Curiosidades

Namorados de 1.500 descobertos na China em um abraço eterno

0

Todo mundo já ouviu a frase “até que a morte os separe”, mas nesse caso em específico, nem mesmo a morte os separou. Esses restos mortais de dois namorados foram enterrados juntos há mais de 1.500 anos no norte da China. Eles foram descobertos recentemente em um abraço eterno.

De acordo com os pesquisadores, possivelmente, a mulher, que usava um anel de metal em seu dedo anelar esquerdo, tenha se sacrificado para ser enterrada junto com seu marido.

Descoberta

Esqueleto1, Fatos Desconhecidos

Por mais que os enterros conjuntos entre homens e mulheres não sejam uma coisa fora do comum n China, esse em específico com dois esqueletos presos em um abraço com uma ousada demonstração de amor é o primeiro do seu tipo descoberto no país. Ele pode ser um reflexo da mudança de atitudes com relação ao amor na sociedade chinesa na época, escreveram os pesquisadores.

“Este é o primeiro casal encontrado em um abraço amoroso, como tal, em qualquer lugar a qualquer hora na China”, escreveram eles.

Os arqueólogos fizeram essa descoberta em junho de 2020 durante uma escavação de um cemitério que tinha sido exposto enquanto estavam sendo feitas obras na província de Shanxi. Esse cemitério tinha aproximadamente 600 sepultamentos de Xianbei, um antigo grupo nômade do norte da China que pegou a cultura chinesa Han.

Casal

Esqueleto2, Fatos Desconhecidos

Como esse enterro do casal foi único, os arqueólogos decidiram que não iriam escavar totalmente os restos dos esqueletos. Ao invés disso, eles deixaram os dois entrelaçados para que eles pudessem ficar em exibição em um museu.

Eles acabaram encontrando dois outros casais entrelaçados juntos no mesmo cemitério. No entanto, eles não estavam se abraçando com tanta força. Além disso, as mulheres também não estavam usando nenhum anel.

Embora a escavação dos namorados não tenha sido completa, ela revelou muita coisa sobre eles. O homem devia ter aproximadamente 161,5 centímetros de altura e tinha uns ferimentos. Como por exemplo, um braço quebrado, parte do dedo faltando na mão direita e esporas de osso em sua perna direita. E provavelmente, ele morreu entre 29 e 35 anos.

Circunstâncias

Esqueleto3, Fatos Desconhecidos

Já a mulher estava bem saudável quando morreu. Ela tinha aproximadamente 157,1 centímetros de altura. E apresentava alguns problemas dentários, como cáries. Provavelmente, ela morreu entre 35 e 40 anos.

Uma das possibilidades é que a mulher usava o anel no dedo anelar por conta da influência “dos costumes das regiões ocidentais e além através das Rota da Seda e assimilação do povo Xianbei, refletindo a integração da  cultura  chinesa e ocidental”, disse Wang.

Provavelmente, o enterro do casal foi feito com muito cuidado e quis refletir a dedicação que eles tiveram um pelo outro quando estavam vivos. “A mensagem do enterro foi clara: marido e mulher deitaram juntos, abraçando um ao outro por amor eterno durante a vida após a morte”, escreveram os pesquisadores.

Os arqueólogos tem algumas hipóteses de como o casal acabou no mesmo túmulo. É improvável que eles tenham morrido ao mesmo tempo, seja por violência, doença ou envelhecimento. Até porque não tem nenhuma evidência disso. Provavelmente, o marido tenha morrido primeiro e a mulher se sacrificou para que os dois pudessem ser enterrados juntos.

Outra possibilidade é que a mulher tenha morrido primeiro e o marido tenha se sacrificado. Contudo, isso é menos provável porque a mulher parece ter tido uma saúde bem melhor que a do seu parceiro.

Cada vez mais humanos estão desenvolvendo uma artéria extra

Matéria anterior

Oferenda de dois mil anos é encontrada preservada embaixo de pirâmide mexicana

Próxima matéria

Você também pode gostar

Mais em Curiosidades

Comentários

Comentários não são permitidos