CuriosidadesMundo Animal

Maior iceberg do mundo está a caminho de colidir com uma ilha refúgio para pinguins e focas

0

Os icebergs, regularmente, se formam na Antártida. Dependendo de seus tamanhos, eles podem ganhar nomes e até mesmo serem inclusos em mapas de navegação. Quando eles se separam das geleiras e plataformas de gelo, eles acabam a mercê das correntes oceânicas e dos ventos.

E o maior iceberg do mundo tem o risco de colidir com uma ilha, que é habitada por pinguins e focas. Essa colisão poderia causar fome em massa entre os filhotes desses animais.

O iceberg, chamado A68a, se desprendeu de uma plataforma de gelo da Antártica em 2017. E desde então, ele está navegando para o norte. Agora, ele está a uma distância perigosa da Ilha Geórgia do Sul. Essa área é um paraíso para milhões de pinguins-gentoo, macaroni, e pinguins-reis. Além de focas e elefantes marinhos.

Em sua trajetória, alguns pedaços do iceberg quebraram. No entanto, o A68a continua com um volume recorde. Ele tem 151 quilômetros de comprimento e 48 quilômetros de largura. Em comparação com 169 quilômetros de comprimento e 38, de largura da Ilha Geórgia do Sul.

Iceberg

Esse iceberg pode atravessar a plataforma subaquática da ilha rasgando o fundo do mar. Se isso acontecer, a vida marinha que estiver em seu caminho seria esmagada. Além de devastar um ecossistema subaquático, que é o lar de mais espécies conhecidas do que Galápagos.

Contudo, Geraint Tarling, um ecologista, disse que, como o iceberg não fica muito baixo na água, exist a possibilidade de ele deslizar ao longo do fundo do mar e não ficar preso até atingir a costa da ilha. E ele poderia ficar lá por 10 anos.

Se isso acontecer, o acesso dos pinguins e focas ao oceano seria cortado. E esses animais vão ao oceano para pegar peixes para alimentar seus filhotes.

“Se eles tiverem que fazer um grande desvio, isso significa que não vão voltar para seus filhos a tempo de evitar que morram de fome nesse ínterim”, ressalt Tarling.

Para piorar, várias colônias de animais em toda ilha estão agora em sua época crítica de incubação e nascimento. E uma adição de repente de quilômetros de iceberg entre a ilha e o oceano pode dizimar uma nova geração de animais.

Problemas

No entanto, ainda existe uma esperança para esses filhotes. Isso porque, no último minuto uma poderosa corrente do oceano ainda pode ser capaz de virar o iceberg para longe das águas rasas que cercam a Ilha da Geórgia do Sul. “Embora próximo, o aterramento não é inevitável”, disse Tarling.

Além disso, Stef Lhermitte, um cientista que está rastreando o movimento do iceberg, compartilhou uma imagem de satélite onde é possível ver que o iceberg está seguindo a corrente e com isso começando a se afastar da ilha. Contudo, ele disse que “ainda está muito perto do fundo do oceano raso”.

Mesmo se a corrente conseguir arrastar o iceberg para longe da parte sul da ilha, os animais ainda não estarão seguros. Isso porque o gelo também pode se alojar no lado leste da ilha.

Além de tudo isso, apenas a presença do gelo pode mudar o ecossistema oceânico em volta da Ilha da Geórgia do Sul inundando-o com água doce proveniente do degelo.

Pela primeira vez em 2.000 anos, antiga cidade de Hegra passa a receber turistas

Matéria anterior

7 testes bizarros para identificar os praticantes da bruxaria

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos