Curiosidades

O que são alimentos transgênicos?

0

Todos nós sabemos que uma boa alimentação pode influenciar na nossa saúde e na disposição que temos para enfrentar o dia a dia. O segredo não está em apenas comer frutas e legumes, mas sim em fazer uma dieta equilibrada com todos os alimentos em quantidades certas. Isso porque o nosso corpo precisa de um pouco de cada alimento para que tenhamos uma vida saudável.

E quando se fala de alimentos, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre o que são os chamados alimentos transgênicos. Eles são aqueles geneticamente modificados (AGM), ou seja, alimentos que tiveram seu DNA mudado. Por isso que eles são produzidos em laboratório através de técnicas de engenharia genética. Com elas, os embriões são mudados conforme vão recebendo genes de outra espécie.

Vantagens e desvantagens

G1

Mesmo sendo alimentos produzidos e não in natura, os transgênicos têm suas vantagens e desvantagens.

Vantagens

  • Eles têm uma produtividade maior.
  • Diminuição nos custos.
  • O potencial nutricional do alimento é aumentado.
  • Plantas se tornam mais resistentes a pragas, agrotóxicos, inseticidas e herbicidas.
  • Plantas têm mais tolerância com as condições adversas tanto do clima como do solo.
  • Diminuição do uso de agrotóxicos

Desvantagens

  • Podem desenvolver doenças, como por exemplo, reações alérgicas, câncer, entre outras.
  • Causa um desequilíbrio ambiental, como a poluição do solo, da água e do ar, causa desaparecimento de espécies, perda da biodiversidade, entre outras coisas.

Questões dos transgênicos

Vitat

Por mais que a efetividade desses alimentos “artificiais” seja um ponto positivo, existem controvérsias com relação aos seus nutrientes e com suas consequências éticas, econômicas, sociais e políticas.

O comércio desses alimentos geneticamente modificados e a engenharia genética são consideradas áreas bem promissoras porque oferecem inovação e melhoram as plantas “convencionais”. Até porque, através da manipulação do material genético é possível se conseguir alimentos mais seguros, saudáveis e menos perecíveis.

Isso é visto porque os testes com essa mudança genética têm o objetivo de criar plantas e animais mais resistentes, seja a doenças, pragas, agrotóxicos ou mudanças climáticas. Como resultado, a produtividade é aumentada.

Mesmo assim existem controvérsias a respeito da natureza desses alimentos. Por exemplo, os efeitos que eles têm, tanto a curto como a longo prazo, na saúde dos humanos e dos animais. Ou seja, muito se diz que essa mudança genética visa mais o lucro do que a saúde.

Legislação

Toda matéria

Independentemente das questões sobre eles, os alimentos transgênicos existem e estão sendo vendidos. De acordo com a legislação em vigor, esse tipo de alimento deve ter um rótulo de identificação para que o consumidor saiba que determinado produto é transgênico e possa escolher se quer ou não consumi-lo.

No nosso país e na União Europeia, os rótulos têm que existir em produtos com até 1% de componentes transgênicos. Já o Decreto nº 4.680 de 2003 determina que as informações devem ser mostradas toda vez que o alimento tiver mais de 1% de ingredientes transgênicos, mesmo que não seja possível detectá-los.

Esses alimentos têm a letra “T” dentro de um triângulo amarelo.

Alimentos transgênicos no Brasil e no mundo

Toda matéria

No Brasil, em 2017, 50,2 milhões de hectares foram destinados a culturas transgênicas, sendo a maioria para soja. Por conta disso, nosso país se tornou o maior produtor de transgênicos do mundo, perdendo somente para os EUA.

Além disso, nosso país tem um destaque por, em 2015, ter lançado comercialmente o primeiro organismo geneticamente modificado totalmente desenvolvido no país. No caso, foi uma soja, feita pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e a empresa alemã Basf, que era tolerante a herbicida.

No mundo, o consumo de alimentos transgênicos é legal em alguns países e em outros sua adesão ainda está longe. Por exemplo, no Japão esse tipo de alimento é rejeitado, enquanto que, além do nosso, os Estados Unidos, a Argentina, o Canadá e a China lideram a produção de alimentos transgênicos.

Fonte: Toda matéria

Imagens: Toda matéria, G1 Vitat

O que a nova CEO do Twitter precisa fazer para ”salvar” a rede social

Artigo anterior

Leão mais velho do mundo é morto por pastores de gado no Quênia

Próximo artigo