Curiosidades

Lugares mais perigosos do mundo para mergulho

0

Mergulhadores profissionais estão sempre em busca de novas aventuras e locais para explorar. No entanto, a natureza impõe limites e tentar superá-los pode ser fatal. 

Existem profundezas oceânicas que, apesar dos mistérios e belezas que as envolvem, estão envoltas em perigos para os seres humanos. Mesmo com as vestimentas especiais e tecnologias de ponta já desenvolvidas, alguns locais oferecem riscos reais para aqueles que tentam explorá-los.

1. Lago Karachay, Rússia

O lago Karachay, localizado na Rússia, foi utilizado como depósito de lixo nuclear pela antiga União Soviética entre os anos de 1951 e 1957. No local, o nível de radiação é comparado ao que já foi relatado em Chernobyl. Pesquisadores ousam dizer que o lago é o lugar mais radioativo do mundo.

Pic2me

No ano de 1990, o nível de radiação do lago Karachay poderia matar uma pessoa a cada hora. Por esse motivo, o lago está totalmente fechado para mergulhos. Vale ressaltar que, ainda, que investimentos foram demandados para cobrir regiões próximas com cimento para evitar que pessoas se aproximem e sejam contaminadas.

2. Iceberg B-15, Antártida

O iceberg B-15, que já foi considerado o maior iceberg já visto, se desprendeu da plataforma de gelo Ross, na Antártida, em março de 2000. O iceberg já possuiu 8,2 mil quilômetros quadrados, o que é maior até mesmo que o território da Jamaica. 

No bloco de gelo, haviam cavernas subaquáticas comuns entre os mergulhadores. No entanto, uma equipe de cineastas da National Geographic coletaram relatos de exploradores que afirmam que, ao adentrar as cavernas, as rachaduras e estalos de gelo conseguem atordoar, em menos de um minuto, quem está no local. 

Esses estalos indicam mudanças constantes na geografia da região. Por esse motivo, as cavernas do iceberg deixaram de ser exploradas, uma vez que ofereciam riscos físicos e psicológicos aos exploradores.

3. Lagoa Chuuk, Micronésia

A lagoa Chuuk, localizada nos Estados Federados da Micronésia, é comumente conhecida como o “maior cemitério de navios do mundo”. Isso porque, na lagoa, estava localizada a principal base naval do Império do Japão durante a Segunda Guerra Mundial. 

Getty Images

O conteúdo submerso na lagoa Chuuk ainda é um mistério. Seguindo a lógica das armadilhas instauradas nos mares durante a Segunda Guerra e considerando a relevância da lagoa para o Império Japonês na época, acredita-se que existam milhares de granadas, bombas, minas e outros explosivos nas profundezas do local. Sem dúvidas, um mergulho ali poderia ser fatal. 

4. Lago Nyos, Camarões

Em 1986, o lago Nyos, que ficou conhecido como “lago assassino”, matou mais de 1,7 mil pessoas em questão de minutos. As mortes foram provocadas por um fenômeno conhecido como erupção límbica. 

A erupção límbica é resultado de uma explosão que ocorre nas profundezas do lago e espalha uma nuvem de gás tóxico. Toda a vida humana e natural que se encontra no raio de alcance da nuvem é exterminada. 

Getty Images

O fenômeno acontece no Lago Nyos devido aos bolsões de magma subterrâneo presentes no local. A erupção límbica pode voltar a acontecer e, por isso, não devem haver moradores ou visitantes próximos ao local. 

5. Ninho da Águia, Estados Unidos

O Ninho da Águia, situado na Flórida, é composto por cavernas subaquáticas que levam a até um dos locais mais profundos e escuros do mundo. Quando falamos em local escuro, queremos dizer que se trata de uma região com total ausência de luz.

No lago, existe uma queda d’água de mais de 90 metros. Dessa maneira, ao adentrar às cavernas do Ninho da Águia, o mergulhador pode estar sujeito a uma força assustadora da água, que o leva a quase 100 metros abaixo da superfície. 

Registros contabilizam pelo menos dez mortes de mergulhadores profissionais no Ninho da Águia. Sem dúvidas, esse não é um local apropriado para nenhuma pessoa, independentemente do nível de profissionalismo para mergulho.

5 famosos que não gostaram das produções biográficas

Matéria anterior

YouTube libera ranking anual de vídeos e criadores

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos