Curiosidades

Genética ou estilo de vida? O que importa para viver mais?

0

A longevidade tem aumentado significativamente nas últimas décadas. Os avanços na área da tecnologia e saúde têm garantido uma vida mais longa e em melhores condições. Mesmo assim, não são muitas as pessoas que conseguem passar da marca dos 100 anos. No entanto, não é impossível ver pessoas centenárias vivas. Então será que existe algum segredo para viver mais? Será que isso está relacionado com a genética ou um estilo de vida?

A genética é uma grande influência em como e quanto as pessoas irão viver. Até porque os genes têm um papel importante na expectativa de vida de alguém. Mas muitos têm dúvida se o estilo de vida levado pode ser maior do que os fatores genéticos desfavoráveis para viver mais.

Nesse ponto, um estudo recente analisou a relação entre fatores genéticos e estilo de vida com a expectativa de vida e obteve resultados bem interessantes.

Estudo

Tecmundo

Para esse estudo, os pesquisadores usaram os dados do UK Biobank, o famoso banco de dados do Reino Unido que investiga desde 2006 a influência da predisposição genética e de fatores ambientais a respeito do desenvolvimento de doenças na população. Os pesquisadores analisaram dados de mais de 350 mil adultos europeus, que foram recrutados de 2006 a 2010 e acompanhados até 2021, e fizeram suas associações.

Com relação à expectativa de vida que os genes determinam, os pesquisadores criaram três categorias. Foram elas:  longa (20%), intermediária (60%) e curta (20%). Já com relação ao estilo de vida também foram criadas três classificações: estilo de vida favorável (23%), intermediário (56%) e desfavorável (21%) para a saúde.

Como resultado foi visto que as pessoas que têm uma predisposição genética para uma expectativa de vida curta têm 21% mais risco de morte precoce. Enquanto que as que têm um estilo de vida não saudável têm 78% mais de risco de morrer cedo, independente dos fatores genéticos.

O ponto principal visto pelo estudo foi que ter um estilo de vida saudável, com hábitos como nunca fumar, fazer exercícios regularmente, ter um sono regular e dieta saudável pode compensar uma predisposição genética ruim para viver mais. Nesse caso, esse estilo de vida saudável coloca cinco anos de vida a mais.

Como o estudo foi observacional, ele faz associações e não estabelece relações de causa e efeito com relação aos  comportamentos e mudanças na expectativa de vida.

Compensando fatores genéticos

Por mais que existam fatores genéticos que não sejam favoráveis para uma vida longa, que é algo que as pessoas não podem controlar por ser uma coisa herdada, elas podem compensar isso em 62% através de um estilo de vida saudável. Para fazer isso, as pessoas têm que obedecer três condições básicas. São elas:

1 – Se conscientizar da importância do comportamento através de informações.

2 – Desenvolver o desejo de mudar através de atitudes favoráveis para o comportamento.

3 – Ter motivação para manter o comportamento através da ação e manutenção.

Melhor estilo de vida para viver mais

Tecmundo

Como dito, o estudo mostrou que ter um estilo de vida saudável pode compensar os genes ruins herdados para a expectativa de vida. Nesse caso, a pessoa tem que se atentar a ter um sono de qualidade, atividade física regular, controle do estresse, relacionamentos, alimentação saudável, evitar fumar e consumir bebidas alcoólicas moderadamente ou não tomá-las.

Contudo, também é importante ficar atento ao que a indústria fitness tenta vender. Porque ela pode fazer com que as pessoas acreditem que elas precisem de algo para além do básico, que é um sono de qualidade, nutrição adequada e exercício regulares. O resto são coisas desnecessárias.

Mas é claro que conseguir ter essa base biológica estável e equilibrada não é algo fácil. Até porque, em um mundo cheio de estímulos pode ser difícil dormir; ou comer de forma saudável com uma variedade de alimentos pobres em nutrientes, mas hiperpalatáveis; e até fazer alguma atividade de movimento quando eles não parecem ser tão necessários assim.

Por mais que não exista uma pílula mágica para viver mais, colocar em prática todos esses comportamentos saudáveis faz com que as chances de longevidade das pessoas aumente de forma significativa.

Fonte: Tecmundo

Imagens: Tecmundo

Placa tectônica do Pacífico está rachando e pode ameaçar terremotos

Artigo anterior

Burger King lança edição limitada de ‘Galão’ Stanley por 1 real; veja regras

Próximo artigo