• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE

O que acontece com o cocô depois que usamos o banheiro do avião?

POR Jesus Galvão    EM Curiosidades      24/08/18 às 13h25

Muitas pessoas, principalmente quando trata-se da primeira vez que vão viajar de avião, acabam se perguntando para onde exatamente vão os dejetos orgânicos depois que usamos o banheiro. Tem gente por aí que acredita que eles são liberados em áreas e terrenos desabitados. Enquanto outras pessoas acreditam que eles são "ejetados"  a medida em que a descarga é acionada. Já imaginou?

Mas nem um nem o outro estão corretos. O sistema a vácuo hoje utilizado, inventado por James Kemper em 1975, é bem diferente do que costumava ser o padrão durante o tempo dos primeiros voos comerciais, onde as pessoas faziam suas 'necessidades' e eram, basicamente, armazenadas em recipientes impróprios e descartadas lá de cima mesmo.

Então o que acontece com os dejetos?

Durante os anos 1980, os aviões usavam um sistema chamado Anotec, que consistia em um líquido azul desodorizante, que servia para ajudar a empurrar os resíduos para tanques de armazenamento a bordo. Bombas elétricas eram acionadas quando o botão de descarga era pressionado, conduzindo todos os detritos até a "barriga" do avião.

No entanto, esse sistema demandava muito esforço para sua manutenção, uma vez que os aviões tinham que transportar centenas de galões do Anotec a cada viagem. Tudo isso acabava por aumentar os custos das viagens e ainda reduziam a capacidade de pessoas que pudessem ser transportadas. Outro problema é que o formaldeído e a água sanitária usados na composição do Anotec, irritavam os olhos e até mesmo a pele dos passageiros.

Sem falar nos vazamentos que ocorriam vez ou outra, escapando pelo casco do avião e formando grande cubos de gelo azul, devido as grandes altitudes. No entanto, a medida que o avião descia, se aproximando do momento da aterrissagem, o gelo também derretia, se desprendendo da aeronave. Daí você já pode imaginar o que acontecia.

Só nos EUA, entre 1979 e 2003, no mínimo 27 casos de "gelo azul" foram registrados caindo do céu, destruindo telhados e fazendo estragos em carros, entre outras coisas. Mas, graças ao inventor James Kemper, a história mudou completamente e esses "pequenos" incidentes deixaram de acontecer. Em 1982, a Boeing instalou o primeiro sanitário a vácuo em uma aeronave.

Banheiro a vácuo!

Os sanitários a vácuo usados hoje em dia pelas aeronaves no mundo todo utilizam forte sucções para sugar tanto os dejetos ali deixados pelos passageiros, quanto o possível mau cheiro. As paredes dos vasos são revestidos de um material parecido com o teflon, utilizado em nossas frigideiras, para evitar que resíduos fiquem agarrados.

Ao pressionar o botão da descarga, abre-se uma válvula no fundo do vaso que entrega todo o conteúdo a um vácuo pneumático. Então, tudo é levado para um dos tanques de armazenamento que geralmente se localiza na traseira do avião. Dessa forma, tudo é armazenado dentro do avião até que o pouso seja feito.

Uma equipe fica aguardando no aeroporto para que tudo seja limpo, incluindo os tanques, que são esvaziados e limpos, prontos para a próxima viagem. Há 30 anos esse sistema tem sido utilizado como tecnologia padrão nos aviões. E desde então, acidentes envolvendo cocô caindo dos céus passaram a acontecer somente quando os pássaros decidem fazer isso na cabeça de algum humano por aí.

Então pessoal, o que acharam da matéria? Deixem nos comentários a sua opinião e não esqueçam de compartilhar com os amigos.

Próxima Matéria
Via       Culture Hook     Smarter Travel     Aviation Global News     Gizmodo     The Telegraph     Mirror  
Jesus Galvão
Goiano, Canceriano e Publicitário.
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+