• MAIS LIDAS
  • QUIZ
  • VÍDEOS
  • ANUNCIE


Uma estrela que nasceu logo depois do Big Bang ficará próxima à Terra

POR Bruno Dias    EM Curiosidades      06/11/18 às 18h30

Nosso universo nasceu da explosão do Big Bang e depois dele, claramente, surgiram várias coisas. Os astrônomos da Universidade Johns Hopkins nos EUA e da Universidade Monash, na Austrália, conseguiram identificar uma das mais antigas estrelas que já foram encontradas. Ela pertence a segunda geração de estrelas já criadas em nosso universo.

Essa estrela está relativamente perto de nós, o que nos indica que nossa vizinhança é mais antiga do que foi pensado. Segundo os cientistas, as primeiras estrelas que foram formadas depois do Big Bang eram formadas de elementos leves e, com o passar do tempo, elas foram ficando mais pesadas e metalizadas.

Essas primeiras estrelas iluminaram cerca de 13,6 bilhões de anos atrás, passados somente 180 milhões de anos pós Big Bang, o que se colocado na escala cósmica é pouquíssimo tempo. E as estrelas eram compostas de hidrogênio, hélio e um pouco de lítio.

Metais

Os metais pesados devem ter sido criados quando essas estrelas se fundiram e quando elas explodiram, as supernovas espalharam os metais mais pesados pelo cosmos. Assim, as outras gerações de estrelas se formavam a partir de metais mais pesados e cada geração tem um conteúdo de metal maior que a anterior.

Não muito tempo atrás, os cientistas pensaram que as primeiras estrelas estravam mortas há muito tempo, tendo queimado seus suprimentos de combustível e explodido. Mas agora, nos últimos anos, os astrônomos identificaram cerca de 25 estrelas pobres de metal que estão entre as mais antigas do universo e elas têm aproximadamente a mesma massa que o sol.

Estrela

A estrela mais antiga recém identificada é chamada de 2MASS J18082002-5104378 B, e é menor que as outras com uma massa de aproximadamente 14% a do sol. Ela também tem uma metalicidade baixa, a menor já vista com a mesma concentração do planeta Mercúrio. Isso quer dizer, segundo os pesquisadores, que ela vem da segunda geração de estrelas nascidas.

Essa estrela não é a mais antiga que conhecemos, ela tem 13,5 bilhões de anos. O que a difere é que podemos encontrá-la no 'disco fino' da Via Láctea, a região da nossa galáxia que chamamos de lar. E com essa descoberta é possível dizer que essa área é três bilhões de anos mais velha do que se pensava anteriormente.

Descoberta

A descoberta levou a consideração de que, no futuro, estrelas mais antigas que essa poderão ser observadas próximas de nosso planeta e até mesmo alguma de primeira geração.

"As descobertas são significativas porque, pela primeira vez, conseguimos mostrar evidências diretas de que estrelas de baixa massa e muito antigas existem e poderiam sobreviver até os dias atuais sem se destruir", explica um dos autores do estudo, Andrew Casey, da Universidade Monash.

Próxima Matéria
Bruno Dias
EQUIPE FATOS DESCONHECIDOS, BRASIL
Viu algum erro ou gostaria de adicionar alguma sugestão a essa matéria? Colabore, Clique aqui.


Matérias selecionadas especialmente para você

Curta Fatos Desconhecidos no Facebook
Confira nosso canal no Youtube
Siga-nos no
Instagram
Siga Fatos Desconhecidos no Google+