Entretenimento

Karina Bacchi e Amaury Nunes divorciam por conta de fanatismo religioso

0

De acordo com a coluna LeoDias, na última quarta-feira (18), após quatro anos de casamento, Karina Bacchi e Amaury Nunes se separaram. Supostamente, o motivo que levou à separação foi o fanatismo religioso da artista.

Considerando que Karina Bacchi estava cada dia mais envolvida na sua religião e menos ativa em sua própria relação com o marido, mesmo após a conversão de Amaury, a relação não se sustentou. Isso porque as visões já estavam muiti diferentes.

A troca de igreja até virou uma questão entre os dois, porque Amaury preferia seguir na batista e Karina decidiu ir para a congregação evangélica. Sendo assim, amigos próximos do casal contaram que ela até desfez amizades importantes, como aconteceu com as madrinhas de casamento e seu cabelereiro, que foi o responsável por apresentar o casal. O motivo seria que eles não seguem a mesma religião que Karina.

Outro problema frequente eram as idas a eventos, visto que a artista passou a ser extremamente seletiva aos ambientes que frequentava e analisava a dedo quem estaria presente. Assim, eventos noturnos passaram a ser menos frequentes, a não ser que fossem à igreja que ela frequenta no momento, a Yah Church.

Nessa igreja, Karina passa a maior parte do seu tempo, indo de duas a três vezes todas as semanas e chegando em casa de madrugada várias vezes. Como a artista desenvolveu hábitos muito rígidos, como ler a Bíblia por volta de oito a dez horas por dia e se envolver em conversas apenas sobre a fé, a relação de Karina e Amaury se desgastou lentamente. Amigos reforçam que o fim do casamento é definitivo e ambos assinaram o divórcio há um mês.

Reprodução

Coisa demoníaca

Karina Bacchi foi capa da edição de Natal de 2006 da Playboy. Porém, 16 anos depois, a atriz mudou completamente a sua vida e agora se dedica à religião. Por isso, ela diz que se arrepende da atitude que tomou na época de posar nua e vê o ensaio com “nojo”.

A confissão da artista aconteceu durante uma conversa com Suzane Alves em seu canal do YouTube. “Tenho tanto nojo da minha Playboy. O mal trabalhou de um jeito ali, olha que sem noção, que ridículo, gente, eu tenho nojo, nojo, nojo! Ainda mais que foi especial de Natal, nascimento de Jesus. Que absurdo! Com chapeuzinho de Mamãe Noel, que coisa demoníaca, gente. Eu tenho nojo, raiva desse momento!”, disse a atriz.

“Olha, hoje eu dou risada, porque eu não enxergava, eu achava que estava fazendo tudo certo, que estava dando um presente de Natal para as pessoas. E o presente para Jesus… que coisa horrorosa. Juro, eu tenho nojo daquilo, nojo! Não olho com culpa, eu não tinha entendimento, mas olha como mal, ele trabalha na mente…. Eu achei que eu estava arrasando, arrasando com Jesus, que coisa horrorosa!”, finalizou seu desabafo.

Fim da carreira

Recentemente, a atriz também revelou os motivos que a levaram a parar de atuar em novelas. Karina, que participou de novelas como “O Clone” e “Da Cor do Pecado”, disse tudo em uma conversa com o pastor Rodrigo Silva, apresentador do Positivamente Podcast, canal no YouTube.

Na entrevista, Karina afirmou que não se sentia mais bem atuando. “Na Bíblia, a gente vê que Deus não se agrada do adultério. Uma atriz casada que vai interpretar uma cena na qual ela vai ter que beijar, abraçar… Aquilo não é considerado adultério? Acho que estaria sendo contra o que a Bíblia diz. Isso é algo que me conflitou demais”, explicou.

Porém, ela reforça que não foi sua aproximação com a religião que a fez abandonar a carreira. “Eu deixei a minha carreira por conta não só da Bíblia, mas também porque eu não me sentia à vontade em estar atuando, mesmo sabendo que aquilo não era eu, era um personagem. Eu deixei de atuar por opção, por escolha, por causa disso”, pontuou.

Fonte: Metrópoles

Gatos lembram dos nomes uns dos outros, segundo pesquisa

Matéria anterior

Netflix lança nova política sobre demissão de funcionários

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos