Ciência e TecnologiaCuriosidades

Por que uma americana com sinusite precisou remover parte do crânio?

0

Todo mundo tem um remédio de confiança para lidar com aquela dorzinha de cabeça no fim do dia. Porém, nem sempre um medicamento pode ser o suficiente. A americana Natasha Gunther compartilha no Tik Tok a sua experiência de precisar remover parte do crânio para combater um quadro grave de sinusite.

Essa doença consiste em uma inflamação das mucosas localizadas no seio da face. Ou seja, quem tem infecções sinusais sente uma forte dor na região dos olhos, do nariz e das maçãs do rosto.

Além disso, os locais atacados pela sinusite produzem mucos que retém materiais estranhos. Através de cílios vibráteis, esse fluido percorre os seios da face até chegar no nariz, responsável por eliminá-lo. Logo, quando se está com sinusite, é comum que a pessoa também sinta uma forte obstrução das vias nasais.

Nesse sentido, vale lembrar que a causa do problema pode ser tanto vírus quanto bactérias. Em casos virais, a duração da doença possui vida curta. Já quando há agentes bacterianos envolvidos, as chances de agravamento do quadro aumentam. E foi justamente este o caso da instrutora de artes marciais Natasha Gunther.

Fonte: themonotonouslife

Entrada no hospital

No ano passado, a americana de 25 anos procurou ajuda médica por conta das infecções sinusais que sentia. Em um primeiro momento, o médico lhe receitou antibióticos e Natasha pensou que logo estaria bem. Porém, os sintomas pioraram e passaram a incluir até mesmo vômitos.

Vendo a piora da sinusite, os pais da jovem a obrigaram a realizar uma tomografia computadorizada. No dia 12 de dezembro de 2021, o exame foi feito. Logo em seguida, a equipe médica fez uma craniotomia. Essa cirurgia remove temporariamente parte do crânio para ver o que se passa na estrutura cerebral do paciente.

No caso de Natasha, os cirurgiões encontraram uma massa de bactérias tão grande que deslocou o cérebro dela nove milímetros para a direita. Sendo assim, só havia uma forma da americana se livrar desses micróbios causadores da sinusite. Ela precisava passar por uma cirurgia de remoção definitiva de parte do crânio.

A cirurgia foi feita dois dias antes do Natal. Na ocasião, a equipe médica retirou de 12 a 14 cm do crânio da jovem. Além disso, ela precisou passar cinco semanas internada após a cirurgia. Dessa forma, em sua conta no Tik Tok, com 39 mil seguidores, ela revela os detalhes desses procedimentos tão invasivos. “Os cirurgiões me disseram que eu estaria morta em uma semana se não tivesse ido ao hospital quando fui”, conta Natasha.

Fonte: themonotonouslife

Pós-cirúrgico

Além de relatar a experiência nas redes sociais, a americana também faz terapia de fala e de movimento. A intenção das sessões é recuperar as competências perdidas por conta da cirurgia. A fim de voltar completamente à vida normal, ela tem diante dela duas opções a serem aplicadas ainda em 2022.

A primeira é a reconstrução de seu crânio a partir de um pedaço retirado que está congelado em um freezer. Neste processo, chamado de cranioplastia, o osso natural é parafusado de volta no lugar em que estava. Dessa forma, ela voltará a ter um formato de crânio semelhante ao que tinha antes da sinusite.

Ademais, outra possibilidade é a utilização de um molde feito em impressora 3D. Neste sistema, o protótipo cranial é milimetricamente projetado a partir de imagens tomográficas da cabeça da paciente. Em seguida, a peça é perfeitamente encaixada na região extraída

Como resultado de qualquer um desses dois processos, a tendência é que Natasha tenha uma visível melhora nos problemas de fala e de movimento. Enquanto se prepara para este novo desafio, a jovem americana usa as redes sociais de forma bem humorada para tratar da situação e de suas repercussões.

Fonte: Isto É, Extra

Essa mulher ficou amiga das quatro amantes do seu ex

Matéria anterior

Zulmiro: a história do pirata que morou em Curitiba

Próxima matéria

Comentários

Comentários não são permitidos