Curiosidades

Kateryna, a ucraniana que se tornou a princesa de Sião

0

Kateryna Desnytska nasceu em Lutsk, no Oblast de Volyn, em 27 de abril de 1886. Ao todo, teve doze irmãos. Como seus pais eram ricos, todos foram tratados com igualdade. O pai de Kateryna, juiz chefe do Tribunal Distrital de Lutsk, morreu quando ela tinha dois anos. Após a morte do pai, a mãe vendeu a propriedade da família e se mudou para Kiev com todos os filhos.

Ali, Kateryna estudou no Ginásio da Mulher do Fundo Budapiv. Em 1904, quando se formou, ela e seu irmão mais velho se mudaram para São Petersburgo, Rússia. Ambos viveram com a madrinha de Kateryna. Adaptado à nova cidade, o irmão mais velho resolveu ingressar na universidade e a jovem resolveu seguir o mesmo exemplo. Foi exatamente nesse momento, que começou a estudar na Escola de Medicina e Enfermagem de São Petersburgo.

A vida de Kateryna na Rússia

Kateryna era uma jovem muito atraente, sociável, mas também um tanto conversadora. Por carregar tais características e ter dinheiro, não demorou muito para se tornar uma socialite popular em meio à alta sociedade russa.

Em março de 1905, Kateryna foi a um grande baile, onde conheceu um jovem hussardo, que havia sido convidado pelo czar Nicolau II para estudar no país. A jovem, rapidamente, se sentiu encantada pelo rapaz. Na mesma noite, Kateryna descobriu que o jovem era ninguém menos que Sua Alteza Chakrabongse Bhuvanath, Príncipe de Sião, filho do Rei Rama V de Sião.

Hoje, sabemos que Sião, Tailândia, é um dos destinos turísticos mais procurados pelos turistas. No entanto, no início do século 20, poucas pessoas do Império Russo sabiam onde ficava a cidade, considerada, na época, um local exótico, cheio de mistérios inexplicáveis, com uma cultura inóspita e costumes peculiares.

Quando Kateryna conheceu o príncipe, ele havia acabado de se formar no Corpo Imperial de Páginas, havia sido promovido a um posto militar e estava se preparando para estudar na Academia do Estado-Maior Geral da Rússia.

Embora estivessem muito apaixonados, Kateryna, em um determinado momento, achou que seu romance não tinha futuro e, por esse motivo, ofereceu-se para trabalhar como enfermeira na Manchúria, onde as tropas russas tentavam manter suas posições contra os japoneses na Guerra Russo-Japonesa, que ocorreu entre 1904 e 1905.

O romance

No início, o Príncipe Chakrabongse ficou arrasado com a decisão, mas não pôde deixar de admirar sua ousada atitude. Enquanto Kateryna estava na Manchúria, o príncipe lhe escreveu inúmeras cartas, chamando-a de “minha querida” e de inúmeras outras formas carinhosas. Além disso, enviou-lhe constantemente flores por um serviço postal imperial especial.

Depois da guerra, Kateryna voltou a São Petersburgo. A jovem recebeu três medalhas por sua coragem e dedicação. O príncipe Chakrabongse, que esperava ansiosamente por sua amada, recebeu Kateryna com pompas e circunstâncias e, ao mesmo tempo, tentava ignorar as mensagens de sua família no Sião, informando-o de que uma série de garotas “bonitas e dignas” haviam sido encontradas para ele.

Fiel a Kateryna, o príncipe se recusou a sucumbir à pressão familiar. Finalmente, o Príncipe Chakrabongse pediu Kateryna em casamento. A jovem, obviamente, aceitou, mas impôs uma única condição: ser sua única esposa, afinal, Kateryna sabia que a tradição siamesa tolerava a poligamia e que os monarcas e príncipes sempre tiveram mais de uma mulher.

O Príncipe Chakrabongse jurou que Kateryna sempre seria a única mulher em sua vida. Como os padres russos se recusaram a casar um homem budista e uma mulher cristã ortodoxa, o casal decidiu realizar a cerimônia em Constantinopla, Istambul, onde encontraram um padre ortodoxo que concordou abençoar o casal.

Princesa

Os recém-casados ​passaram a lua de mel no Egito e, em seguida, viajaram para Cingapura. Dali, o príncipe Chakrabongse seguiu para o Sião, deixando sua jovem esposa para trás, pois precisava de tempo para informar aos pais e à corte real que havia casado.

Kateryna se adaptou rapidamente às tradições principescas e à vida na corte, aprendeu a língua siamesa e conseguiu cativar os sogros. Em 1908, a ucraniana deu à luz ao seu primeiro filho, Chula.

Em 1912, após nove anos de casamento, Kateryna descobriu que seu marido estava tendo um caso com uma sobrinha distante que tinha apenas quinze anos, uma princesa chamada Chuvalit. O príncipe Chakrabongse elevou a jovem ao status oficial de esposa real, mas jurou à Kateryna que seu amor continuava forte como sempre.

Kateryna, nesse interim, se recusou a aceitar a prática tradicional da poligamia e pediu o divórcio, que logo foi concedido. Kateryna também recusou uma grande soma em dinheiro. Além disso, foi forçada a deixar seu filho e herdeiro do trono, o pequeno Chula.

Fuga

No momento em que se divorciou, o mundo vivenciava a Primeira Guerra Mundial e a Revolução Russa. Tais acontecimentos tornaram a volta de Kateryna para Ucrânia impossível. Ela, então, se mudou para a China, onde morou com seu irmão diplomata, comprou uma casa, trabalhou na Cruz Vermelha e, em seu tempo livre, aproveitava os eventos sociais organizados pela comunidade Russa Branca.

O príncipe Chakrabongse morreu de pneumonia durante uma missão diplomática na China em 1920. Na China, Kateryna conheceu o engenheiro americano, Harry Clinton Stone. Ambos se casaram em seguida, mas quando estourou a Segunda Guerra Sino-Japonesa, em 1930, o casal mudou-se para Paris e, mais tarde, para os Estados Unidos.

Eventualmente, o casal se divorciou e Kateryna mudou-se para a França, estabelecendo-se perto de Paris, onde a viúva de seu irmão Ivan morava com seus filhos. Ela morreu aos 74 anos de idade, em Paris, no dia 3 de janeiro de 1960.

O filho de Kateryna, o príncipe Chula Chakrabongse, nunca ascendeu ao trono em Sião devido ao divórcio dos pais. Quando jovem, foi enviado para estudar no Reino Unido, onde passou sua adolescência frequentando a Harrow School. Posteriormente, Chula se formou em História e, em seguida, tornou-se mestre pela Universidade de Cambridge.

Em 1938, Chula casou-se com a inglesa Elizabeth Hunter. A filha do casal, Narisa Chakrabongse, nasceu na Inglaterra, em 1956, e hoje divide seu tempo entre Bangkok e Londres. O filho de Narisa Chakrabongse e bisneto de Kateryna, “Hugo” (nome tailandês – Chulachak Chakrabongse), é, atualmente, uma das estrelas do rock mais populares da Tailândia.

Os filmes mais assustadores, segundo medidor de frequência cardíaca

Matéria anterior

6 coisas mágicas que podem ser vistas diariamente

Próxima matéria

Mais em Curiosidades

Você pode gostar

Comentários

Comentários não permitidos.