava velhinho”, publicou na página. O post já conta com mais de 26 mil reações, mais de 3 mil comentários e dois mil compartilhamentos. Nos comentários, os seguidores lamentam a morte de Januário e desejam solidariedade ao tutor.

Januário e Carlos viraram meme depois da publicação feita no dia 18 de abril de 2019 em que o dono brinca com a semelhança do gato com um bolo. “Vamos tomar café com bolo. Opa não é bolo não, é o Januário”, dizia a legenda.

Por conta do humor, o gato e seu tutor ganharam fãs ao redor do Brasil. Com isso, a morte do animal virou um dos assuntos mais comentados do Twitter do Brasil nesta segunda-feira.

No dia 22 de abril, houve outra perda na família de pets de Carlos, dessa vez do outro gato que ele cuidava, Jacó. “Hoje eu acordei com a triste notícia que meu gatinho Jacó tinha fugido para BR que fica há um quarteirão daqui. E o carro pegou ele, estou muito triste”, disse o tutor no perfil que mantinha em nome de Januário.

Memes que já partiram

Reprodução

Recentemente, a internet passou por outra grande perda. Stephany Rosa, conhecida pelo meme da bêbada de Curitiba, morreu em 13 de julho de 2020, aos 30 anos de idade. A morte precoce ocorreu por conta da luta da jovem contra um câncer no ovário desde agosto de 2018.

Dessa forma, em seu último post, feito no Facebook no mês de junho, a jovem pediu ajuda financeira para custear um tratamento alternativo. Isso porque já não havia condições de pagar um tratamento convencional. Assim, a vaquinha online feita por Stephany tinha como objetivo arrecadar R$ 20 mil, mas as doações passaram de R$ 120 mil.

“Como a maioria de vocês já sabe, luto contra o câncer há quase dois anos. E resisti em pedir ajuda financeira, mas agora, sem perspectiva de eficácia do tratamento na medicina tradicional, estou atrás de alguns recursos da medicina alternativa, bem como uma cuidadora e algumas outras coisas”, escreveu ela.

No entanto, Stephany Rosa não conseguiu resistir ao avanço da doença. Durante sua vida, ela conseguiu o que poucos conseguem: ser eternalizada por meio de um meme amado por milhões de brasileiros.

Relatos da luta

Em suas redes sociais, ela relatou sua trajetória com a doença. “Em agosto de 2018, o temido diagnóstico: É CÂNCER! Era dia dos pais e aniversário da minha mãe, 12 de agosto de 2018. No final de semana anterior, em um domingo, tinha o exame da ordem, eu estava pilhadíssima estudando.”

“Senti algumas dores abdominais umas semanas antes do exame, mas a situação se resumiu a isso: aquele mal estar intenso, porém, pontual que nunca mais se repetiu. Deve ser estresse pensei, vida que segue…”

“Voltando a 12 de agosto de 2018, era dia de comemoração, estava tendo churrasco. Quando cheguei em casa depois dessa noite, percebi uma dificuldade estranha para ir ao banheiro, até cheguei a vomitar, ali meu corpo me enviou um sinal de alerta, há algo errado com você, investigue e rápido.”

“Na segunda feira, já tentei marcar um gastrointestinal, fui na terça, e ele já me pediu uma endoscopia. Nesta mesma noite, minha barriga cresceu (tem foto), senti muita dor e fui para emergência de um hospital. No dia seguinte, fiz o exame e apareceu uma tumoração cística grande, levei este resultado para minha ginecologista, ela ligou na hora no IDEPI (exames de imagens laboratoriais).”

Diagnóstico

“Na sexta, por volta da metade do dia, todos os exames já estavam prontos. Fui me consultar com minha ginecologista, eu estava sozinha, (foi tudo muito corrido), e ela me disse que eu estava com NEOPLASIA. Eu disse: O que é isso? E ela disse: CÂNCER.”

“Dentro do consultório mesmo liguei para a indicação de um oncologista dela e consegui marcar para 17h30, já pensou? (Uma mistura de muito medo com muita adrenalina me invadiu!!!). Avisei minha mãe, ela ficou em estado de choque e foi, de imediato, me encontrar neste consultório.”

“O médico me encaminhou para um colega que trabalha com ele, especialista em câncer ovariano. A instrumentadora e a secretária dele, prontamente, entraram em contato comigo naquela noite mesmo e marcamos a consulta para segunda. Elas me tranquilizaram, dizendo para eu ficar calma no final de semana…”

Primeira Cirurgia

“Fiz a primeira cirurgia no dia 28.08.18 e após uns 20 dias foi constatado que o tumor era maligno. Então fiz outra cirurgia, uma histerectomia, que é a retirada do útero, no dia 24.09.18.”

“Em outubro, comecei as quimioterapias. Foram uns cinco ciclos para que meu cabelo começasse a cair… Aqui é onde bate o medo, no meu caso foram aproximadamente 3 lavagens para eu ter falhas o suficiente ao ponto de não ter como sair sem turbante.”

“Aqui eu consegui me senti bonita, mesmo de turbante, (me deu um alívio), meus cabelos estavam todos emaranhados dentro do turbante, ainda iria raspar. Essa quimioterapia iria até março, terminei os ciclos e estava curtindo já minha cura!!! Mas, infelizmente, quando fui fazer os exames para comprovar o que os médicos acreditavam, descobrimos que o tumor além de ativo estava crescendo.”

“O chão se abriu mais uma vez, meus problemas referentes ao Exame da Ordem (porque estava estudando como uma louca e nunca estava satisfeita com meu desempenho) acabaram na hora rs, pois encontrei outra questão maior. Outra cirurgia foi marcada para o dia 25.05.19, dessa vez, uma exploratória que abriria toda minha barriga.”

Nova rodada de quimio

“Comecei nova quimio em junho, repeti os exames em novembro, consegui fazer um teste dos EUA que dizia qual era o meu tipo de tumor e em qual país, no mundo, existia a droga que o combatia. Fiz esse exame, levei junto com ressonância e petscan.”

“O impacto da notícia foi de que não teria mais o que ser feito no Brasil. As melhores quimioterapias para câncer de ovário já haviam sido realizadas e, na teoria, minha ‘única chance’ era servir de experimento em um grupo de estudo. Mais precisamente no hospital MD Anderson, Houston, Texas, onde só a consulta seria R$ 80.000,00.”

“Fui atrás de outra opinião e a médica me pediu um exame chamado imunustoquímica, que traria a informação de qual era a origem do tumor. Segundo este exame, a origem deve ser ovário mesmo. Mas ele tem característica (formato) de tumor de intestino e poderia responder melhor a quimio de intestino.”

“Começamos em fevereiro, fiz 5 ciclos. Fiquei MUITOOOO debilitada. Já estou muito fraca devido a todo este percurso. Sinto-me muito cansada, por isso busco algo novo e diferente, algo que dê mais sentido para minha vida: curas em aspectos emocionais, físicos e espirituais. Algo que me devolva a energia vital.”

Meme inesquecível

Stephany Rosa virou meme em 2012, quando foi detida na Lei Seca em Curitiba, Paraná. No vídeo que viralizou, a jovem aparece claramente bêbada, sendo entrevistada pelo jornal local Rede Massa. No entanto, ela se diverte com toda a situação, ri e brinca com o cabelo enquanto é escoltada na viatura.

Fonte: G1

Vice-diretora de presídio é suspeita de ajudar amante a fugir da prisão

Previous article

A emocionante história da primeira médica do Brasil com tetraparesia

Next article

Comments

Comments are closed.